Já está definida a lista de finalistas da 8ª edição do concurso de dramaturgia Seleção Brasil em Cena. Foram escolhidas 12 peças entre 418 inscritas. Os textos selecionados são do Rio de Janeiro, Paraná e São Paulo. Eles ganharão leituras dramatizadas feitas por estudantes de artes cênicas em setembro no Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) do Rio. Durante esse processo, o júri e o público votarão em seus favoritos. O (a) vencedor (a) será anunciado (a) no dia 17 de setembro e sua peça será encenada em 2019 no teatro do CCBB-Rio, no Centro.

Dos 12 selecionados, dois nomes se destacam: Lucas Komenchen, do Paraná, e Lucienne Guedes Fahrer, de São Paulo. Cada um está com duas peças na disputa, o que é permitido pelo caráter da disputa. O júri formado por Beatriz Radunsky, Carlos Chapéu, Daniel Schenker e Sérgio Coelho votou nas melhores peças sem conhecer os nomes dos autores. A autoria dos textos só foi revelada depois de definida a lista.

Os finalistas são esses:
O Botão de Certas Flores (Lucas Komechen/PR)
Final Feliz em Nova York (Marcio Azevedo e Léo Nolasco/RJ)
Florbela (Regina Helena de Paiva Ramos/SP)
Hecatombe-Bumbá (Lucas Komechen/PR)
Mulheres do Espelho (Ed Anderson/SP)
As Mulheres Perderam a Guerra (Lucienne Guedes Fahrer/SP)
A Pomba do Papa (Rodrigo de Vasconcellos/RJ)
A Sereia de Paquetá (Alexandre Mota/RJ)
Sexo entre Homens no Século XXI (Rogério Corrêa/RJ)
Solo (Fabrício Branco/RJ)
Suindara (Gilvan Balbino/RJ)
Vendaval (Lucienne Guedes Fahrer/SP)

“A Tropa”, vencedor da última edição do concurso (Foto: Divulgação)

É válido prestar atenção neste concurso. Muitas peças teatrais bem sucedidas saíram desse projeto. “É Samba na Veia, É Candeia”, de Eduardo Riecche, vencedora da 2ª edição, foi indicada ao Prêmio Shell em 2009 de melhor texto. “Tempo de Solidão”, que deu a vitória à Márcia Zanelatto na 3ª edição, foi considerada uma des melhores peças de 2011 pelo jornal O Globo. “A Tropa”, de Gustavo Pinheiro, vencedor da 7ª edição, já fez várias temporadas e está sendo ensaiado para voltar aos palcos.

– No momento em o país vive todas as dificuldades que estamos vendo, sobretudo na área de cultura, um projeto de fomento à nova dramaturgia tem uma importância enorme. É uma oportunidade para que novos dramaturgos sejam inseridos no mercado de trabalho, porque premia com a montagem o melhor texto. Esse para mim é um dos projetos mais importantes da atualidade no país. – enaltece Sérgio Saboya, idealizador do concurso.