CURITIBA – Destaque internacional no Festival de Curitiba, o espetáculo “Tristeza e Alegria na Vida das Girafas” é resultado de um texto português e uma montagem francesa. Escrito por Tiago Rodrigues e traduzido e dirigido por Thomas Quillardet, ele foi apresentado em francês no Brasil, com tradução simultânea, como parte da mostra do Festival de Curitiba. Na história, uma menina está inconformada com o corte da TV por assinatura, porque ela precisa ver o Discovery Channel para fazer um trabalho da escola. Seu pai mente que o serviço está “em pane”, mas ela sabe que, na verdade, ele não tem dinheiro para pagar, porque está desempregado. Sentindo falta de sua mãe, que se ainda estivesse viva garantiria o Discovery Channel, a garotinha foge da aula e sai pelas ruas de Lisboa em busca de uma solução. A girafa do título se refere à maneira como sua mãe a chamava, por ser alta demais para o padrão da idade, e ao animal sobre o qual é seu trabalho escolar.

(Foto: Annelize Tozetto)

Tristeza e alegria são dois dos muitos conceitos que têm suas definições apresentadas na peça. O texto recorre ao dicionário para explicar infinitas palavras, mesmo as mais básicas, o que sublinha o caráter infantil da protagonista descobrindo o mundo e o vocabulário. Ela é interpretada por uma mulher adulta, Maloue Fourdrinier. Não há crianças no elenco, completado por Marc Berman, Christophe Garcia, Jean-Toussaint Bernard em papéis diversos, como o pai, o ursinho de pelúcia, um aproveitador, um bancário, Tchekov e o primeiro ministro. Não há nada de realista. Com diálogos ingênuos mas questionadores, e até provocadores, a peça abusa do caráter lúdico e da licença-poética para traçar sua narrativa. A menina é criativa e tem uma imaginação fértil. Como uma versão urbana de “Alice no País das Maravilhas”, de Lewis Carroll. É espantoso até onde se pode ir sem a TV ligada.

O espetáculo foi apresentado no Teatro Guairinha, com lotação quase esgotada. No fim da sessão, um dos atores agradeceu em português à plateia, que já havia sido conquistada em francês. “Tristeza e Alegria na Vida das Girafas” é um espetáculo lúdico para adultos, com amplo trabalho de sonoplastia feita pelos atores no palco, utilizando objetos simples. A temática também passeia entre o ingênuo e o duro, partindo de uma crise financeira para lugares mais imaginários. Em uma das cenas, por exemplo, a garotinha está perdida na cidade e se esquiva de um homem mais velho. Pergunta se ele é pedófilo, sem saber exatamente do que se trata: é uma cena forte, sem deixar de ser doce, como a encenação de um modo geral. Contudo, O cenário de Lisa Navarro é concebido em uma estrutura de fios que levantam e movimentam elementos, como uma interessante cenografia-marionete. Os figurinos de Frédéric Gigou não ultrapassam o óbvio, o que não chega a ser mau, mas a iluminação de Sylvie Mélis é o grande ponto alto: cria camadas e nuances na montagem de maneira muito delicada. Não à toa que seu nome é creditado como “cenografia de luz”: é exatamente isso.

Por Leonardo Torres
Pós-graduado em Jornalismo Cultural e mestre em Artes da Cena.

(Foto: Annelize Tozetto)

Ficha técnica
Texto – Tiago Rodrigues;
Direção e Tradução – Thomas Quillardet;
Elenco – Maloue Fourdrinier, Marc Berman, Christophe Garcia, Jean-Toussaint Bernard;
Assistente de Direção – Claire Guièze;
Cenografia de Luz – Sylvie Mélis;
Cenário – Lisa Navarro;
Figurino – Frédéric Gigout;
Diretor de Palco – Titouan Lechevalier;
Técnica de Luz – Lauriane Duvignaud;
Técnico de Som – Damien Rottier;
Legendas: Thomas Quillardet;
Produção: BureauProduire / Cédric Andrieux et Claire Guièze
Ajuda: 8 avril
Coprodução – Le Théâtre-scène Nationale de St. Nazaire, Festival d`Avignon, Théâtre Paul Eluard de Choisy, Théâtre Jean Arp à Clamart, Festival Terres de Paroles, Le Trident scène nationale de Cherboung, La Coupe d`Or à Rochefort. Avec le soutien Du Ministère de la Culture – DRAC, Ile de France et Du CNT, Texte traduit à l`initIative de France Culture, avec le soutien de la Maison AntoiNe Vitez, centre international de la traduction théatrale.

*O crítico viajou a convite do Festival de Curitiba.