Premiações

12º Prêmio APTR: vencedores e detalhes da noite aqui

(Foto: Leonardo Torres)

“Suassuna – O Auto do Reino do Sol”, musical da Cia. Barca dos Corações Partidos, foi o grande vencedor da 12ª edição do Prêmio APTR, realizado na quarta (9/5) e apresentado por Renata Sorrah (de “Preto”) e Jonathan Azevedo (da novela “A Força do Querer”). O espetáculo, que era líder de indicações e concorria em oito categorias, levou quatro troféus: melhor autor (Bráulio Tavares), ator em papel coadjuvante (Fábio Enriquez), figurino (Heloisa Stokler e Kika Lopes) e música (Alfredo Del Penho, Beto Lemos e Chico César). Fato raro: é difícil um musical ser reconhecido em premiações que não criam categorias específicas para o segmento. O drama familiar “Agosto”, que reestreia nesta semana, e o clássico “Hamlet”, da Armazém Cia. de Teatro, foram os outros destaques, cada um com três vitórias.

A cerimônia começou diferente de todas as outras edições. Desta vez, representantes da Secretaria de Cultura e da Rede Globo não estavam lá para discursos de autopromoção. Nem tampouco o apoio deles se fez presente. Reflexo da crise, o Prêmio APTR quase não aconteceu em 2018. Para ser realizado, cortou os comes e bebes; trocou o Imperator pelo Theatro Net, o que significa menos convidados; e também não entregou quantias em dinheiro aos vencedores. O prêmio foi o troféu e o espaço para falar o que quisesse. No geral, os ganhadores abusaram do tempo e fizeram longos discursos, com direito até a leituras de textos de Charles Bukowski (1920-1994), Gregório de Matos (1636-1696)e Henry Miller (1891-1980). Todas as falas pensaram a crise, a profissão e a resistência. “Um povo sem cultura será eternamente um povo colonizado”, disse Beto Lemos, vencedor de melhor música por “Suassuna – O Auto do Reino do Sol”.

(Foto: Leonardo Torres)

Renata Sorrah e Jonathan Azevedo, os apresentadores (Foto: Leonardo Torres)

A ausência de prêmio em dinheiro aparentemente levou o júri a decidir premiar mais pessoas. Quatro categorias tiveram empate, incluindo melhor ator coadjuvante e melhor atriz coadjuvante. Fábio Enriquez (de “Suassuna”) e Claudio Mendes (de “Agosto”) dividiram a vitória, assim como Letícia Isnard (de “Agosto”) e Lisa Eiras (de “Hamlet”). Curiosamente, “Tom na Fazenda” ganhou o título de melhor espetáculo, mas perdeu em todas as outras categorias – diferentemente do que ocorreu em outras premiações. Protagonista e produtor do espetáculo, Armando Babaioff dedicou o momento à Matheusa, estudante de artes da UERJ assassinada neste mês (veja o vídeo aqui).

O clímax da noite aconteceu com a homenagem a Amir Haddad, com a presença de seu Grupo Tá Na Rua no palco. Foi passado um vídeo rápido, sem depoimentos de ninguém, e ele subiu para discursar. Suas palavras levantaram os espectadores, transformaram o ambiente em uma verdadeira festa e emocionaram Camila Amado (de “Como a Gente Gosta”), que estava no gargarejo. Artistas como Françoise Forton (de “Estúpido Cupido”) e Maitê Proença (dirigida por ele em “A Mulher de Bath”) também estavam hipnotizadas e contagiadas. Pareceu que toda a noite culminou naquele momento, com o grupo teatral cantando “dar não dói, o que dói é resistir”. Veja o vídeo do discurso do diretor aqui!

(Foto: Leonardo Torres)

Confira a lista completa de vencedores:

Homenageado: Amir Haddad

Espetáculo: “Tom na Fazenda”

Produção: Morente Forte – “Um Bonde Chamado Desejo”

Ator em papel protagonista: Ary Fontoura – “Num Lago Dourado”

Atriz em papel protagonista: Guida Vianna – “Agosto”

Autor: Bráulio Tavares – “Suassuna – O Auto do Reino do Sol”

Diretor: José Roberto Jardim – “Adeus Palhaços Mortos”

Atriz em papel coadjuvante: Letícia Isnard por “Agosto” e Lisa Eiras por “Hamlet”

Ator em papel coadjuvante: Claudio Mendes por “Agosto” e Fábio Enriquez por “Suassuna – O Auto do Reino do Sol”

Figurino: Heloisa Stockler e Kika Lopes – “Suassuna – O Auto do Reino do Sol”

Cenario: Carla Berri e Paulo de Moraes – “Hamlet”

Música: Alfredo Del Penho, Beto Lemos e Chico César por “Suassuna – O Auto do Reino do Sol” e João Callado por “Zeca Pagodinho – Uma História de Amor ao Samba”

Iluminacão: Paulo César Medeiros por “Hamlet” e Adriana Ortiz por “Monólogo Público”

Parceiro do Teatro: Sesi Centro – Graça Aranha

Especial: Verissimo Junior pelo trabalho no Teatro da Laje

O júri é formado por Bia Radunsky, Daniel Schenker, Lionel Fischer, Luiz Felipe Reis, Macksen Luiz, Maria Siman, Rafael Teixeira, Rodrigo Fonseca, Tânia Brandão e Wagner Correa.

Marco Nanini (Foto: Leonardo Torres)

Maitê Proença (Foto: Leonardo Torres)

Camila Amado (Foto: Leonardo Torres)

Guida Vianna (Foto: Leonardo Torres)

Françoise Forton (Foto: Leonardo Torres)

José Roberto Jardim e Fernanda Nobre (Foto: Leonardo Torres)

Amir Haddad (Foto: Leonardo Torres)

Herson Capri (Foto: Leonardo Torres)

Gustavo Gasparani e Renato Vieira (Foto: Leonardo Torres)

Aline Deluna (Foto: Leonardo Torres)

Kelzy Ecard (Foto: Leonardo Torres)

Michelle Batista (Foto: Leonardo Torres)

Aloísio de Abreu (Foto: Leonardo Torres)

Adriano Garib (Foto: Leonardo Torres)

Otto Jr.

Eliane Costa e André Paes Leme (Foto: Leonardo Torres)

Laura Neiva e Grupo Tá Na Rua (Foto: Leonardo Torres)

Sabrina Korgut (Foto: Leonardo Torres)

Armando Babaioff (Foto: Leonardo Torres)

Clarisse Derzié Luz (Foto: Leonardo Torres)

César Augusto e Marcelo Valle (Foto: Leonardo Torres)

Rebeca Jamir e Adrén Alves (Foto: Leonardo Torres)

Fábio Enriquez e Eduardo Rios (Foto: Leonardo Torres)

Daniel Del Sarto e Amir Haddad (Foto: Leonardo Torres)

Leona Cavalli (Foto: Leonardo Torres)

Comentários

comments

Share: