Crítica

Crítica: Simples Assim

Livros de Martha Medeiros são adaptados para o teatro há anos. “Divã”, com Lilia Cabral, e “Doidas e Santas”, com Cissa Guimarães, são os maiores sucessos da escritora gaúcha nos palcos. Os dois espetáculos têm direção de Ernesto Piccolo, que agora materializa teatralmente outra coletânea de crônicas de Martha no teatro, “Simples Assim”, com Julia Lemmertz (de “A Tragédia e a Comédia Latino-Americana”), Georgiana Góes (de “Pequenos e Grandes Gestos de Despedida”) e Pedroca Monteiro (de “Desesperados”) no elenco. A ficha técnica é mesmo atrativa. Martha, com alto potencial de comunicação com o público, Lemmertz, que só tem se envolvido com espetáculos consistentes, Georgiana e Pedroca, que vem de bons trabalhos com humor, e Piccolo, que acertou duas vezes envolvendo as crônicas da gaúcha. Juntos, estão tratando de simplicidade e de felicidade.

(Foto: Victor Hugo Ceccato)

O texto adaptado é de Rosane Lima e da própria Martha e nele consistem os maiores problemas. A transposição da crônica escrita para a embocadura dos personagens é artificial, até mesmo tosca. Muitas falas resultam pouco dramatúrgicas, trazendo trechos grandes das crônicas. Muito dissertativas. É como se cenas fossem criadas apenas para ilustrar uma declamação dos personagens, que tem mais jeito de TED Talk. Outras são pueris e simplórias, desenvolvendo pobremente seu argumento e suas intenções. A primeira cena redondinha aparece lá para a quarta historinha. O espetáculo é composto por cenas com início, meio e fim e interligadas entre si por meio dos personagens. Por exemplo, a diretora do telejornal na primeira cena é a amiga que prega o desapego na segunda cena, e por aí vai. As tramas são conectadas por personagens comuns. Essas primeiras cenas, aliás, duram muito mais que o necessário na tentativa de fazer render uma ideia simples – seja a de que o noticiário não é inspirador ou a de que é preciso deixar espaço aberto para o acaso. O texto não é bom e o teor crítico (seja ao vício à Internet, seja à imprensa) não se sustenta por muito tempo.

Julia, Georgiana e Pedroca defendem com convicção as histórias e os variados personagens, mas as limitações da peça às vezes se sobrepõem. As autoras apostam em um humor que nem sempre funciona, e isso fica nítido com a plateia. Há, sim, momentos muito engraçados e esquetes ótimos – como a da mulher recém-abandonada pelo namorado desabafando com a dublê de sua irmã – mas os ruins incomodam. Julia Lemmertz parece se divertir com as possibilidades de uma comédia leve. Georgiana e Pedroca dominam a linguagem e, juntos, os três formam um bom time.

A atuação do elenco se dá diante de um cenário tecnológico de Clivia Cohen, com telas que recebem o videografismo de Rico e Renato Vilarouca. Os atores chegam a interagir com a ela, em cenas como a do âncora de telejornal que surta “ao vivo” e a da mulher que é dispensada pelo namorado via Whatsapp. Esses exemplos representam momentos em que o artifício se justifica e é bem explorado. Há outras situações, como o cenário digital de uma casa bagunçada, em que a tecnologia torna a cena patética. Pode ser a intenção. Os figurinos de Helena Araújo e todas as perucas usadas pelo elenco reforçam a comicidade de não se levar a sério. A trilha sonora de Rodrigo Penna embala emoções. A luz de Felicio Mafra conduz a plateia na direção de Piccolo, que extrapola os limites do palco, utilizando toda a sala habilmente.

Por Leonardo Torres
Mestre em Artes da Cena e especialista em Jornalismo Cultural.

(Foto: Victor Hugo Ceccato)

Ficha técnica

Produção Geral e Idealização: Gustavo Nunes

Texto: Martha Medeiros e Rosane Lima

Direção Artística: Ernesto Piccolo

Elenco: Julia Lemmertz, Georgiana Góes, Pedroca Monteiro

Cenário: Clivia Cohen

Videografismo: Rico Vilarouca / Renato Vilarouca

Figurinos: Helena Araújo

Luz: Felicio Mafra

Trilha Sonora: Rodrigo Penna

Designer e fotos: Victor Hugo Ceccato

Preparação Corporal: Cristina Moura

Preparação Vocal: Rose Gonçalves

Assistente de direção: Neuza Caribé

Produção executiva: Glauce Carvalho

Coordenação de Produção: Lúcia Souza

Marketing/ Designer: Juliana Della Costa

Assistente Designer: Bruno Karvan

Uma produção original: Turbilhão de Ideias Entretenimento

Apresentado por Bradesco Seguros

Patrocínio: FURNAS e ONS

Apoio: Lojas Pompéia e Veirano Advogados

_____
SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 19h. R$ 80 (sex) e R$ 100 (sáb e dom). 20% dos ingressos serão vendidos a preços populares de R$ 50. Até 28 de julho. Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2239-1095.

Comentários

comments