Plantão

Conheça o elenco carioca de MPB – Musical Popular Brasileiro

“MPB – Musical Popular Brasileiro”, dirigido por Jarbas Homem de Mello (de “Constellation” e “Divas”), estreia sua temporada carioca na próxima sexta (10/8) no Teatro Sesc Ginástico, no Centro. Depois de quatro meses de temporada em São Paulo, o espetáculo passou por algumas alterações em seu elenco. Aqui você conhece todos os nomes que serão vistos no palco de sexta a domingo até 9 de setembro.

(Foto: Érik Almeida)

O trio protagonista é formado por Negra Li (de “Jesus Cristo Superstar”), Érico Brás (de “Forrobodó”) e Reiner Tenente (de “Cantando na Chuva”). Na história, a filial brasileira de uma multinacional prepara um musical para impressionar seus investidores estrangeiros, mostrando o que acreditam que o Brasil tem de melhor – sua música e seu povo. Mas o diretor do espetáculo tem um piripaque dias antes da estreia e chega à porta do céu, onde encontra dois anjos caídos fugidos do inferno. Negra Li interpreta Suzete Campos, uma atriz de musicais. Érico e Reiner fazem os anjos Jura e Gero.

Ainda neste núcleo, há Danilo de Moura (de “Rio Mais Brasil – O Nosso Musical”), como stand-in de Jura. O personagem do diretor é desempenhado por Marcelo Góes (de “O Palhaço e a Bailarina”). O time é completado por Dagoberto Feliz (de “Palhaços”) e Vivian Albuquerque (de “A Madrinha Embriagada”).

(Foto: Érik Almeida)

O ensemble é composto por Carol Tanganini (de “Divas – O Musical”), Leilane Teles (de “Chacrinha – O Musical”), Mariana Barros (de “Cantando na Chuva”), Nina Sato (de “Cantando na Chuva”), Eduardo Leão (de “BarbarIdade”), Leandro Naiss (de “Cantando na Chuva”), Oscar Fabião (de “Vamp – O Musical”), Sophie Dalamancco, Débora Polistchuck (de “Rapsódia – O Musical”), Lucas Becerra (de “Os Aventureiros no Reino Congelado”), Rodrigo Fernando (de “Cartola – O Mundo É um Moinho”) e Leonardo Rocha (de “Vamp – O Musical”). Além dos atores, estão no palco nove músicos.

O musical – escrito por Enéas Carlos Pereira e Edu Salemi (dupla de “Ataulfo Alves – O Bom Crioulo”) – recebeu críticas mistas em São Paulo. “O recurso de um espetáculo dentro do próprio espetáculo nos auxilia na autoironia, ou seja, na capacidade de rirmos de nós mesmos”, explica Enéas. Para Jarbas Homem de Mello, é um espetáculo “atemporal” que permite que os espectadores cantem junto.

_____
SERVIÇO: sex e sáb, 19h; dom, 18h. R$ 30 (ou R$ 7,50 para associados Sesc). 105 min. Classificação: 12 anos. De 10 de agosto até 9 de setembro. Teatro Sesc Ginástico – Avenida Graça Aranha, 187 – Centro. Tel: 2279-4027.

Comentários

comments

Share: