Está em cartaz uma nova peça da premiada dramaturga Renata Mizrahi, mesma autora de “Galápagos”, “Os Sapos”, “Chica da Silva – O Musical” e “Rio Mais Brasil – O Nosso Musical”. O título é “Colisão” e a peça foi escrita a pedido do ator Ricardo Ventura (de “Um Estranho No Ninho”), que protagoniza o espetáculo, dirigido por Alexandre Contini (de “Casório”). No palco, Ricardo faz um ator estagnado na carreira, pai de um adolescente de 17 anos, que vai morar com ele após a morte da mãe. Os dois não se viam há mais de um ano, pouco se conhecem e o filho culpa o pai por isso. Quando os pais se separaram, ele foi com a mãe para o interior e o pai ficou na cidade grande por conta das oportunidades da profissão – todas aparentemente desperdiçadas. O desconforto da falta de intimidade impera, apesar do laço sanguíneo. O reencontro é, de fato, uma colisão.

(Foto: Divulgação)

São três atores em cena. Além de Ricardo, há Gabriel Bulcão (de “Então…”) na pele do filho e Elisa Pinheiro (de “Entonces Bailemos”) como a vizinha de prédio apaixonada por esse ator e pai decadente, sempre disposta a implorar migalhas de seu afeto. De maneiras diferentes, mas harmônicas, são atuações elogiáveis. Ricardo está brilhante como o homem que quer recuperar o tempo perdido como pai e ator, amedrontado em ambos os papéis – o familiar e o profissional. Ótimo ator! Gabriel dá conta de um personagem mais introspectivo, com aversão ao contato com aquele homem, então se comunica muito mais com a manifestação física da repulsa do que com as falas do texto. Elisa, por sua vez, é a luz que invade aquela casa, uma personagem cheia de vitalidade e humor, mas desvalorizada pelo amado. A atriz desempenha sua função com naturalidade. Pouco a pouco, cada personagem “colide” com o que foge: o pai com a necessidade de sair do status quo se quiser uma mudança, o filho com o fato de que não tem outro pai, e a vizinha com a necessidade de melhorar sua autoestima antes de querer ser estimada por outra pessoa.

O texto de Mizrahi acompanha o passar do tempo nesta casa, com as entradas e saídas desses personagens. São diálogos ágeis e dinâmicos, que entremeiam colisões e aproximações possibilitadas pela arte – representada nos ensaios do ator para os testes que se propõe a fazer. Todas as cenas são ambientadas na sala, cenário criado por Lorena Lima (com algumas cadeiras, uma mesa de centro, uma mesa com televisão tubinho, um telefone de fio…), suficiente para mostrar que o apartamento não acompanhou a evolução do mundo e que não é muito maior do que aquilo que se vê. As marcações da direção são claras na construção da geografia do ambiente. Uma crítica a ser feita é a escolha desse espaço único para a história: sendo o filho tão avesso ao convívio com o pai, me parece pouco crível que ele esteja tão disponível na sala: adolescentes, de um modo geral, trancam-se nos quartos, ainda mais nesse caso. Isso não compromete a verossimilhança da história, mas é um movimento questionável do personagem.

O cenário e os figurinos (de Ticiana Passos) indicam o desgaste e o desânimo do protagonista, em contraste com a juventude do filho e a vaidade da moça, sempre tentando ser enxergada. A iluminação (de Paulo César Medeiros) trabalha com holofotes e adereços cênicos, como uma lâmpada e uma luminária, que ajudam a deixar o cenário mais crível e aconchegante. O desenho de luz é sofisticado e colabora na comunicação dos personagens. É uma boa produção.

Por Leonardo Torres
Mestre em Artes da Cena e pós-graduado em Jornalismo Cultural.

(Foto: Divulgação)

Ficha técnica
Texto: Renata Mizrahi
Direção: Alexandre Contini
Elenco: Elisa Pinheiro, Ricardo Ventura e Gabriel Bulcão
Cenários: Lorena Lima
Figurinos: Ticiana Passos
Iluminação: Paulo César Medeiros
Música Original e Direção Musical: Gimmy
Design Gráfico: Lucas Toledo
Fotos: Rafael Jannuzzi e Luís Filipe Gomes
Assessoria de Imprensa: Daniella Cavalcanti
Idealização e Produção: Ricardo Ventura

_____
SERVIÇO: qua a dom, 19h. R$ 40. 70 min. Classificação: 12 anos. Até 27 de maio. Teatro Glauce Rocha – Avenida Rio Branco, 179 – Centro. Tel: 2220-0259.

Comentários

comments

Share: