Plantão

4º Festival Midrash de Teatro: veja programação completa

Com duas peças por noite, festival vai até 12 de agosto

“Euforia”: destaque da semana de estreia do festival (Foto: Rodrigo Turazzi)

Pelo quarto ano consecutivo, o Midrash Centro Cultural, no Leblon, apresenta seu próprio festival de teatro. São 23 espetáculos na programação, que começa nesta segunda (16/7), com os solos “Fricção” de Breno Motta às 19h e “Lima Entre Nós” de Leandro Santanna às 20h30. Você confere detalhes sobre as sinopses logo abaixo. O festival terá sempre dois espetáculos por noite, de segunda à quinta-feira, até 12 de agosto. O ingresso para cada apresentação é R$ 40 (inteira) – com exceção de “Aceita?”, um espetáculo-performance marcado para 5 de agosto: este terá “contribuição consciente”. Neste formato, o espectador paga quanto acha que deve, depois de assistir.

Neste primeira semana do festival, há dois grandes destaques. O primeiro é “Euforia”, monólogo escrito por Julia Spadaccini e apresentado pelo ator Michel Blois. O espetáculo foi indicado aos prêmios Cesgranrio e Botequim Cultural nas categorias texto e ator. Em cena, Michel interpreta dois personagens – um idoso em uma casa de repouso e uma mulher cadeirante – desvendando sua sexualidade considerada inexistente para quem os vê. O segundo destaque é “Lima Entre Nós”, trabalho pelo qual o ator Leandro Santanna concorre atualmente ao Prêmio Shell. É uma homenagem ao escritor Lima Barreto, realizada com recortes de romances, crônicas, cartas e artigos de sua autoria.

“Lima Entre Nós” (Foto: Divulgação)

Confira a programação:

FRICÇÃO

Direção de Morena Cattoni. Dramaturgia e performance de Breno Motta.
16 e 17 de julho | segunda e terça | 19h

O solo narra a trajetória de um personagem que sofreu um abuso sexual aos 9 anos de idade.

Duração: 50 minutos. Classificação indicativa: 16 anos.

LIMA ENTRE NÓS

De Leandro Santanna e Marcia do Valle. Direção de Marcia do Valle. Com Leandro Santanna.
16 e 17 de julho | segunda e terça | 20h30

Solo interpretado pelo ator Leandro Santanna, com direção de Marcia do Valle, homenageia o escritor Afonso Henriques de Lima Barreto, utilizando fragmentos de romances, crônicas, cartas e artigos do jornalista carioca.

Duração: 50 minutos. Classificação indicativa: 12 anos.

O QUADRO

Texto, direção e atuação de Flavia Milioni

18 e 19 de julho | quarta e quinta | 19h

A peça narra a trajetória do quadro que acompanhou a vida da atriz nas mudanças de casa pelas quais ela passou e para onde ela se transportava em sonho como forma de não sucumbir à instabilidade.
Eleita pela VejaRio uma das cinco melhores peças em cartaz em Setembro de 2017.

Duração : 50 minutos. Classificação indicativa: livre.

EUFORIA

De Julia Spadaccini. Direção de Victor Garcia Peralta. Com Michel Blois.

18 e 19 de julho | quarta e quinta | 20h30

Indicada aos Prêmios Cesgranrio e Botequim Cultural de melhor ator e melhor texto de 2017. Dividida em dois solos, um idoso e uma cadeirante, a peça trata do desejo. Um desabafo de personagens que socialmente são olhados como seres assexuados, invisíveis aos olhos do prazer comum.

Duração: 53 minutos. Classificação indicativa: 14 anos.

AOS POMBOS OU À SÍNDROME DOS GATOS

Texto e direção de Oscar Calixto. Com Adriana Bandeira e Oscar Calixto.

23 e 24 de julho | segunda e terça | 19h

Humor, drama e tragédia se entrelaçam sutilmente na discussão metafórica sobre o nosso momento social, político e econômico. Um casal de amigos se encontra diariamente em praça pública e acreditam que não são seres humanos, mas pombos.

Duração: 80 minutos. Classificação indicativa: 12 anos.

UTOPIA D

De Thomas More. Direção e Dramaturgia de Moacir Chaves. Com Josie Antello e Julio Adrião.

23 e 24 de julho | segunda e terça | 20h30

O espetáculo toma como mote o texto “Utopia”, de Thomas More, publicado em 1516. Palavra cunhada por More, “utopia” é fruto de uma fusão do advérbio grego ou – “não” – ao substantivo tópos – “lugar” -, com uma terminação latina. No relato, Utopia é uma ilha recém descoberta, situada em alguma parte do Novo Mundo, cuja descrição é feita por um navegante português, de nome Rafael Hitlodeu.

Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: 14 anos.

SOBRE NÓS

Texto e Direção de Charles Kahn. Com Gabriel Zanelatto, Isabel Lamoglia, Isabelle Nassar, Priscila Belgues, Matheus Quintão e Raquel Menau.

25 e 26 de julho | quarta e quinta | 19h

O espetáculo propõe ao espectador uma experiência sensorial que busca refletir sobre nossos afetos, atitudes e angústias.

Duração: 45min. Classificação indicativa: 12 anos.

PASSARINHO

Texto de Ana Kutner. Direção de Clara Kutner. Com Ana Kutner.

25 e 26 de julho | quarta e quinta | 20h30

Experiências afetivas impulsionaram a atriz, dramaturga e iluminadora Ana Kutner a criar Passarinho, solo escrito e interpretado por ela.

Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: 16 anos.

UM INIMIGO DO POVO

De Henrik Ibsen. Direção de Bruce Gomlevsky. Com os atores formados da CAL no primeiro semestre de 2018: Alline Angeli , Beatriz de Brito, Camila Doring, Daniel de Mello, Gabriel Traballi, Gabriel Albuquerque, Gabriella Scarton, Mikaela Kowatsch, Tercianne Melo, Ricardo Cuba, Willean Reis e Paloma Azeredo.

29 de julho | domingo | 16h e
01 de agosto | quarta | 20h30

Um libelo contra a hipocrisia e a unanimidade. A ética versus a política: proteger a saúde da população ou defender a economia de uma cidade? A ética e a política… Proteger a saúde da população ou defender a economia de uma cidade. UM INIMIGO DO POVO, de Henrik Ibsen, trata dessas questões, dos dilemas e contradições humanas, contribuindo para a reflexão sobre o conturbado mundo em que estamos vivendo.

Duração: 1h50 (110 minutos). Classificação indicativa: 16 anos.

VOZES FEMININAS NA LITERATURA YIDDISH

Org. de Sonia Kramer e Sara Vaisman. Com Sonia Clara Ghivelder, Risa Landau, Sheila Kaplan e Sonia Kramer

29 de julho | domingo | 18h

OT AZOY, DOS IZ YIDDISH! (ISTO É YIDDISH!) é um espaço para vivência e expressão do Yiddishkait, a cultura Yiddish, da música à gastronomia, teatro, literatura, humor e cinema.

Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: livre.

PQP, BRASIL!

Direção e texto de Jitman Vibranovski. Com Betina Viany , Eliene Narducci, Alexandre Lambert, Cláudia Versiani, Gabriel Versiani, Lúcia Farias ou Fátima Wanderley, Marcia Curi ou Dulce Austin, Marcia Galdino e Paulo Sandins.

29 de julho | domingo | 20h

D. Belinha (Betina Viany ou Eliene Narducci) pede ajuda para sua família golpeada e estressada.
Ela mostra um dia de sua família (marido, filhos, irmã e cunhados). Todos estão sofrendo com a situação atual. Uns desempregados, outros com trabalho intermitente, trabalho terceirizado, etc. Estão tensos e estressados e assistem muito televisão. No final, a plateia é convidada a aconselhar D. Belinha.

Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: 12 anos.

REFÚGIO DE ANNE

Direção original do primeiro estudo de Celina Sodré. Dramaturgia e atuação de Giselle Marques

30 e 31 de julho | segunda e terça | 19h

Refúgio de Anne, espetáculo solo interpretado pela atriz Giselle Marques e baseado no livro O Diário de Anne Frank, se passa no último dia de confinamento da família Frank, antes de ser descoberta pelos nazistas. O monólogo mostra que o grito silencioso e solitário de Anne Frank continua ecoando na discriminação, na violência, no racismo, na intolerância e no preconceito, tão presentes ainda nos dias atuais.

Duração: 45 minutos. Classificação indicativa: 12 anos.

ENTRE QUATRO PAREDES

De Jean Paul Sartre. Direção de Walter Macedo Filho. Direção de movimento de Ana Amélia Vianna. Com Adriana Karla Rodrigues, Nanah Garcia, Nina Rosenthal e Pedro Cabizuka.

30 e 31 de julho | segunda e terça | 20h30

Conhecida pela frase “o inferno são os outros”, a peça, escrita em 1944 pelo filósofo, dramaturgo e critico literário Jean-Paul Sartre (1905-1980), traz três personagens que, após sua morte, são condenados a viver juntos, para sempre, em uma sala fechada.

Duração: 90 minutos. Classificação indicativa: 12 anos.

MALDITO CORAÇÃO (Me Alegra Que Tu Sofras)

Texto de Vera Karam. Direção de Isaac Bernat. Com Stela Celanuo.

01 e 02 de Agosto | quarta e quinta | 19h

É um monólogo onde uma mulher fala sobre suas inquietudes e seus desejos sobre um homem que teria amado no passado.

Duração: 50 minutos. Classificação indicativa: 14 anos.

VENTANEIRA, a cidade das flautas

Texto e atuação de Moira Braga. Direção de Morena Cattoni.

05 de agosto | domingo | 16h

Ventaneira é uma cidade fantástica onde os ventos produzem música. Um dia, os ventos cessam e só Rudin, menino que só consegue ver o que suas mãos alcançam poderá ajudar.

Duração: 45 minutos. Classificação indicativa: Livre.

ACEITA?

Direção de Morena Cattoni. Elenco e textos de Daniel Chagas, Gisela de Castro, Karla Dalvi, Marcéli Torquato, Natalia Balbino e Natasha Corbelino.

05 de agosto | domingo | 18h | contribuição consciente

Espetáculo performance onde o público senta-se à mesa com os atores e é convidado a refletir sobre temas atuais.

Duração: 50 minutos. Classificação indicativa: 12 anos.

A LISTA

De Jennifer Tremblay. Tradução de Risa Landau. Direção de Amir Haddad. Com Clarice Niskier.

05 de agosto | domingo | 20h30

A peça é inspirada em um fato verídico, acontecido em uma província canadense. A autora, Jennifer Tremblay, de Quebec, em um texto em forma de lista, aborda nossas responsabilidades com o Outro. Ele nos dá a possibilidade de sermos quem somos, enquanto que o isolamento nos mecaniza de tal forma, que já não sabemos quem somos.

Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: livre.

UM ATO

De Affonso Romano de Sant’anna, Eduardo Galeano, Paulo Leminski, Mario Quintana, Viviane Mosé e Wislawa Szymborska. Direção de Gaby Haviaras e Renato Farias. Com Marcia do Valle.

06 e 07 de agosto | segunda e terça | 19h

UM ATO!, é uma peça-poema, um solo da atriz Marcia do Valle, em 30 anos de ofício. São pequenas histórias e poemas dos escritores e poetas Affonso R. de Santana, Eduardo Galeano, P. Leminski, M. Quintana, Viviane Mosé e Wislawa. Szymborska. Em diálogo com o momento delicado pelo qual o país e o mundo estão vivendo, o Teatro segue fortalecendo seu lugar de coragem, transformação, troca, afeto, liberdade, luta, paixão,…Os textos constroem um caminho de pensamento sobre as violências que temos vivido. Uma mulher é muitas mulheres! O roteiro tem na poesia sua forma de indignação. É também um brinde ao Teatro!

Duração: 55 minutos. Classificação indicativa: 12 anos.

IMAGINA ESSE PALCO QUE SE MEXE

Direção de Moacir Chaves. Com Elisa Pinheiro, Karen Coelho, Luísa Pitta e Monica Biel

06 e 07 de agosto | segunda e terça | 20h30

Relatos de um astrofísico sobre episódios de sua vida e conceitos físicos.

Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: 12 anos.

A NOVA ORDEM DAS COISAS

Monólogo sobre a eterna contradição humana. Direção de Claudia Ventura. Com Alexandre Dantas.

08 e 09 de agosto | quarta e quinta | 19h

No conto, o Diabo, acostumado a ver o desrespeito da humanidade às leis divinas, resolve facilitar tudo fundando sua própria Igreja onde os pecados tornar-se-iam norma de conduta. Através do livre-arbítrio o homem poderia escolher qual Igreja frequentar. O Diabo ganha muitos adeptos, mas, no final, descobre que seus fiéis passam a infringir suas leis para cometer bons atos, deparando-se com a eterna contradição humana.

Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: 12 anos.

MEUS DUZENTOS FILHOS: A vida de Janusz Korczak

Texto de Miriam Halfim. Direção de Ary Coslov. Com Marcelo Aquino

08 e 09 de agosto | quarta e quinta | 20h30
15, 16, 22, 23, 29 e 30 de agosto | quartas e quintas | 20h

Monólogo com Marcelo Aquino no papel de Janusz Korczak, pedagogo, médico e escritor judeu polonês, falando de sua vida e de seu trabalho como fundador e gestor do Orfanato Modelo, em Varsóvia, onde se dedicou, por 30 anos, a formar e educar órfãos, oferecendo a eles instrução e força moral para enfrentar a vida. Ele morreu, junto com seus órfãos, aos quais considerava como seus filhos, no campo de Treblinka em 1942.

Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: livre.

220 CARTAS DE AMOR

Dramaturgia de Renato Farias a partir da correspondência de Maria de Lourdes Lang e Lourenço Renato Medeiros de Farias. Direção de Rafael Sieg. Com Gaby Haviaras e Renato Farias.

12 de agosto | domingo | 18h

Espetáculo criado a partir das cartas trocadas pelos pais do ator Renato Farias, quando eram namorados, entre 1956 e 1962. O pai morava em Porto Alegre; a mãe, em Santa Maria. Décadas depois, ao ler as cartas, é possível perceber que o amor segue lá, vivo e turbulento como costuma ser, e traz consigo histórias de uma época em que as distâncias pareciam maiores e o tempo era realmente outro.

Duração: 85 min. Classificação indicativa: 12 anos.

MARIA!

De Antônio Maria. Direção de Inez Viana. Dramaturgia e atuação de Claudio Mendes.

12 de agosto | domingo | 20h30

A peça é uma organização das crônicas e canções de Antônio Maria, costuradas de modo a constituírem um enredo. O tempo cronológico do espetáculo é o de um dia na vida de Maria, o dia de seu aniversário, mas suas lembranças é que dão o tom biográfico que cria o enredo da peça.

Duração: 60 minutos. Classificação indicativa: 12 anos.

_____
SERVIÇO: R$ 40. De 16 de julho até 12 de agosto. Midrash Centro Cultural – Rua General Venâncio Flores, 184 – Leblon. Tel: 2239-1800.

Comentários

comments