Tudo ao Contrário

Atores de teatro musical celebram a diversidade LGBTQ

Noite de celebração LGBT no teatro musical, o evento anual “Tudo ao Contrário” teve sua 3ª edição na terça (17/4), no Teatro Riachuelo, no Centro. Neste ano, o show beneficente, que arrecada renda para a Sociedade Viva Cazuza, contou com 24 apresentações, nove músicos e dezenas de atores-cantores envolvidos, sem cachê, por prazer de apoiar a causa e celebrar a diversidade. Grandes momentos foram a apresentação de “Geni e o Zepelim”, feita por Stella Maria Rodrigues, a mais aplaudida da noite, e a versão brasileira de “This Is Me”, do filme “O Rei do Show”. A canção, indicada ao Oscar, ganhou letra em português de Bruno Camurati e foi cantada por Kacau Gomes, Lilian Valeska, Helga Nemeczyk e Caio Loki, com direito a performance de acrobatas no palco. Foi o número mais grandioso.

ESPECIAL TUDO AO CONTRÁRIO:
– Vídeo: Atores fazem versão gay de “A Noviça Rebelde”
– Artistas cantam exibindo carteira de trabalho em protesto no palco
– Acho que as pessoas gostaram [de “Geni”] porque foi no emocional de todo mundo. A gente está precisando de histórias comoventes e essa é Chico Buarque, né? – Stella diz ao Teatro em Cena – Eu acho que não sei mais viver sem participar disso. Quando recebi o convite, pensei: “como fazer Geni, que já foi feita por todos grandes atores?” Homens, na verdade. Como contar essa história e manter o público vivo? Fiquei pensando em como fazer. Ser uma mulher modificou: virou a violência contra a mulher. Uma mulher violentada por toda uma cidade. Achei que era o momento.

Stella Maria Rodrigues (Foto: Leonardo Torres)

Os diretores João Fonseca e Reiner Tenente (Foto: Leonardo Torres)

Laila Garin (Foto: Leonardo Torres)

André Dias (Foto: Leonardo Torres)

Zélia Duncan (Foto: Leonardo Torres)

Soraya Ravenle (Foto: Leonardo Torres)

No “Tudo ao Contrário”, o elenco se propõe à inversão de gênero e à subversão de narrativas heterossexuais. Idealizado por Caio Loki, realizado pelo CEFTEM e dirigido por Reiner Tenente (de “Ordinary Days”) e João Fonseca (de “Cássia Eller, o Musical”), o projeto é uma importação do “Broadway Backwards”, que acontece todo ano em Nova York, nos mesmos moldes. Desta forma, o público pôde ver cenas inéditas como dois homens fazendo o dueto “16 & 17” de “A Noviça Rebelde” (coube à dupla Diego Montez e Gabriel Stauffer) e duas mulheres festejando seu amor em “Essa Noite o Amor Chegou” de “O Rei Leão” (número feito por Evelyn Castro e Thati Lopes).

Por conta da conciliação das agendas, os artistas ensaiam separadamente e só se reúnem todos no próprio dia do evento. Com isso, percalços aconteceram, perdoados pelo público. André Dias esqueceu a letra de “The Man I Love”, Laila Garin pediu para repetir uma parte de “Beatriz” e um número previsto no programa – “Folhetim”, na voz de Ney Latorraca – não aconteceu. Em contrapartida, a plateia teve ótimas apresentações de Zélia Duncan (com “Faz Parte do Meu Show”), Soraya Ravenle (com “Homem com H”) e Reiner Tenente (com “Forget About the Boy”), que teve direito a sapateado.

É sapateado que você quer, @? #tudoacontrario #tudoaocontrario3 #teatroemcena

Uma publicação compartilhada por Teatro em Cena (@teatroemcena) em

No quesito coreografia, além de “Forget About the Boy”, os números que chamaram mais atenção foram Thiago Machado e Ícaro Silva com “Nowadays” de “Chicago”, Hugo Kerth e Leo Bahia com um medley de “Hairspray” e duas repetições do ano passado: “É uma Partida de Futebol” e “Sou Gay e Tudo Bem” (paródia de “Another Day Of Sun” de “La La Land”). Foi a primeira vez de Thiago no evento, já que ele trabalha mais em São Paulo.

– No ano passado, eu estava lá fazendo “Cantando na Chuva” com o Reiner e ele me convidou, porque eu estaria aqui no Rio fazendo “Romeu e Julieta”. Eu até então não sabia o que ia fazer. Inicialmente, seria um número de “West Side Story”, depois mudaram para “Nowadays”. Uma delícia! É essencial a gente fazer isso nos tempos que a gente está vivendo agora. A causa é maravilhosa!

No fim, os espectadores ganharam um medley de “Kinky Boots”, com direito a sample de “Born This Way” da Lady Gaga e presença de drag queens no palco. Terminou jogando a energia pra cima. Um comentário geral é que todo mundo gostaria de ver de novo. Mas agora só em 2019.

Jullie (Foto: Leonardo Torres)

Bruno Fraga, Pablo Áscoli, Felipe Habib, Renan Mattos e André Guedes (Foto: Leonardo Torres)

Saulo Segreto (Foto: Leonardo Torres)

Claudio Galvan (Foto: Leonardo Torres)

Izabela Bicalho (Foto: Leonardo Torres)

Claudio Lins (Foto: Leonardo Torres)

Reiner Tenente (Foto: Leonardo Torres)

Gustavo Gasparani (Foto: Leonardo Torres)

Comentários

comments