Reiner Tenente: sonho prestes a se realizar (Foto: Kristie Miyamoto)

O ano é 2001: “Company”, musical da Broadway assinado por Stephen Sondheim e George Furth, ganha montagem no Brasil, assinada por Claudio Botelho e Charles Möeller: era apenas o quarto espetáculo montado pela dupla. No palco do Teatro Villa-Lobos, o próprio Claudio interpretava o protagonista Bobby, rapaz de 35 anos avesso a relacionamentos sérios – que dirá casamento. Na plateia, o aspirante a ator de musicais Reiner Tenente, em torno de seus 20 anos, fica encantado com o que vê e fantasia com a ideia de viver aquele personagem algum dia. Corta para 2017: Reiner, já com vários musicais no currículo, compra os direitos de “Company” e anuncia a remontagem para o fim do ano, ou início de 2018, com direção de João Fonseca, que já o dirigiu em espetáculos como “Tim Maia – Vale Tudo, o Musical”, “O Grande Circo Místico”, “Bilac Vê Estrelas” e o mais recente, “A Reunificação das Duas Coreias”. Reiner será Bobby, por fim.

– É um sonho desde que eu tinha 20 anos de idade, e já estou com 37, então a hora de fazer Bobby é agora, porque ele tem 35. – Reiner diz ao Teatro em Cena, direto de Ohio, onde está para pesquisa de mestrado – Relendo a peça e vendo vídeos, comecei a perceber que ela é muito atual ainda, porque a gente vive em uma sociedade em que as relações são muito superficiais, principalmente por causa da tecnologia. As pessoas hoje em dia são capazes de terminar um namoro pelo Whatsapp. Não tem mais olho no olho, compromisso nenhum. Essa peça trata justamente dos conflitos de um homem sobre casar ou não casar, ter ou não uma companhia. É bem importante discutirmos sobre isso, porque a relações estão ficando cada vez mais rasas.

Montagem brasileira de “Company” em 2001 (Foto: Divulgação)

A montagem original da Broadway estreou em 1970 e recebeu dois Tony Awards (direção de musical e cenografia). Em 2006, houve um revival com o latino Raúl Esparza e o espetáculo foi eleito a melhor remontagem de musical da temporada. A montagem de Möeller e Botelho foi elogiada pelos próprios Sondheim e Furth, que vieram ao Brasil especialmente para assisti-la. O elenco contava ainda com Solange Badim (de “Emilinha e Marlene – As Rainhas do Rádio”), Daniel Boaventura (de “A Família Addams”), Claudia Netto (de “Se Eu Fosse Você, o Musical”), Totia Meireles (de “Cinderella”) e Sabrina Korgut (de “4 Faces do Amor”). O elenco gravou a versão brasileira em um álbum, que foi vendido também em Nova York e em Londres.

O elenco da nova montagem ainda será definido. O único nome confirmado até o momento, além de Reiner, é Joana Mendes (de “Vem Buscar-me Que Ainda Sou Teu”), que fará uma das ex-namoradas de Bobby. Na ficha técnica, nomes conhecidos são o diretor musical Tony Lucchesi (de “60! – Década de Arromba – Doc. Musical”), o cenógrafo Nello Marrese (vencedor do Prêmio Cesgranrio por “O Grande Circo Místico”), a figurinista Carol Lobato (premiada por “Kiss Me, Kate – O Beijo da Megera”) e o iluminador Luiz Paulo Neném (vencedor do Prêmio Reverência por “O Grande Circo Místico”).

– Eu e João vamos conversar e ver as pessoas que queremos chamar para o elenco. Talvez a gente faça uma audição, mas isso ainda está tudo muito aberto. – Reiner adianta – Uma coisa que eu quero é que alunos e ex-alunos do CEFTEM [escola fundada por ele] formem pelo menos 20% ou 30% do elenco. Isso é uma coisa que faço questão, porque quero que seja uma realização de um sonho meu e de pessoas que acompanho a formação e o crescimento ali dentro da escola. A maioria do elenco será de atores já profissionais, que já estão no mercado, mas quero alguns alunos de potencial também estejam defendendo essa história comigo.