Plantão

Artistas anunciam estreia de espetáculo “gospel às avessas”: entenda!

(Foto: Divulgação)

No contexto de uma cidade com um bispo como prefeito, o espetáculo “O Caos Reina” se anuncia como “gospel às avessas”. Seis artistas formados pela Casa das Artes de Laranjeiras (CAL) vão apresentar um drama contemporâneo apocalíptico a partir de 6 de junho, no Teatro Gonzaguinha, no Centro. A história gira em torno de uma família em dois momentos distintos: durante uma guerra, quando o pai mostra sua fé inquestionável em Deus e prepara uma espécie de nova arca de Noé, e sete anos depois, quando seus filhos, um casal de irmãos, encontram-se isolados em uma caverna que coloca à prova sua criação religiosa. Os pais estão sumidos e a humanidade supostamente foi dizimada. Na caverna, os irmãos têm a companhia da peçonhenta – personagem inspirada na serpente bíblica.

– Antes de se tornar uma expressão popularmente associada à música evangélica nos Estados Unidos e, posteriormente, no Brasil, a palavra “Gospel” deriva de “God-spell”, uma expressão do inglês antigo que significa “boas notícias”. – o dramaturgo e diretor Pedru Maia explica ao Teatro em Cena – O contrário disso é a base da dramaturgia do nosso espetáculo. Todos os eventos das vidas dos personagens são permeados por “más notícias” ou pela espera delas, tendo como pano de fundo um cenário religioso.

(Foto: Divulgação)

Ele criou uma trama que inverte a ordem do “Gênesis” e do “Apocalipse”, livros da Bíblia. A peça é dividida em dois atos: no primeiro, uma tragédia nuclear dá conta do apocalipse e, no segundo, os filhos do religioso vivem um conflito existencial que definirá o futuro do planeta e da humanidade. Como novos Adão e Eva. “Contudo, os personagens estão em um momento em que essa ‘Eva’ não pode ser gratuitamente curiosa ou influenciável. Existe uma contextualidade contemporânea, um diálogo no tocante da igualdade de direitos”, diz o diretor, que promete uma estética enxuta e econômica, inspirada em pinturas rupestres e na Capela Sistina.

Além da Bíblia, outras referências do espetáculo são a obra de Terrence Malick, filmes como “O Sétimo Selo” de Ingmar Bergman e “Anticristo” de Lars Von Trier, e textos como “Alegoria da Caverna” de Platão e “Zona Contaminada” de Caio Fernando Abreu. “Aludimos a necessidade de sair do condicionamento ‘arcaico social’ para irmos a um lugar melhor e igualitário. Precisamos desconfiar das sombras, sair da caverna e enxergar a claridade. E é essencial termos fé e confiança em nós mesmos para percorrer um caminho difícil e nada instantâneo”, explica Pedru Maia, responsável por conduzir o primeiro trabalho da Dos Quintos Cia. Teatral. “Espero entreter, mas também quero instigar. Quero que o público saia do teatro com certa necessidade de conversar sobre o que assistiu e, talvez, sem nenhuma obrigação, pensar em como está o mundo que vivemos hoje e como o desejamos no futuro”.

_____
SERVIÇO: qua e qui, 19h30. R$ 30. Classificação: 14 anos. De 6 até 28 de junho. Teatro Gonzaguinha – Centro de Artes Calouste Gulbenkian – Rua Benedito Hipólito, 125 – Centro. Tel: 2224-5747.

Comentários

comments

Share: