+ TeatroEm Cartaz

Agenda – Fevereiro de 2018


60! – Década de Arromba – Doc. Musical
emcartaz-60docmusical Representante maior do movimento da Jovem Guarda, a cantora Wanderléa faz sua estreia em musicais num espetáculo que faz um passeio musical pela década de 1960, com seus principais fatos e acontecimentos. Um doc. musical emocionante e divertido para toda a família. Com Wanderléa e outros. Roteiro de Marcos Nauer, com direção de Frederico Reder. SERVIÇO: qui a sáb, 20h30; dom, 17h. R$ 50 a R$ 160 (qui e sex) e R$ 50 a R$ 180 (sáb e dom). 180 min. Classificação: 14 anos. Até 4 de março. Theatro Net Rio – Rua Siqueira Campos, 143 – Copacabana. Tel: 2147-8060.

AWKWA
O espetáculo dialoga com a performance, o teatro físico e a dança. Ele aborda a experiência de viver em um novo lugar, um novo país, da estranha sensação de sentir-se inadequado todos os dias. Um sentimento que não é incomum – podemos nos sentir estrangeiros em nosso país, em nossa cidade, às vezes mesmo em nossa própria pele. Texto e atuação de Marta Chaves e Dado Amaral, com direção Dado Amaral, Marta Chaves, Viviana Méndez Moya – com colaboração especial de Adriana Schneider Alcure. SERVIÇO: sáb e seg, 21h; dom, 20h. R$ 40. Clasificação: livre. Até 26 de fevereiro. Espaço Cultural Municipal Sérgio Porto – Rua Humaitá, 163 – Humaitá. Tel: 2535-3846.

Bibi – Uma Vida em Musical
Biografia musical de Bibi Ferreira, que está com 95 anos e em plena atividade profissional. No espetáculo, a história familiar, profissional e amorosa da artista se enredam. O musical perpassa desde a escolha de seu nome até sua chegada a um teatro da Broadway aos 90 anos de idade. Com Amanda Acosta, Chris Penna e outros. Texto de Artur Xexéo e Luanna Guimarães, com direção de Tadeu Aguiar. SERVIÇO: qui e sex, 20h30; sáb, 17h e 21h; dom, 19h. R$ 50 até R$ 150. 140 min. Classificação: 10 anos. Até 1º de abril. Teatro Oi Casa Grande – Avenida Afrânio de Melo Franco, 290 – Leblon. Tel: 2511-0800.

Boa Sorte
A reflexão sobre a busca pela felicidade, a beleza do simples, o poder da visão positiva sobre os fatos e a influência do inesperado sobre o curso é o fio condutor do espetáculo solo. A comédia dramática conta a história de Paulo, um homem comum, de 32 anos, morador da Zona Sul do Rio de Janeiro, classe média baixa, funcionário público que vive preocupado com as inúmeras contas que aparecem todo mês e opera milagres para se manter com o salário que recebe. Na esperança de ter sua vida transformada, joga sempre na Loteria Federal, com a mesma sequência e na mesma Casa Lotérica. Esse é o seu projeto de felicidade. Com texto, direção e atuação de Thiago Prado. SERVIÇO: qui e sex, 20h. R$ 20. Classificação: 12 anos. Até 23 de março. Teatro Cesgranrio – Rua Santa Alexandrina, 1011 – Rio Comprido. Tel: 2103-9682.

Boca de Ouro
Boca de Ouro (Malvino Salvador) é um lendário bicheiro carioca, figura temida e megalomaníaca, que tem esse apelido porque trocou todos os dentes por uma dentadura de ouro. Quando Boca é assassinado, seu passado é vasculhado pelo repórter Caveirinha (Chico Carvalho), que vai até a casa da ex-amante Guigui (Lavínia Pannunzio). Lá, ouve a versão da ex-amante, que desanca o bicheiro. Ao saber de seu assassinato, Guigui se arrepende e exalta Boca como uma figura amorosa. Já no terceiro ato, Guigui volta a desancar o bicheiro, pois teme ser abandonada pelo marido Agenor (Leonardo Ventura). Nas três versões relatadas, surge o casal Celeste (Mel Lisboa) e Leleco (Claudio Fontana), que tem relação direta com o assassinato de Boca de Ouro. Texto de Nelson Rodrigues, com direção de Gabriel Villela. SERVIÇO: sex e sáb, 19h; dom, 18h. R$ 30. 110 min. Classificação: 14 anos. Até 25 de fevereiro. Teatro Sesc Ginástico – Avenida Graça Aranha, 187 – Centro. Tel: 2279-4027.

O Buraco
A escavação de um buraco é o pano de fundo para esta história. O conflito é gerado a partir das reflexões sobre o porquê e pra quê se cavar um buraco. O texto passeia por gêneros não naturalistas, flertando com o niilismo, com o simbolismo e se assumindo como absurdo. Entre momentos cômicos, poéticos e reflexivos, o texto transcorre em um ritmo cheio de nuances e recheado de sugestões para a plateia, usando da subjetividade para democratizar o espetáculo. Com Marcia Aicram e Marcelo Evangelista. Texto e direção de Reynaldo Barreto Lisboa. SERVIÇO: sex a dom, 19h. R$ 20. 60 min. Classificação: 10 anos. Até 4 de março. Teatro Glauce Rocha – Avenida Rio Branco, 179 – Centro. Tel: 2220-0259.

Um Casamento Feliz
Após ser beneficiado em um testamento, Henrique se vê obrigado a casar-se devido a uma condição no documento, onde precisa manter um casamento feliz, por um período mínimo de um ano. A partir dai, desenrolam diversas situações cômicas na vida desse solteirão convicto. Com Eri Johnson, Renato Rabelo e outros. Texto de Gerald Bitton e Michel Munz, com direção de Eri Johnson. SERVIÇO: qui a sáb, 21h; dom, 20h30. R$ 70 (quinta), R$ 80 (sexta e domingo), R$ 90 (sábado). 90 min. Classificação: 12 anos. Até 28 de fevereiro. Teatro Vannucci – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2239-8545.

Cauby! Cauby!
Biografia musical do cantor Cauby Peixoto. Conduzida por sua fiel escudeira, D. Nancy, a peça vai e volta no tempo, remontando os grandes sucessos musicais do cantor, para contar cenas da vida do artista. O espetáculo relembra ainda grandes amigos e cantores, fundamentais em sua carreira, como Ângela Maria, Nara Leão, Emilinha Borba, Lana Bittencourt, Maysa Matarazzo. Com Diogo Vilella, Sabrina Korgut e outros. Texto de Flávio Marinho, que divide a direção com Diogo Vilella. SERVIÇO: qui a sáb, 19h; dom, 18h. R$ 80. 120 min. Classificação: 12 anos. Até 11 de março. Teatro Carlos Gomes – Praça Tiradentes, s/n – Centro. Tel: 2224-3602.

Clarice Lispector & Eu – O Mundo Não é Chato
emcartaz-claricelispectoreeu Na peça, atriz (Rita Elmôr) e escritora (Clarice Lispector) se misturam ao contar as suas histórias. Por vezes a história de uma serve à história da outra – no decorrer da ação, nem sempre sabemos quem está falando. Com leveza e humor, e como numa conversa entre amigos, a peça convida o público a refletir sobre diversas situações do cotidiano. Com legendas em inglês. Adaptação e interpretação de Rita Elmôr, com direção de Rubens Camelo. SERVIÇO: sex a dom, 19h30. R$ 60. 60 min. Classificação: 14 anos. Até 11 de março. Teatro Maison de France – Avenida Presidente Antônio Carlos, 58 – Centro. Tel: 2544-2533.

Corta!
Comédia ambientada em um salão de beleza. A cada apresentação, uma espectadora terá seu cabelo cortado. Esta será escolhida mediante sua história na página da peça, no Facebook. A pessoa terá que, com antecedência, escrever página e explicar o porquê que gostaria de cortar o cabelo. Texto de Vinicius Soares e Marcio Azevedo, que assina a direção. SERVIÇO: qui a sáb, 21h; dom, 20h. R$ 60 (qui, sex e dom) e R$ 80 (sáb). 90 min. Classificação: 14 anos. Até 2 de julho. Teatro Clara Nunes – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2294-1096.

Deflora-te
Classificada pela autora como uma “orgia aos sentidos”, a peça totalmente interativa, convida o público a passear pelo espaço cênico e experimentar uma série de sensações e emoções. Inspirado na obra “O Balcão”, do francês Jean Genet, a peça é uma celebração de gostos, sons, cores e cheiros, que acontecem em diferentes ambientes de uma casa, chamada “Casa de Ilusões”. A peça se passa em um “prostíbulo intelectual” que procura despir a hipocrisia, apresentando uma crítica à realidade social e política, que banaliza fantasias reprimidas em uma luta travada entre o “sagrado e o profano”. Da Cia. Duplô. Com Ana Clara Aldrighi, Beatriz Bresolin e outros. Texto e direção de Gabriela Linhares. SERVIÇO: sex e sáb, 19h. R$ 40. 150 min. Classificação: 18 anos. De 12 a 27 de janeiro e de 2 a 31 de março. Centro Cultural Municipal Laurinda Santos Lobo – Rua Monte Alegre, 306 – Santa Teresa.

Deixa Clarear, Musical Sobre Clara Nunes
emcartaz-deixaclarear O musical apresenta várias fases da carreira e da vida de Clara Nunes e tem como ponto alto a música, que atua como uma extensão da cena. O espetáculo mistura música e poesia. Com Clara Santhana. Texto de Marcia Zanelatto, com direção de Isaac Bernat. SERVIÇO: sex, 16h; sáb e dom, 19h. R$ 50. 75 min. Classificação: livre. Até 4 de março. Imperator – Centro Cultural João Nogueira – Rua Dias da Cruz, 170 – Méier. Tel: 2597-3897.

Entonces Bailemos
Dois casais de atores, acompanhados por um músico, narram diferentes histórias de amor e dor, de perdas e ganhos, da solidão e da eterna busca do outro. Os relatos são permeados por canções embaladas por este músico e sua guitarra acústica. Histórias que poderão ser compreendidas por diferentes pontos de vista pelo público. Anedotas anônimas sobre memórias de amores frustrados, casais à deriva e relacionamentos à beira do fracasso. Com Elisa Pinheiro, Leonardo Netto e outros. Texto e direção de Martín Flores Cárdenas. SERVIÇO: ter e qua, 21h. R$ 60. 60 min. Classificação: 12 anos. Até 21 de fevereiro. Teatro Poeira – Rua São João Batista, 104 – Botafogo. Tel: 2537-8053.

Estação Terminal
Baseado no diário de Lima Barreto, na época em que esteve internado em um hospício. O espetáculo é uma releitura de “Cemitério dos Vivos”, peça que lançou a Cia. Ensaio Aberto há 25 anos. Misturando artes plásticas e teatro numa mesma performance, o ator interage com o público e com uma obra da artista plástica Suzana Queiroga. Com Tuca Moraes. Texto de João Batista, com direção de Luis Fernando Lobo. SERVIÇO: dom e seg, 19h. R$ 50. 50 min. Classificação: livre. Até 23 de abril. Armazém da Utopia – Orla Conde, Armazém 6, Cais do Porto. Tel: 2516-4893.

Estudo Para Missa para Clarice
emcartaz-estudoparamissaparaclarice Três atores, um Arauto e duas Beatas claricianas, fazem do Espaço do Teatro, um Templo de Reflexão, num ritual cênico que une a palavra de Lispector e a música de Górecki. Foi desenvolvido em torno da obra de Clarice Lispector. Os textos que compõe o espetáculo foram extraídos e editados a partir de sua notável produção literária que tem por temática o Sagrado. Por isso um espetáculo sobre o Homem e seu Deus. Da obra de Clarice Lispector. Com Eduardo Wotzik, Cristina Rudolph e Natally do Ó. Edição, texto final e direção de Eduardo Wotzik. SERVIÇO: sex e sáb, 20h; dom, 19h. R$ 40. 80 min. Classificação: 14 anos. De 23 de fevereiro até 18 de março. Casa de Cultura Laura Alvim – Avenida Vieira Souto, 176 – Ipanema. Tel: 2332-2015.

Extravasa – O Musical
Musical conta a história de diversos adolescentes que são internados em uma clínica de terapia intensiva. Cada um tem um problema particular, seja psicológico ou familiar, e todos terão que conviver em harmonia durante uma semana junto com seu terapeuta. Com Felipe Adetokunbo, Maitê Padilha e outros. Texto e direção de Nado Grimberg. SERVIÇO: sex, 19h. R$ 60. 80 min. Classificação: 10 anos. Até 31 de março. Teatro Vannucci – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2274-7246.

Gatão de Meia Idade
A comédia teatral, que sai das tradicionais tirinhas do Jornal O Globo e pela primeira vez no teatro, é inspirada no livro “Cama de gato, Histórias de Cama do Gatão de Meia Idade”, de autoria de Miguel Paiva e aqui adaptada para os palcos por seu próprio criador. Lançado pela Editora Globo, retrata de maneira precisa e bem-humorada o quarentão urbano que sabe rir do seu próprio destino e da sua própria imagem. O personagem “Gatão” é um homem na faixa dos 50 anos, solteiro, crítico de sua condição, mas que não quer envelhecer sozinho e sabe que, se não se esforçar para isso, vai acabar assim. Além disso, ele é bastante antenado, mas sua antena está, muitas vezes, direcionada para o satélite errado e ele sofre com isso. Com Leona Cavalli e Oscar Magrini. Texto de Miguel Paiva, com direção de Eduardo Figueiredo. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 20h. R$ 60 (sexta), R$ 80 (sábado) e R$ 70 (domingo). 60 min. Classificação: 16 anos. Até 1º de abril. Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2239-1095.

Grande Sertão: Veredas
Em montagem inédita na rotunda do CCBB Rio de Janeiro, Bia Lessa propõe a um só tempo uma peça de teatro e uma instalação em sua adaptação do livro Grande Sertão: Veredas – matriz do moderno romance brasileiro e obra-prima de João Guimarães Rosa. A peça traz para o palco a saga do jagunço Riobaldo que atravessa o sertão para combater seu maior inimigo, Hermógenes, fazer o pacto com o diabo e viver seu amor por Diadorim. O cenário-instalação estará aberto à visitação do público. Com Caio Blat, Luiza Lemmertz e outros. Texto de Guimarães Rosa, com direção de Bia Lessa. SERVIÇO: qua a dom, 21h. R$ 20. 140 min. Classificação: 18 anos. Até 31 de março. Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro. Tel: 3808-2020.

Gritos
emcartaz-gritos Em uma atmosfera onírica, os três poemas que compõem Gritos são revelados por meio de uma partitura gestual sutil e minuciosa. Inspirada em temas da atualidade, a dramaturgia foi criada durante o processo de pesquisa e de criação artística. As pessoas invisíveis na sociedade, o preconceito, o desprezo, os refugiados a guerra e o amor permeiam os três poemas gestuais – os três gritos. Há anos trabalhando com teatro gestual, a dupla experimenta, neste novo trabalho, a transformação de seus próprios corpos em bonecos de proporções humanas, como se estivessem refletidos no espelho. Da Cia. Dos à Deux. Dramaturgia, interpretação e direção de Artur Luana Ribeiro e André Curti. SERVIÇO: qua a dom, 19h. R$ 40. 90 min. Classificação: 14 anos. Até 11 de março. Teatro Dulcina – Rua Alcindo Guanabara, 17 – Cinelândia. Tel: 2240-4879.

Os Homens Querem Casar e as Mulheres Querem Sexo 2
emcartaz-oshomensqueremcasareasmulheresqueremsexo A comédia conta a história de Jonas que continua sua busca pela mulher perfeita, e nesse processo, encontra deus e para sua surpresa, descobre que deus é mulher e é cearense. Deus então, faz uma proposta para Jonas passar a sentir tudo o que as mulheres sentem para entender a visão feminina sobre o universo masculino. Com Drika Mattos e Carlos Simões, que assina texto e direção. SERVIÇO: qui, 21h. R$ 60. 60 min. Classificação: 14 anos. Até 29 de março. Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2239-1095.

(In)definido
O espetáculo convida a imergir numa viagem de autoconhecimento e provocação social, questionando ao longo da peça nossas normas e regras que moldam personalidades e convívio em grupo. Com um elenco composto por 10 atores que não respeitam a divisão ocidental entre gêneros masculino e feminino. Seus personagens, é claro, seguem pelo mesmo caminho pois deixam de lado a extrema a importância que é dada aos nomes, além de apresentarem personalidades que passeiam pelo masculino e feminino, pelo divo jovem e velho. Com Claudia Aragão, Clea Vianna e outros. Texto de criação coletiva, com direção de Júlio Luz. SERVIÇO: sáb, 20h30; dom, 19h30. R$ 25. 60 min. Classificação: 12 anos. Dias 24 e 25 de fevereiro. Casa de Espanha – Rua Maria Eugênia, 300 – Humaitá. Tel: 98127-9366.

Jogo de Amor
Sofia é uma jovem cansada de homens iguais. Tiago nunca foi bom na arte de se relacionar. O primeiro encontro entre eles se dá num salão de bilhar. É aniversário de Tiago, que puxa conversa com cautela e bom humor. Sofia é dura na queda e está na defensiva. Começa ali um jogo de sedução cujas partidas irão para além daquelas paredes – e daquele tempo. Sofia e Tiago têm os receios e a ousadia típicos dos que tentam uma investida amorosa. E as partidas não serão fáceis. Com Aline Riscado e Felipe Roque. Texto de Vitor Frad, com direção de Carlos Bonow. SERVIÇO: sex e sáb, 23h. R$ 70. 60 min. Classificação: 14 anos. Até 25 de fevereiro. Teatro dos Grandes Atores – Avenida da Américas, 3555 – Shopping Barra Square. Tel: 3325-1645.

O Jornal – The Rolling Stone
O espetáculo conta a história de um amor proibido que acaba por afetar a vida e o destino de todos ao seu redor. Após morte do pai, três irmãos – Joe, Dembe e Wummie – precisam reconstruir suas vidas. Joe se prepara para ser reverendo enquanto Dembe e Wummie estudam para progredir diante da desigualdade. Mas o destino seria fatal: Dembe conhece Sam eles acabam se apaixonando. Condenados pela lei, pela sociedade e pela religião, eles terão de optar entre se separar ou arriscar a própria vida para viver esse amor. Inspirado em fatos reais O Jornal é uma alusão ao periódico ugandense “The Rolling Stone” que, em 2010, publicou uma lista com 100 nomes de homossexuais e incitou seus leitores a enforcar os mencionados. Com André Luiz Miranda, Danilo Ferreira e outros. Texto de Chris Urch, com direção de Kiko Mascarenhas. SERVIÇO: qui a sáb, 21h; dom, 19h. R$ 60. 90 min. Classificação: 14 anos. Até 25 de fevereiro. Teatro Poeira – Rua São João Batista, 104 – Botafogo. Tel: 2537-8053.

MARIANAS – Séculos de Paredes
O espetáculo fala sobre a dependência emocional da mulher em relação ao ser amado. A peça tem como ponto de partida as Cartas Portuguesas de Mariana Alcoforado, religiosa que viveu no século XVII e se apaixonou pelo Marquês de Chamilly, que lutou em solo português durante a Guerra da Restauração. Mariana era freira do Convento de Nossa Senhora da Conceição, em Beja, Portugal, quando escreveu as cartas. O que acontecia quando meninas eram encerradas em conventos sem vocação religiosa por ordem dos pais? O que acontece quando mulheres do século XXI se aprisionam em nome da paixão em relacionamentos doentios? Do Grupo Amanajé. Texto e atuação de Helena Tojal, com direção de Álexis Diogo. SERVIÇO: qua e qui, 19h30. R$ 30. 50 min. Classificação: 16 anos. Dias 21, 22 e 28 de fevereiro. Centro Cultural Minicipal Parque das Ruínas – Rua Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa. Tel: 2224-3922.

Os Monólogos da Vagina
epoimentos verídicos de mais de 200 mulheres colhidos pela autora em todo o mundo abordam de maneira extremamente bem-humorada, direta e livre de preconceitos uma reflexão sobre a relação da mulher com sua própria sexualidade. É um espetáculo que fala sobre o universo feminino sem ser feminista. Com Adriana Lessa, Maximiliana Reis e Cacau Melo. Texto de Eve Ensler, com direção de Miguel Falabella. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 20h. R$ 80. 90 min. Classificação: 12 anos. Até 25 de fevereiro. Teatro dos Grandes Atores – Shopping Barra Square – Avenida das Américas, 3555 – Barra da Tijuca. Tel: 3325-1645.

A Mulher Invisível
A peça acompanha uma noite de trabalho de Eunice, uma faxineira de uma loja de artigos masculinos que abre seu sofrido coração para os manequins de plástico que expõem as roupas vendidas no local. A peça é um monólogo existencialista, com boas doses de humor, que traz à tona questões sensíveis como a invisibilidade dos que, de alguma maneira, são excluídos pela sociedade e a solidão que enfrentam no cotidiano. Com Catarina Abdalla. Texto de Maria Carmem Barbosa, com direção de Amir Haddad. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 20h. R$ 60. 60 min. Classificação: 12 anos. Dias 23, 24 e 25 de fevereiro. Theatro Bangu Shopping – Rua Fonseca, 240 – Bangu. Tel: 2401-3631.



NÃO PEÇA – A Poética da Comédia e da Tragédia Humana
Jandira mora nos fundos do teatro, onde também trabalha como faxineira, bilheteira e baleira. O elenco da peça em cartaz encontra-se preso em um grande engarrafamento e solicita à funcionária segurar o público até sua chegada. É assim que a personagem, testemunha de inúmeras peças, mas habituada a subir ao palco apenas para limpá-lo, passa a ocupar o lugar de linha de frente do espaço cênico e a contar suas histórias. Pode ser que nem toda vida dê filme, quadro ou bordado, mas aqui, a vida da funcionária Jandira acaba dando em uma peça. Ou melhor, em uma Não Peça. Texto e atuação de Lucília de Assis, com direção de Bianca Byington. SERVIÇO: sex a dom, 19h. R$ 30. 60 min. Classificação: 12 anos. De 23 de fevereiro até 11 de março. Centro Cultural Justiça Federal (CCJF) – Avenida Rio Branco, 241 – Centro. Tel: 3261-2550.

Para Onde Ir
emcartaz-paraondeir O monólogo conta a história de Marmieládov, um ex-funcionário público que após perder o emprego entrega-se ao álcool. Em uma Taverna, Marmieládov bebe em uma mesa de bar. Ao ver que o ambiente começa a ficar cheio de fregueses, aproxima-se ora de um, ora de outro, para contar-lhes as dificuldades que passa por conta do vício, a necessidade de sustentar sua família e as desventuras de sua vida. Com Yashar Zambuzzi. Texto de Dostoiévski e Rimbaud, com direção de Viviani Rayes. SERVIÇO: sex e sáb, 19h; dom, 18h. R$ 30. 50 min. Classificação: 14 anos. Até 18 de março. Casa de Cultura Laura Alvim – Sala Rogério Cardoso – Avenida Vieira Souto, 176 – Ipanema. Tel: 2332-2015.

Pressa
Cenas curtas entrecortadas focam personagens marcados pela brutalidade e achatamento, aprisionados na lógica absurda do imediatismo alienante que encobre a amoralidade, a corrupção e a falta de escrúpulos nas relações e nos discursos da vida cotidiana. Com Paula Sandroni, Rafaela Amado e outros. Da Cia. Fodidos Privilegiados. Texto de Otavio Martins, com direção de João Fonseca e Nello Marrese. SERVIÇO: sex, sáb e seg, 21h; dom, 20h. R$ 40. 70 min. Classificação: 16 anos. Até 19 de fevereiro. Teatro Glaucio Gill – Praça Cardeal Arcoverde, s/n – Copacabana. Tel: 2332-7904.

Preto
A montagem se articula a partir da fala pública de uma mulher negra, uma espécie de conferência sobre questões que incluem racismo, a realidade do negro e da negra no Brasil hoje, o afeto e o diálogo, a maneira como lidamos com as diferenças e como cada um se vê numa sociedade marcada pela desigualdade. A peça é composta por uma séria de tentativas de diálogos. Com Renata Sorrah, Grace Passô e outros. Texto de Grace Passô, Nadja Naira e Marcio Abreu, que assina a direção. SERVIÇO: qua a dom, 19h30. R$ 20. 90 min. Classificação: 14 anos. Até 11 de março. Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro. Tel: 3808-2020.

Sabe Quem Dançou?
Ambientada nos anos 1980, a tragicomédia acompanha personagens marginalizados para tratar de temas como jovens de rua, milícia, prostituição e roubos. Em cena, as mazelas, personagens, contexto, linguagem e situações que se aplicam perfeitamente aos dias atuais. Madonna e Passarinho vivem em um lugar, onde religião, roubos, crimes, milícia e segredos se misturam. Para eles, matar talvez seja a única maneira de sobrevivência. Com Hermes Carpes, Ronaldo Spedaletti e outros. Texto de Zeno Wilde, com direção de Hermes Carpes. SERVIÇO: qui a sáb, 19h30; dom, 18h. R$ 40. 70 min. Classificação: 18 anos. De 22 até 25 de fevereiro. Teatro Municipal Gonzaguinha – Centro Municipal de Artes Calouste Gulbenkian – Rua Benedito Hipólito, 125 – Praça XI – Centro. Tel: 2224-3038.

A Tal Carta
Espetáculo de comédia que se passa no seio de uma família para lá de moderna. E nessa família tem a doce menina Letícia, uma jovem escritora cheia de mistérios. Com pais loucos separados, irmão inconsequente, namorado esquisto, empregada paraguaia e best da namorada do pai, ela tem tudo para ser bem criativa. Essa família vai passar por uma grande confusão quando certa carta aparece para desestabilizar a “paz” que existe no lugar. Quando cada um lê a tal carta, a interpreta de uma forma, gerando toda confusão para dar um tom ainda mais engraçado ao espetáculo. Sem falar das visitas surpresas que irão receber ao longo do desenrolar desta confusão. Com Alessandra Beyer, Jéssica Evans e outros. Texto e direção de Rodrigo Bello. SERVIÇO: qua e qui, 19h. R$ 40. Classificação: 12 anos. Até 1º de março. Teatro Glauce Rocha – Avenida Rio Branco, 179 – Centro. Tel: 2220-0259.

O Tempo É Só uma Questão de Cor
O espetáculo apresenta ao público contos, crônicas e fragmentos de textos diversos de Caio Fernando Abreu. As histórias e situações levadas para cena abordam temas como o amor, as dificuldades dos relacionamentos afetivos em suas diversas formas, a falta de comunicação entre as pessoas e a solidão do homem contemporâneo. Textos que traduzem com emoção, humor e reflexão o universo do escritor que foi e ainda é um dos autores mais apreciado e consumido, não só através de seus livros como também através de sites e blogs que habitam o mundo virtual, principalmente das novas gerações que “descobriram” a prosa, o pensamento e a crítica de Caio Fernando Abreu, com o qual se identificam totalmente. Com Mauricio Silveira. Textos de Caio Fernando Abreu, com direção de Antonio Gilberto. SERVIÇO: sex e sáb, 22h. R$ 40. 70 min. Classificação: 12 anos. Até 31 de março. Teatro Municipal Café Pequeno – Avenida Ataulfo de Paiva, 269 – Leblon. Tel: 2294-4480.

O Tempo Não Dá Tempo
Mistura de teatro, dança, performance e multimídia em montagem itinerante. De um lado, cenas curtas, interrompidas e confinadas, experimentando o tempo das relações que não se estabelecem e a fragilidade da vida. De outro, o tempo da delicadeza, do respeito e do cuidado. A observação sobre o nosso próprio corpo e, com isso, a reflexão sobre o que fazemos com nosso tempo e, principalmente, sobre a percepção de vivenciar de verdade cada minuto da sua vida. Com Ciro Sales, Juliana Linhares e outros. Texto de Gregorio Duvivier, Duda Maia, Oscar Saraiva, Gonçalo M. Tavares e elenco, com direção de Duda Maia. SERVIÇO: qui a dom, 20h. R$ 30. 75 min. Classificação: 14 anos. Até 25 de fevereiro. Oi Futuro Flamengo – Rua Dois de Dezembro, 63 – Flamengo. Tel: 3131-3060.

Tripas
Narra o encontro de dois artistas, um pai e um filho, que decidem compartilhar com o público o cruzamento de suas biografias: Ricardo Kosovski, ator, diretor e professor; e Pedro Kosovski, autor e diretor, que testemunhou a jornada do pai há dois anos, após uma internação repentina por uma crise de diverticulite aguda. Da necessidade de romper o silêncio de um quarto de hospital, nasceu o espetáculo. Com Ricardo Kosovski. Texto e direção de Pedro Kosovski. SERVIÇO: sex a sáb, 21h; dom, 19h. R$ 50. 60 min. Classificação: 16 anos. Até 25 de fevereiro. Teatro Poeirinha – Rua São João Batista, 174 – Botafogo. Tel: 2547-0156.

Utopia D – 500 Anos Depois
O espetáculo nasceu do desejo de pensar a sociedade de hoje com suas crises e contradições, o que se deu através de um mergulho no livro UTOPIA, do filósofo inglês Thomas More (1478-1535), publicado em 1516. Partindo deste texto do século XVI, contraposto a fatos dos séculos XX e XXI, a peça pretende fazer uma reflexão sobre as possibilidades da vida em sociedade, do sentido e necessidade da repressão como mola mestra das condutas humanas. Com Josie Antello e Julio Adrião. Texto de Thomas More, com direção de Moacir Chaves. SERVIÇO: sáb e dom, 19h30. R$ 40. 60 min. Classificação: 14 anos. Até 1º de abril. Centro Cultural Municipal Parque das Ruínas – Rua Murtinho Nobre, 169 – Santa Teresa. Tel: 2224-3922.

A Vida Passou Por Aqui
emcartaz-avidapassouporaqui A peça conta a história de uma profunda e sólida amizade entre uma mulher e um homem de estratos sociais diferentes – Silvia, professora e artista plástica, que viveu grande parte da vida às voltas com as crises em seu casamento e Floriano, contínuo, de hábitos simples e inteligente por natureza, que sempre levou sua vida com leveza e bom humor. Depois de quase meia década de convivência, Silvia é uma mulher solitária que se recupera de um AVC, e Floriano o único amigo ainda presente. Aos poucos, ele contagia Silvia com sua alegria de viver e senso de humor, que acabam devolvendo a saúde e os movimentos à amiga. Juntos, se divertem e rememoram os altos e baixos de quase 50 anos de amizade. Com Édio Nunes e Claudia Mauro, que assina o texto. Direção de Alice Borges.SERVIÇO: ter e qua, 21h. R$ 60. 90 min. Classificação: 14 anos. Até 28 de fevereiro. Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2239-1095.

Saraiva

———-

INFANTIL

Chapeuzinho Vermelho e o Lobonzinho
Com roteiro adaptado de um dos maiores clássicos de todos os tempos, o espetáculo teatral infantil traz uma releitura contemporânea, que despertará interesse das crianças pela abordagem de temas relacionados à preservação do meio ambiente, respeito ao próximo, aos animais, noções de cidadania e tecnologia, tudo de uma forma lúdica e bem humorada. Com Elisa Angélica, Guto Rodrigues e outros. Texto de Ana Ferguson e Solange Bighetti, com direção de William Vita. SERVIÇO: sáb, dom e feriados, 16h. R$ 60. 50 min. Classificação: infantil. Até 25 de fevereiro. Teatro Vannucci – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2274-7246.

Espelho, Espelho Meu
O Corvo começa apresentando os personagens centrais: Rainha Má, Espelho Mágico, Branca e o Caçador. Em sua narração, ele é interrompido pela terrível Rainha Má que continua a história de forma real até o Espelho Magico lhe dizer que Branca de Neve está viva. Só que dessa vez, a Rainha não quer ficar velha e cheia de rugas. Para executar o seu novo plano, ela muda a história e vai à procura de Cinderela, Bela, Elsa e Anna e as enfeitiça, fazendo com que elas levem para Branca de Neve o líquido do verdadeiro amor. Após bebê-lo, todas as princesas adormecem num sono profundo. Com Julia Nogueira, Hamilton Dias e outros. Texto e direção de Anacleto Carindé. SERVIÇO: sáb e dom, 16h. R$ 30. 55 min. Classificação: livre. Até 4 de março. Teatro Imperator – Centro Cultural João Nogueira – Rua Dias da Cruz, 170 – Méier. Tel: 2597-3897.

Isaac no Mundo das Partículas
A história começa quando o protagonista Isaac vai à praia, segura um pequeníssimo grão de areia e começa a se interessar pelos mistérios universais. O grão de arei ganha vida e, na tentativa de responder a dezenas de perguntas, leva o menino para uma viagem que começa na Grécia e acaba no Cern (Organização Europeia para a Pesquisa Nuclear). Tudo isso é narrado por um enigmático personagem: a partícula subatômica Bóson de Higgs, um dos mais fundamentais elementos do universo. No elenco, também estão André Arteche e Júlia Shimura, que vivem músicos-partículas e cientistas. Com João Lucas Romero, Claudio Mendes e outros. Baseado na obra homônima de Elika Takimoto. Texto adaptado e direção de Joana Lebreiro. SERVIÇO: sáb e dom, 16h. R$ 20. 70 min. Classificação: livre. Até 25 de março. Oi Futuro Flamengo – Rua Dois de Dezembro, 63 – Flamengo. Tel: 3131-3060.

Sítio do Picapau Amarelo
Muito mais do que apenas entreter por meio do teatro, a Cia. Teatral Sassaricando busca com a peça valorizar a cultura brasileira, seus autores e suas obras; resgatar a leitura e o contato com o livro físico; estimular o contato das crianças com brincadeiras de roda, soltar pipa, tomar banho de rio, brincar com peão, entre tantas outras que fizeram parte, durante anos, da infância de muitas crianças. A peça teatral nasce no resgate lúdico, no folclore, na imaginação e na importância que ela nos oferece dentro do contexto social, político e econômico. Com Raquel Penner, Cristina Fracho e outros. Textos de Monteiro Lobato, com adaptação e direção de Ricardo Silva. SERVIÇO: sáb e dom, 17h. R$ 60. Classificação: livre. Até 4 de março. Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel:2274-9895.

Games Mais Vendidos

Share: