Faísca Teatro no Prédio Histórico da UFPR, onde montou sua mostra de micro-teatro (Foto: Divulgação)

A mostra Fringe do Festival de Curitiba, aberta a todos os grupos interessados, recebeu também um quarteto português. André Susano, Anoushka Freitas, Fábio Vaz e João Pires – o Faísca Teatro – viajaram de Lisboa especialmente para participar do evento paranaense, reconhecido como maior festival de teatro do Brasil. Dentro da Fringe, eles montaram a Mostra Portuguesa de Micro-Teatro, com peças de 15 minutos e cerca de quatro apresentações por dia no Prédio Histórico da UFPR.

– Nossa produtora é curitibana, embora viva em Lisboa para estudar e trabalhar. O festival é conhecido lá por ser o maior da América Latina, uma grande vitrine, portanto a gente teve vontade de vir. Não estivemos esgotados aqui e teve dia até com pouco público, mas em regra geral o retorno foi bom. As pessoas aderiram e tiveram vontade de falar conosco depois. – Fábio Vaz conta ao Teatro em Cena.

(Foto: Divulgação)

O Faísca Teatro existe há cinco anos e já passou pelo Brasil outra vez, em 2012, com uma apresentação em Belo Horizonte. Desta vez, mostraram os trabalhos “Encurralados”, “Entrevista de Emprego”, “Homem de Sorte” e “Tecno Sapiens”, além de uma leitura encenada da obra “A Transparência”, de Conceição Gonçalves. “Foi intenso”, pontua Anouschka, que faz parte do grupo há cerca de dois anos.

A mostra de micro-teatro terminou, e agora os jovens têm os dias livres até domingo (9/4) para curtir o resto do festival. “Vamos ver coisas nos próximos dias. Estamos contentes porque o que vimos tem nos agradado muito. Isso também faz parte da experiência”, conclui Fábio.

Em “Tecno Sapiens”, grupo questiona se inspira no uso da tecnologia na contemporaneidade para peça fragmentada, com direito a selfie no meio da apresentação (Foto: Reprodução / Facebook)

*O Teatro em Cena viajou a convite da produção do festival.