Plantão

Caso Claudio Botelho repercute: leia o que os artistas estão falando

Protagonista da polêmica do fim de semana, o diretor Claudio Botelho (de “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos”) está na boca do povo. Além do seu posicionamento político (a favor do impeachment), que gera discordância parcial, pegou muito mal o áudio vazado no domingo (20/3). Em conversa com Soraya Ravenle (também da peça), se ouve Claudio dizer que “o ator que está em cena é um rei, não pode ser peitado por um negro, por um filho da **** que está na plateia”. Ele deu uma entrevista explicando que falou “nego”, com significado de “cara”, e não negro – mas não convenceu ninguém.

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

PERDEU O CASO? LEIA:
– Claudio Botelho é bombardeado no Facebook após crítica ao governo
– Chico Buarque proíbe Claudio Botelho de usar suas músicas

As opiniões estão divididas. O cantor Leoni se posicionou contra a divulgação do áudio vazado – algo que fez Claudio acionar seus advogados, aliás. “Parece que o direito à privacidade virou velharia do século XX”, escreveu o artista. Andrea Marquee também foi por esse lado, chamando de “trairagem” a gravação feita no camarim. A roteirista Rosana Hermann, por sua vez, concordou que o áudio desautorizado é lamentável, mas que “tanto faz, o conteúdo conta”.

O ator Aílton Graça chamou discurso de Claudio Botelho de “raivoso, preconceituoso, cheio de ódio”. Artur Xexéo ressaltou que “é inadequado usar um espetáculo sobre a música de Chico Buarque para este tipo de protesto”. A cantora Marina Lima concordou: “como quer usar a obra do Chico para criticar o que ele defende? Burro!”. Pedro Neschling foi além: “tudo que o Claudio Botelho disser que é e pensa, eu sou e penso o contrário”.

Confira os depoimentos postados nas redes sociais – todos em modo público:

Leoni, cantor
“Por mais racista que seja a fala do diretor teatral Cláudio Botelho, é inaceitável e criminosa a divulgação de uma conversa particular captada no camarim à sua revelia. Parece que o direito à privacidade virou velharia do século XX. E mesmo que ele processe o criminoso, o dano à sua imagem é irreversível. Vivemos em tempos escuros de glorificação do dedo-duro!”

Artur Xexéo, dramaturgo e roteirista
“Todo mundo sabe a posição do Chico. É inadequado usar um espetáculo sobre a música dele para este tipo de protesto”

Bruno Mazzeo, ator
“Podia ter sido pior: Botelho podia ter falado tudo cantando!”

Marina Lima, cantora
“Que imbecil esse Claudio Botelho, Sai fora! E o público da peça está de parabéns. Os brasileiros não aguentam mais nenhum tipo de manipulação. Esse idiota não sabe a posição do Chico? Como quer usar a obra dele pra criticar o que ele defende?? Burro!!!”

Pedro Neschling, ator
“Não tenho crise de identidade. Tudo que o Claudio Botelho disser que é e pensa, eu sou e penso o contrário”.

Tereza Seiblitz, atriz
“Soraya Ravenle, sua linda
Clareou pontos importantes dessa discussão: o ódio cego, a dificuldade de ouvir o outro do Botelho, a confusão louca que ele faz entre ‘Roda Viva’ na ditadura e a fala dele contra Dilma. Caramba, como pode fazer uma confusão dessa!!! Outro equívoco louco: TEATRO é ENCONTRO, a princípio de amor. E no amor não há SOBERANO!!! O amor não tem dono!!!
Não entendo a graça de fazer teatro desse jeito”

Ana Rios, atriz
“E ainda mais essa..
Pelo menos tem a Soraya Ravenle sendo musa, deusa! E nos fazendo lembrar de ser doces !! Sempre. Mas ainda assim – criminoso e perigoso. ‪#‎vetachico‬”

Caetano Vilela, diretor
“Um artista leva metade da sua vida construindo uma carreira de sucesso e outra metade para destruí-la com a sua vaidade! Triste realidade.”

Andrea Marquee, cantora
“Agora, gente, trairagem grande é grampear o ator no camarim… que que é isso? Perderam-se todos os valores? O que acontece no camarim, fica no camarim, não era esse o pacto entre elegantes, uai? Rsrsrsrs Importa é que quando um assunto bate na bunda do teatro, todo cuidado é pouco.”

Yuri Ribeiro, ator
“Nos momentos mais íntimos, nos menores espaços, nos mais escuros, nas impensadas palavras, nos brados de ira, nessas ocasiões seus monstros gritam, suas verdades vem à tona. Que toda a verdade sórdida seja engolida pela própria vaidade de quem a deixa escapar. Que seu ego se infle ao ponto de explodir. Que tenha bons motivos para pensar antes de falar. E que esses motivos façam chorar e pensar”.

George Luis Prata, ator
“A pessoa monta ‘Um Violinista no Telhado’ e ‘Hair’ e não aprende nada?”

Caio Loki, ator e produtor
“Acordei enojado com um áudio vazado de um famoso diretor de musicais brasileiro. Não vou repostar o link do áudio – adquirido ilegalmente – pois não quero me rebaixar ao nível dos que o fizeram com a minha presidente, algo que o tal diretor defendeu eloquentemente em seu Facebook há alguns dias.
Só queria dizer que alguém que grita aos sete ventos – seja no privado ou no âmbito publico – que é um absurdo um ‘negro, bandido’ parar um espetáculo no meio NÃO PODE FAZER TEATRO. Não merece fazer teatro. Não entende o teatro.
Uma pena a classe de teatro musical não estar falando muito sobre isso nas mídias sociais. Entendo todos os motivos pelos quais não o fazem. Mas tem uma coisa que é certa: esse não é o momento de se calar diante de um absurdo como esse.
A revolução não vai ser televisionada.”

Dennis Pinheiro, ator
“Gente, vem aí um novo musical: Como Perder Todos os Musicais de Chico em Alguns Minutos. (via Gleyson Spadetti).
*tô tão chocado com o que ouvi do áudio que só posso fazer piada, pra não xingar.”

Mika Lins, atriz
“Os áudios do teatro superando os dos políticos. Que fase minha gente , que fase”

João Paulo Cuenca, escritor
“Esse Claudio Botelho sempre foi um imbecil”

Roger Moreira, músico do Ultraje a Rigor
“Botelho, manda ele enfiar no cu. Está na moda. RT @UOLNoticias: Chico Buarque proibirá Claudio Botelho de usar suas canções”

Rosana Hermann, roteirista
“Cláudio Botelho foi racista, um horror.
Esse áudio lamentável, foi feito com autorização dele? Não sei, mas
Veja que TANTO FAZ, O CONTEÚDO conta”

Ivam Cabral, ator
“Claudio Botelho é mau caráter. Já achincalhou com os teatros da Roosevelt. Se promove às custas do sucesso dos outros. Burguês é esse teatro que pensa que o ‘ator é um rei’. Como bons operários, somos guerrilheiros e estamos na arena para o embate de ideias.”

João Rodrigo Ostrower, ator e dramaturgo
“Miga, se liga que o teatro, mais uma vez, tá fazendo a professora e dando AULA pra gente.
A peça não é sua e vocês, com toda a raiva, preconceito, moralismo e hipocrisia, NÃO PASSARÃO.”

Marcelo Asth, performer
“(…) O analfabeto político é tão burro. Tudo é político. Ação humana. Abra os olhos. O diretor xinga um espectador, diz que um “negro filho da puta” não pode peitar o espetáculo que é DELE! Ele fala o que quer, o que pode. O povo reage. Mas a peça é dele. O povo reage a um estranho golpe que se dissemina em dez mil camadas rizomáticas pelo país e ele lê como ditadura. Pararam meu sonho, meu luxo, o banco vai me cobrar… Escândalo. Botelho, o rei do musical. Chico Buarque foi opção consciente de criação de cena? Chico é da luta, do povo, por mais que também parte da máquina. Consciência. Esforço pela. Botelho escolheu Chico pela poesia que serve bem ao seu bolso? À sua ideologia, não. Conheça o autor. Se conhecesse, não seria irresponsável de produzir ruído. E se produziu, assuma, aceite. Não vá meter no terreno poético político de Chico a sua fajutice, seu ódio recalcado. Isso nem falando de luladilma, não quero falar deles. (…)”.

Mayara Maia, atriz
“Se cair o Claudio Botelho, quem assume é o Charles Möeller?”

Aílton Graça, ator
“Estas foram as palavras do diretor Claudio Botelho em BH ao bater boca com a plateia. Agora nós negros somos alvo desse discurso raivoso, preconceituoso, cheio de ódio. E é no palco com uma peça de Chico que este sujeito destila seu racismo. Repudio e condeno a atitude deste sujeito. # racistas não passarão.”

Matheus Silvestre, ator
“Nos bastidores, no desenrolar da confusão, o diálogo entre Claudio e Soraya Ravenle revela o perigo de se esquecer que somos todos humanos, que vivemos em grupo, que todos somos iguais e devemos respeitar o todo, que para toda ação existe uma reação, que o preconceito escancara nosso lado sombrio de achar que somos melhores em detrimento de um outro semelhante (e por isso, a sociedade combinou que é crime), que é altamente destrutivo sentir que se detém o poder para julgar o que há de pior no Brasil. A tudo isso, fica o amor de Soraya que emociona e sensibiliza, que tenta chamar Claudio ao presente, que clama por união, liberdade, respeito. Soraya, obrigado com toda a minha alma por ter ressaltado o quanto precisamos amar e de amor. Mais amor!!!”

Igo Ribeiro, ator e professor
“OS ARAUTOS DO REI MANDAM AVISAR QUE, A PARTIR DE AGORA, TODA E QUALQUER OBRA ARTÍSTICA OU PÚBLICA, DEVERÁ AGRADAR À CORTE E SEUS BAJULADORES. QUALQUER DEMONSTRAÇÃO CONTRÁRIA ÀS REGRAS SERÁ VAIADA E CLASSIFICADA COMO GOLPE. E FICA ACORDADO QUE AS CANÇÕES DO BARDO BUARQUE DE HOLANDA, SERÃO USADAS, SOMENTE, PARA OS FESTEJOS DA CORTE. QUEM USÁ-LAS PARA OUTRO FIM, SERÁ EXECRADO EM PRAÇA PÚBLICA E CONSIDERADO TRAIDOR DESSA MONARQUIA DEMOCRÁTICA. FIQUEM COM DEUS.
O ‘diretor racista’, também, está com um musical – inclusive apresentado em Ouro Preto, de graça – com músicas do Milton Nascimento. Mas, isso não interessa, né? Bora massacrar o cara!!! Qual é a palavra que vocês usam, mesmo? Ah! Midiático!!!”

André Gabeh, músico
“Gente… Pera…
Ele falou um NEGRO ou um Nêgo???
Não quero ser o advogado do diabo. Só preciso ver as coisas com calma.
Me ajudem!”

Rodrigo Rosado, ator
“O novo jargão do teatro brasileiro:
A PEÇA É MINHAAAAAAAAAAA!!!”

Flora Paulita, atriz
“Parece que alguém vai ter que começar a produzir musicais com as musicas da Wanessa Camargo”.

Daniel Chaudon, músico
“ACABOU PRA VOCÊ DARLING!!!”

Camilo Pellegrini, ator e diretor
“Senta lá, Claudio”

Comentários

comments

Share: