+ TeatroEm Cartaz

Agenda – Abril de 2018


3 Casamentos, 1 História
Mulher, que está prestes a completar 50 anos, resolve realizar um sonho: festejar suas Bodas de Prata! Mas, para celebrar 25 anos de casada, ela precisa somar os anos em que viveu ao lado dos ex-maridos. Então, oferece um jantar aos três, sem revelar que se encontrarão. Deliciosa comédia sobre como tratar de modo bem-humorado os encontros e desencontros da vida e que sempre é tempo de realizar sonhos. Com Naura Schneider, Marcos Breda e outros. Texto de Cláudio Torres Gonzaga, com direção de José Lavigne. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 20h. R$ 60 (sex e dom) e R$ 70 (sáb). 60 min. Classificação: livre. Até 13 de maio. Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2239-1095.

Abas
“Abas” tem uma narrativa estruturada em canções, apresentadas em formatos variados. Cada canção é uma aba que se abre. Cada aba poderia ser a voz de uma mulher e cada voz poderia ser uma peça. Mas agrupados, esses fragmentos constroem a homogeneidade e a coerência da peça, a partir da subjetividade de cada espectador. O solo, costurado por dez canções, tem como fio condutor a vulnerabilidade da mulher na sociedade. Com Carolina Ferman. Dramaturgia de Carolina Ferman, Felipe Storino e Mateus Di Santos, com direção de Felipe Storino. SERVIÇO: sáb e dom, 19h30. R$ 20. 40 min. Classificação: 14 anos. Até 22 de abril. Espaço Sergio Porto – Rua Visconde Silva, s/n – Humaitá. Tel:2535-3846.

Beatles Num Céu de Diamantes
No palco, oito atores-cantores, acompanhados por piano, violoncelo, violão, ukulele e percussão, apresentam uma teatral e emocionante visão sobre a mais forte invenção da música popular nos últimos 50 anos: a obra dos Beatles. Com Eline Porto, Sergio Dalcin e outros. Direção de Charles Möeller & Claudio Botelho. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 19h. R$ 100. 90 min. Classificação: livre. Até 13 de maio. Teatro Clara Nunes – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2294-1096.

Brasil Mon Amour
Monólogo musical traz no repertório os maiores hits franceses e nacionais. A peça narra a história de uma francesa nascida na Ilha da Reunião que se vê perdidamente apaixonada pelo seu novo amor: o Brasil. Na busca pela aceitação, entre um oceano de semelhanças e diferenças, o público navega entre texto e música, entre francês e português, e surpreende-se com traduções inéditas de clássicos da música brasileira para a língua nativa de Claire. A atriz interpreta canções de Edith Piaf, Tom Jobim, Vinicius de Moraes, Belchior e outros. Criação e atuação de Claire Nativel, com direção de Rafaela Amado. SERVIÇO: ter e qua, 20h. R$ 60. 60 min. Classificação: livre. Até 18 de abril. Solar de Botafogo – Rua General Polidoro, 180 – Botafogo. Tel: 2543-5411.

Cada um Com Seus Probremas
Figuras já conhecidas do grande público como o corinthiano Sanderson (presente no programa Vai Que Cola do Multishow), o último mico-leão-dourado do mundo, a vidente Mãe Jatira (famosos em vídeos no youtube e programas de TV), a apresentadora infantil Tia Penha entre outros fazem parte desse sucesso. Com uma linguagem moderna, humor inteligente e veloz, o espetáculo contagia o público, levando-o as gargalhadas do início ao fim. Texto e atuação de Marcelo Médici, com direção de Ricardo Rathsam. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 19h. R$ 50 (frisa) e R$ 60 (plateia). 100 min. Classificação: 14 anos. De 27 até 29 de abril. Theatro Bangu Shopping – Bangu Shopping – Rua Fonseca, 240 – Bangu. Tel: 2401-3631.

Carolina Maria de Jesus, Diário de Bitita
A peça conta a surpreendente e inspiradora história de Carolina, menina que teve uma infância miserável, estudou apenas dois anos do primário, foi doméstica, indigente e catadora de papel. Apesar das dificuldades, Carolina passou a escrever suas memórias em papéis encontrados no lixo e virou uma grande escritora publicada em 14 idiomas, em mais de 60 países. O espetáculo mistura dois tempos: a fase adulta na favela do Canindé, quando catava papel nas ruas e as lembranças da infância, quando seu amor pelos livros foi despertado e mudou sua história. Com Andréia Ribeiro. Texto e direção de Ramon Botelho. SERVIÇO: sex e sáb, 20h; dom, 19h. R$ 40. 60 min. Classificação: 14 anos. De 20 de abril até 13 de maio. Casa de Cultura Laura Alvim – Avenida Vieira Souto, 176- Ipanema. Tel: 2332-2016.

Uma Ciranda Para Mulheres Rebeldes
Criado a partir de pesquisa sobre a vida de quatro mulheres que de alguma maneira estiveram envolvidas com a Revolução Russa de 1917, e que lutaram pelos ideais socialistas no início do século passado. Reunindo relatos ficcionais criados a partir de episódios verídicos de suas vidas, o espectador é convidado a entrar no mundo dessas mulheres, que sonharam ou que foram castigadas por sonhar, que sobreviveram e que nos ajudam a sobreviver. A utopia da revolução, a dor do exílio, as escolhas difíceis, a opressão, a maternidade, as descobertas, a esperança, o vazio, a luta, o medo, a rebeldia, a arte, estão presentes nas vidas dessas mulheres que nos comovem por sua determinação, sua desobediência constante e também por sua fragilidade. Por trás de cada relato, de cada cena proposta, existe o desejo de celebrar a vida de mulheres que nunca se resignam. Do Coletivo As Dramáticas. Direção de Adriana Maia. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 19h. R$ 40. 80 min. Classificação: 14 anos. Até 29 de abril. Teatro Municipal Maria Clara Machado – Planetário da Gávea – Avenida Padre Leonel Franca, 240 – Gávea. Tel: 2274-7722.

Champagne & Confusão, uma Comédia Impoliticamente Correta
No gabinete de um Ministério de Educação, o Ministro Luiz se vê obrigado a estabelecer um padrão para o tamanho dos uniformes usados pelas alunas de todo o país. Às voltas com a estranha tarefa, acaba embaraçado em suas próprias confusões amorosas com Sara, com quem mantém um romance secreto. Sara é filha de sua chefe de gabinete, a rígida Gabriela que, por sua vez, apaixona-se por Erik, um jovem auxiliar de serviços gerais do gabinete. Enquanto isso, Cecília, mãe de Gabriela, ex-atriz, mulher libertária e um tanto louca, que já teve seus tempos de glória no palco, quer agora voltar para o showbizz, e todos os dias visita sua filha no gabinete e ensaia o novo show que pretende estrear num bar gay. Com Com Sylvia Bandeira, Erika Riba e outros. Texto de Jean Franco e Guillaume Mélanie, com adaptação de Jacqueline Laurence e direção de Fernando Philbert. SERVIÇO: sex a dom, 19h30. R$ 70. 80 min. Classificação: 12 anos. Até 10 de junho. Teatro Maison de France – Avenida Presidente Antônio Carlos, 58 – Centro. Tel: 2544-2533.

Conexão: Solidão
Através da tecnologia e das redes sociais estamos mais conectados com o outro? Ou estamos sofrendo uma vingança da voracidade humana? Tentar fazer mais em menos tempo nos torna cada vez mais descartáveis e solitários? O tempo da informação, do algoritmo, consegue dar conta da nossa complexa subjetividade? O espetáculo propõe essa reflexão. Com Bruna Steiner, Carol Santaroni e outros. Criação coletiva, com direção de Daniel Herz. SERVIÇO: ter e qua, 21h. R$ 40. 70 min. Classificação: 16 anos. Até 25 de abril. Teatro Poeira – Rua São João Batista, 104 -Botafogo. Tel: 2537-8053.

Como É Que Pode?
emcartaz-comoequepode O show mostra versatilidade de Gabriel Louchard, explorando as muitas facetas deste artista como ator, comediante e mágico. Durante o espetáculo, dirigido por Leandro Hassum e escrito em parceria com Mauricio Rizzo, Gabriel realiza esquetes brincando com as situações cômicas que mágicos enfrentam durante o trabalho em uma festa infantil, convoca a plateia para participar de truques e realiza números de mágica aliados ao bom humor. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 20h. R$ 50. 75 min. Classificação: 12 anos. Até 29 de abril. Teatro dos Grandes Atores – Avenida das Américas, 3555 – Barra da Tijuca. Tel: 3325-1645.

Corta!
Comédia ambientada em um salão de beleza. A cada apresentação, uma espectadora terá seu cabelo cortado. Esta será escolhida mediante sua história na página da peça, no Facebook. A pessoa terá que, com antecedência, escrever página e explicar o porquê que gostaria de cortar o cabelo. Texto de Vinicius Soares e Marcio Azevedo, que assina a direção. SERVIÇO: qui a sáb, 21h; dom, 20h. R$ 60 (qui, sex e dom) e R$ 80 (sáb). 90 min. Classificação: 14 anos. Até 2 de julho. Teatro Clara Nunes – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2294-1096.

Dançando no Escuro
A tcheca Selma Jezková migra para os EUA com o filho Gene, que precisa operar os olhos para não perder a visão; trágicos acontecimentos cruzam seus caminhos enquanto Selma sonha com o mundo dos musicais. Com Juliane Bodini, Cyria Coentro e outros. Adaptação de Patrick Ellsworth, com direção de Dani Barros. SERVIÇO: qui a sáb, 19h; dom, 18h. 120 min. Classificação: 14 anos. De 19 de abril até 20 de maio. Teatro SESI Centro – Avenida Graça Aranha, 1 – Centro. Tel: 2563-4164.

O Delírio de Van Gogh
Sozinho, num quarto frio, Van Gogh, recebe a notícia de que seu irmão Theo só vendeu um único quadro seu. Delirante, com fome, com frio e sentindo-se completamente nu e desprotegido entra em um surto inesperado e mergulha profundamente e sua própria essência, buscando uma razão para ressurgir das próprias cinzas. Com Rafael Mannheimer. Texto e direção de Jiddu Saldanha. SERVIÇO: ter e qua, 19h. R$ 30. 50 min. Classificação: 12 anos. Até 18 de abril. Casa de Cultura Laura Alvim – Teatro Rogério Cardoso – Avenida Vieira Souto, 176 – Ipanema. Tel: 2332-2015.

Desculpe Não Responder Antes
O COLETIVO apresenta um pensamento íntimo sobre a fluidez das relações afetivas. Com uma linguagem experimental, mostra situações que poderia acontecer com qualquer um, em qualquer lugar, idade, gênero, relação. Com Bruna Mascarenhas, Elisa Caldeira e outros. Texto e direção de Wallace Lau. SERVIÇO: dom, 19h. R$ 30. Classificação: 14 anos. Até 27 de maio. Rampa – Lugar de Criação – Rua Sá Ferreira, 202 – Copacabana.

Desejo
Um artista relembra sua história em busca do seu maior sonho: interpretar a personagem Blanche Dubois. Logo ele começa a reviver seu passado e a paixão por um diretor de teatro. A peça retrata a relação entre dois homens e as consequências de um desejo sem limites, trazendo imagens e provocações através do encontro do teatro com o cinema. Com Jamal D’Izéte, Daniel Vargas e Isabelle Nassar. Com Jamal D’Izéte e direção de Vera Lopes. SERVIÇO: ter e qua, 20h. R$ 40. 60 min. Classificação: 16 anos. Até 25 de abril. Teatro Municipal Café Pequeno – Avenida Ataulfo de Paiva, 269 – Leblon. Tel: 2294-4480.

As Divinas Mãos de Adam
O espetáculo narra a história de Adam um jovem imigrante, que passa dificuldades em um país distante e Stephen, um paraplégico que ainda acredita em alguma humanidade com a possibilidade de sentir prazer. E Rita, frustrada e rancorosa, responsabiliza o irmão, Stephen, pela sua falta de conquistas. Unidos por sentimentos de raiva, tristeza, incapacidade e desejos reprimidos, eles entram em confronto por algum fato que pode ter acontecido. Mas o que será que realmente aconteceu? Com Ana Carolina Rainha, Héctor Medina e Mario Cardona. Texto de Roberto Muniz Dias, com direção de Emer Lavinni. SERVIÇO: seg, 20h. R$ 40. 60 min. Classificação: 14 anos. Até 23 de abril. Casa Rio – Rua São João Batista, 105 – Botafogo. Tel: 2148-6999.

Dois Amores e um Bicho
A obra parte de uma situação prosaica que se converte em pesadelo: durante um passeio no zoológico com a família, o pai se vê obrigado a reviver um episódio repugnante do seu passado, quando matou seu cachorro a pontapés por considerá-lo homossexual. Com Lucas Gouvêa, Adriana Seiffert e Julie Wein. Texto de Gustavo Ott, com direção de Danielle Martins de Farias. SERVIÇO: qua a dom, 19h. R$ 40. 80 min. Classificação: 14 anos. Até 29 de abril. Teatro Glauce Rocha – Avenida Rio Branco, 179 – Centro. Tel: 2220-0259.

Edward Bond Para Tempos Conturbados
um espetáculo original da Companhia Involuntária, livremente inspirado nas peças e nos manifestos, poesias e textos não teatrais do dramaturgo contemporâneo inglês Edward Bond. Considerado um dos principais autores de teatro vivos, com uma obra altamente controversa por causa da violência de seus textos e seus pensamentos sobre os rumos da sociedade. Com uma narrativa fragmentada composta de cenas interdependentes e núcleos performáticos, a obra pretende refletir sobre as injustiças e processos de desumanização da nossa sociedade. A peça procura trazer o espectador para um diálogo franco sobre a busca por um entendimento de nossos papéis como indivíduos dentro da sociedade. Com Susanna Kruger, Alice Morena e outros. Texto de André Pellegrino, com direção de Daniel Belmonte. SERVIÇO: qui a sáb, 21h; dom, 19h. R$ 60. 70 min. Classificação: 16 anos. Até 29 de abril. Teatro Poeira – Rua São João Batista, 104 – Botafogo. Tel: 2537-8053.

Eles Não Usam Black Tie
Inserida no movimento operário da década de 50 no Brasil, questões ideológicas entre pai e filho, revelavam as difíceis condições de vida dos trabalhadores brasileiros, descrevendo uma perspectiva realista das favelas dos grandes centros urbanos. A adaptação ambienta a trama em uma favela brasileira em um contexto atemporal e musicado, onde as canções reforçam a voz da comunidade. As personagens do morro compõem uma grande família, ligada por laços sanguíneos e afetivos. Toda essa estrutura é abalada quando ações individuais põem em xeque um movimento em comum. Com Antonia Medeiros, Clara Equi e outros. Texto de Gianfrancesco Guarnieri, com adaptação de Isabella VIllalba e direção de Julio Angelo. SERVIÇO: qui e sex, 20h. R$ 30. Classificação: 12 anos. De 5 até 27 de abril. Teatro Cesgranrio – Rua Santa Alexandrina, 1011 – Rio Comprido. Tel: 2103-9682.

Enrolados
Foram selecionados textos das séries “Os Normais”, de Alexandre Machado e Fernanda Young (sucesso com Fernanda Torres e Luis Fernando Guimarães, na TV Globo, nos anos 90), “Comédia da Vida Privada” (de Luis Fernando Verissimo, Pedro Cardoso, entre outros) e filmes como “Pequeno Dicionário Amoroso”, de Sandra Werneck e com roteiro de Paulo Halm, além de textos de alguns autores contemporâneos como Ivan Fernandes, Paula Rocha, Raul Franco, Cristina Fagundes e do próprio Rodrigo Candelot. Toda essa coletânea serviu de base para os muitas esquetes do espetáculo. Com Evandro Rocha, Michele Ribeiro e outros. Direção de Rodrigo Candelot. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 19h. R$ 50. 70 min. Classificação: 14 anos. De 6 até 29 de abril. Teatro Nathalia Timberg – Freeway – Avenida das Américas, 2000 – Barra da Tijuca. Tel: 2442-5188.

Estação Terminal
Baseado no diário de Lima Barreto, na época em que esteve internado em um hospício. O espetáculo é uma releitura de “Cemitério dos Vivos”, peça que lançou a Cia. Ensaio Aberto há 25 anos. Misturando artes plásticas e teatro numa mesma performance, o ator interage com o público e com uma obra da artista plástica Suzana Queiroga. Com Tuca Moraes. Texto de João Batista, com direção de Luis Fernando Lobo. SERVIÇO: dom, 19h. R$ 50. 50 min. Classificação: livre. Até 27 de maio. Armazém da Utopia – Orla Conde, Armazém 6, Cais do Porto. Tel: 2516-4893.

Estúpido Cupido
emcartaz-estupidocupido Tetê, ex-miss, hoje atriz famosa e apresentadora do programa “Sossega” é convencida por sua melhor amiga desde os tempos de escola, Ana Maria, através do Facebook, a ir num reencontro da turma de colégio, uma festa com músicas e figurinos dos anos 60 e 70. No convite está bem claro: trilha sonora, drinques, traje, tudo vai levar as personagens de volta à era da inocência. No evento, Tetê reencontra não só a rival Wanda, como também o ex-marido Frankie e uma antiga paixão, Teddy – um namorico do colegial. Wanda, durante a comemoração, mostra que os anos não conseguiram domá-la, e chega com o mesmo objetivo de Tetê: laçar Tadeu – ou Teddy, para os íntimos. Só que elas não esperavam que Teddy trouxesse na lambreta sua nova namorada, uma jovem de 21 anos, estilo 2015. Com Françoise Forton, Carlos Bonow e outros. Texto de Flávio Marinho, com direção de Gilberto Gawronski. SERVIÇO: qui, 20h; sex e sáb, 21h; dom, 20h. R$ 80 (qui e sex) e R$ 90 (sáb e dom). 90 min. Classificação: 12 anos. Até 27 de maio. Teatro Vannucci – Shopping da Gávea- Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2274-7246.

Farnese de Saudade
O universo do artista plástico mineiro Farnese de Andrade é tema desse espetáculo-instalação premiado. Como uma manifestação do artista, o ator narra suas experiências em primeira pessoa, e é também objeto-criatura de Farnese. Com texto e atuação de Vandré Silveira, e direção de Celina Sodré. SERVIÇO: qui a sáb, 21h; dom, 19h. R$ 50. 50 min. Classificação: 12 anos. Até 29 de abril. Teatro Poeirinha – Rua São João Batista, 104 – Botafogo. Tel: 2537-8053.

Gatão de Meia Idade
A comédia teatral, que sai das tradicionais tirinhas do Jornal O Globo e pela primeira vez no teatro, é inspirada no livro “Cama de gato, Histórias de Cama do Gatão de Meia Idade”, de autoria de Miguel Paiva e aqui adaptada para os palcos por seu próprio criador. Lançado pela Editora Globo, retrata de maneira precisa e bem-humorada o quarentão urbano que sabe rir do seu próprio destino e da sua própria imagem. O personagem “Gatão” é um homem na faixa dos 50 anos, solteiro, crítico de sua condição, mas que não quer envelhecer sozinho e sabe que, se não se esforçar para isso, vai acabar assim. Além disso, ele é bastante antenado, mas sua antena está, muitas vezes, direcionada para o satélite errado e ele sofre com isso. Com Leona Cavalli e Oscar Magrini. Texto de Miguel Paiva, com direção de Eduardo Figueiredo. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 19h. R$ 40 (sex e dom) e R$ 50 (sáb). 75 min. Classificação: 16 anos. Até 22 de abril. Imperator – Centro Cultural João Nogueira – Rua Dias da Cruz, 170 – Méier. Tel: 2597-3897.

O Grelo em Obras
Espetáculo de comemoração dos 20 anos do grupo O Grelo Falante. O espetáculo é uma revisão da trajetória desse coletivo de mulheres que faz humor sobre tudo, mas, acima de tudo, é uma autocrítica implacável ao conteúdo produzido pelo grupo ao longo desse tempo. Se muita coisa mudou nas últimas duas décadas, o Grelo acompanha essas mudanças por meio de uma releitura e de novas possibilidades. Texto e atuação de Carmen Frenzel, Claudia Ventura e Lucília de Assis. Direção de Fabiano de Freitas. SERVIÇO: sex a dom, 20h. R$ 30. 70 min. Classificação: 14 anos. Até 29 de abril. Sesc Tijuca – Rua Barão de Mesquita, 539 – Tijuca. Tel: 3238-2164.

O Imortal
Uma mulher recebe de um antiquário os seis volumes da tradução inglesa da “Ilíada”, de Homero. Dentro do sexto volume, ela descobre um manuscrito escondido. É o relato autobiográfico de Marco Flamínio Rufo, tribuno militar do Império Romano, que, no século III d.C., partiu em busca da Cidade dos “Imortais” e do rio que purificaria da morte todo aquele que bebesse de suas águas. No decorrer da narrativa, acompanhamos os acontecimentos da desafiadora trajetória do tribuno: desde o seu encontro com um estrangeiro que lhe revela a existência do rio e da cidade, até as inúmeras tentativas de encontrá-los nas paisagens desérticas mais terríveis. Com Gisele Fróes. Texto de Adriano Guimarães e Patrick Pessoa, baseado no conto homônimo de Jorge Luis Borges. Direção dos Irmãos Guimarães. SERVIÇO: qua a dom, 19h30. R$ 20. Classificação: 12 anos. Até 27 de maio. Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) – Teatro III – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro. Tel: 3808-2020.

O Inevitável Trem
Espetáculo conta a história de um casal que em sua última conversa revive as histórias de amor e conflito do seu relacionamento. Vitória é uma fotógrafa sonhadora e Jean Paul é um chef de cozinha de olhar prático para a vida. O amor deles sempre foi mais sensorial do que racional, era raro encontrarem opinião comum sobre qualquer coisa. A relação é posta ainda mais a prova quando percebe-se entre o casal uma luta interna. Por um lado, um deles tenta de todas as formas salvar a relação e o outro está convencido de que o ciclo que os unia terminou. De uma forma tragicômica o espetáculo faz com que, a partir do conflito entre essas visões quase opostas, surjam os questionamentos sobre a vida, o cotidiano e até mesmo, sobre o existencialismo. Com Giuseppe Oristanio e Carla Nagel. Texto e direção de Pedro Jones. SERVIÇO: qui e sex, 20h. R$ 40. 70 min. Classificação: livre. De 19 de abril até 18 de maio. Sala Baden Powell – Avenida Nossa Senhora de Copacabana, 360 – Copacabana. Tel:2547-9147.

Insetos
São doze quadros que se entrelaçam formando a narrativa, na qual o autor fala sobre medo e manipulação. Como uma fábula, o texto traça paralelos entre a natureza e questões políticas e sociais da atualidade – evocando comportamentos coletivos e individuais que vão sendo revelados na voz de diferentes insetos: cigarra, gafanhoto, barata, louva-a-deus, besouro, mariposa, borboleta, mosquito, cupim e formiga, entre outros. Com Cesar Augusto, Marcelo Olinto e outros. Da Cia. dos Atores. Texto de Jô Bilac, com direção de Rodrigo Portella. SERVIÇO: qua a sex, 19h; sáb, 17h e 19h; dom, 19h. R$ 20. 80 min. Classificação: 14 anos. Até 6 de maio. Centro Cultural Banco do Brasil (CCBB) – Salas C/D – Rua Primeiro de Março, 66 – Centro. Tel: 3808-2020.

Isso Vai Funcionar de Alguma Forma
Criação artística múltipla a partir do encontro de 16 artistas de diferentes linguagens. Com a proposta de refletir sobre a construção cultural a partir da característica que une todas as envolvidas na criação: pertencer socialmente ao gênero mulher – compreendendo a diversidade que este termo envolve, da existência à resistência. Com Amanda Miásci, Vilma Melo e outras. Do Grupo BARKA. Texto de Renata Mizrahi, Dominique Arantes, Keli Freitas E Daniele Ávila Small, com direção de Cristina Moura, Denise Stutz, Inez Viana e Rúbia Rodrigues. SERVIÇO: qui a dom, 20h. R$ 30. 70 min. Classificação: 16 anos. Até 29 de abril. Oi Futuro Flamengo – Rua Dois de Dezembro, 63 – Flamengo. Tel: 3131-3060.

LTDA.
A obra inédita busca lançar um olhar sobre a condição humana em tempos de pós-verdade e pós-ética. A história da peça: Em um edifício empresarial, um jovem recém-formado em jornalismo aguarda ansioso para a sua primeira entrevista de emprego. A empresa, que aparenta ser uma agência de jornalismo, aos poucos revela seus reais propósitos. Uma das antigas funcionárias, aquela que recebe o futuro novo empregado, manifesta o motivo de ainda estar ali: ela pretende ser demitida para, finalmente, abrir o seu próprio negócio. Na sala dos sócios fundadores da empresa, o rapaz é entrevistado e o serviço é exposto de maneira clara e inconfundível: “você será (bem) pago para inventar e divulgar notícias com o objetivo de expandir o mercado das empresas que contratam nossos serviços”. Porém, nada é assim tão simples e, pouco a pouco, a empresa vai ruindo porque as mentiras não são produtos apenas para os clientes, são também a engrenagem através da qual essa empresa funciona. É ano de eleição no Brasil: a situação se agrava quando uma famosa figura pública, aspirante à presidência, compra os serviços da empresa. O que aconteceria se toda e qualquer verdade inventada virasse um fato? Com Brisa Rodrigues, Brunna Scavuzzi e outros. Texto de Diogo Liberano, com direção de Debora Lamm. SERVIÇO: qui a sáb, 19h. R$ 40. 70 min. Classificação: 16 anos. Até 26 de maio. Teatro Eva Herz – Livraria Cultura – Rua Senador Dantas, 45 – Centro. Tel: 3916-2600.

Luz Vermelha
O espetáculo se passa no submundo da Lapa, num cortiço e num cabaré que pertencem a Miguela, ex-policial corrupto que explora as travestis do bairro, só pensa no poder e comanda um grupo de extermínio para acabar com traficantes e com homofóbicos. Miguela domina toda a área. Catite é uma jovem travesti gananciosa e sem limites que também quer o poder. Ela faz contraponto com Miguela. Pola ganha a vida injetando silicone nas travestis da área e chega para se vingar e ajustar contas do passado com Miguela. Nonato, um repórter investigativo, vai atrás de uma matéria inédita para seu jornal e através de cenas em flash back Pola relata tudo o que aconteceu a ela. Com Dolores DelRio, Luis Xaxu e outros. Texto de Dolores DelRio, com direção de Marco Miranda. SERVIÇO: sáb, 21h; dom, 18h30. R$ 50. 90 min. Classificação: 16 anos. De 21 de abril até 27 de maio. Teatro Princesa Isabel – Avenida Princesa Isabel, 186 – Leme. Tel: 2275-3346.

Mamãe
Depois da arquiteta Marpe Facó receber um diagnóstico de um tumor cerebral, Álamo Facó vivenciou 100 dias de uma verdadeira jornada emocional. Sempre ao seu lado, acompanhou em detalhes o tratamento, a luta e o dia a dia de sua mãe. Após seu falecimento, mergulhou em um processo de criação que chamou de “A Síntese do Relevante”, de onde nasceu o solo “Mamãe”. Influenciado por artistas como Lygia Clark, Bruce Nauman e Marina Abramovic, a peça não traz o drama exacerbado das histórias com essa temática, nem tampouco sua estética traz os tons pastéis de um hospital. A peça tem como prioridades, o encontro com o espectador e a busca pelo ineditismo.Texto e atuação de Álamo Facó, que divide a direção com Cesar Augusto. SERVIÇO: sáb e dom, 20h. R$ 40. 70 min. Classificação: 14 anos. Até 29 de abril. Teatro Cesgranrio – Rua Santa Alexandrina, 1011 – Rio Comprido. Tel: 2103-9682.

Mamãe Voltou
Até aonde pode chegar a fixação de uma mãe por um filho? Dona Conceição irá nos mostrar exatamente isso. Ela é engraçada, afetuosa, teimosa e entre outras coisas, ela é capaz de ressuscitar dos mortos pra tomar conta da vida do filho Jorginho. Com Raphael Monteiro, Vander Rabelo e outros. Texto e direção de Rodrigo Scheer. SERVIÇO: ter e qua, 20h. R$ 50. 60 min. Até 6 de junho. Teatro Cândido Mendes – Rua Joana Angélica, 63 – Ipanema. Tel: 2523-3663.

Maria!
A peça é uma organização das crônicas e canções de Antônio Maria, costuradas de modo a constituírem um enredo. O tempo cronológico do espetáculo é o de um dia na vida de Maria, o dia de seu aniversário, mas suas lembranças é que dão o tom biográfico que cria o enredo da peça. Com Claudio Mendes. Texto de Antônio Maria, com dramaturgia de Claudio Mendes e direção de Inez Viana. SERVIÇO: qui a sáb, 21h; dom, 20h. R$ 30 (ou R$ 7,50 para associados Sesc). 70 min. Classificação: 12 anos. Até 6 de maio. Sesc Copacabana – Mezanino – Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana. Tel: 2547-0156.

Os Monólogos da Vagina
Depoimentos verídicos de mais de 200 mulheres colhidos pela autora em todo o mundo abordam de maneira extremamente bem-humorada, direta e livre de preconceitos uma reflexão sobre a relação da mulher com sua própria sexualidade. É um espetáculo que fala sobre o universo feminino sem ser feminista. Com Maximiliana Reis, Cacau Melo e outros. Texto de Eve Ensler, com direção de Miguel Falabella. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 20h. R$ 80. 90 min. Classificação: 12 anos. De 6 até 29 de abril. Teatro das Artes – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2540-6004.

Mordidas
Na trama as quatro amigas estão na casa de Raquel, numa tarde qualquer, às voltas com a morte do seu cachorrinho de estimação (Bola de Neve), inconformadas promovem um julgamento non-sense onde a empregada é acusada, sem direito a defesa, pela morte do cãozinho. O episódio provoca nas quatro um rebuliço tamanho que passamos a assistir em cena um julgamento divertidíssimo, cada uma faz revelações surpreendentes sobre a outra, numa sucessão de acusações bizarras, que revelam a verdadeira face de cada uma. Com Ana Beatriz Nogueira, Zélia Duncan e outros. Texto de Gonzalo Demaria, com tradução de Miguel Falabella e direção de Victor Garcia Peralta. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 19h30. R$ 70 (sex e dom) e R$ 80 (sáb). Classificação: 12 anos. Até 27 de maio. Teatro Fashion Mall – Shopping Fashion Mall – Estrada da Gávea, 899 – São Conrado. Tel: 2111-4444.

A Mulher de Bath
À beira de uma estrada, em plena Inglaterra medieval, uma mulher de vasta experiência e de ardorosa oratória conta a história de sua vida exemplar, universal e única: seus amores incansáveis, seus rancores, suas paixões e vinganças, suas traições e sua grandeza, seu conhecimento profundo do pecado, da salvação e do espírito humano. E ela o faz sem poupar ninguém, nem a si própria. As coisas são ditas como são, sem enfeites, de forma clara, irreverente, e simples. A Mulher de Bath é uma mulher à frente de sua época, e deixará de queixo caído as feministas da atualidade. Com Maite Proença. Texto de Geoffrey Chaucer, com direção de Amir Haddad. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 19h. Classificação: 12 anos. Até 29 de abril. Teatro XP Investimentos – Avenida Bartolomeu Mitre, 1110B – Gávea. Tel: 2537-9057.



Nara, a Menina Disse Coisas
Espetáculo relembra momentos importantes da vida da cantora Nara Leão com canções que marcaram a sua carreira, como “A Banda”, “João e Maria” e “História de uma gata”. Nara Leão é muito mais do que musa da Bossa Nova. É uma mulher que esteve sempre à frente, rompendo padrões, se expondo sem medo e sem rótulos. Um tanto feminista, um tanto sambista, um tanto tropicalista, um tanto tanta coisa. Nara não buscou uma classificação. Apenas viveu de acordo com o que julgava correto e com o que lhe apetecia. Com Aline Carrocino e Marcos França. Texto de Hugo Sukman e Marcos França, com direção de Priscila Vidca. SERVIÇO: sáb a seg, 20h30. R$ 50. 80 min. Classificação: livre. Até 21 de maio. Teatro Ipanema – Rua Prudente de Morais, 824 – Ipanema. Tel: 2267-3750.

Nascituros
Após um incidente um casal é forçado a se separar. Dez anos depois, quando uma das partes decide escrever uma peça sobre seu passado, a fim de expurgar suas aflições, a outra reaparece na tentativa de impedir a exposição dessa história, pois contém segredos que podem acarretar mais problemas. A trama é contada utilizando diversas linguagens teatrais através de dois planos simultâneos onde revelam o presente e o passado dos personagens. Com Bruno Marques, John Marcatto e outros. Texto de John Marcatto, com direção de Victor Fontoura. SERVIÇO: sex a dom, 19h. R$ 30. 60 min. Classificação: 14 anos. Até 6 de maio. Centro Cultural da Justiça Federal (CCJF) – Avenida Rio Branco, 241 – Centro. Tel: 3261-2550.

A Noite dos Inocentes
O espetáculo fala de amor, perda e substituição pelo ponto de vista de três personagens masculinos: CAIO, um escritor em crise, NANDO, um professor de natação pragmático e RODOLFO, um jovem advogado especializado em seduzir quem lhe cruza o caminho. A ação se passa num apartamento sala-e-quarto no bairro de Copacabana, Rio de Janeiro nos dias atuais. É lá que Caio mora e se refugia em meio a poemas, lembranças e zonas sombrias de infelicidade. Nando é o dono do imóvel e vem requerer sua posse, exigindo que Caio o esvazie. Eles, que já foram um casal, no tempo presente da ação vivem a delicada relação comercial de proprietário-inquilino, agravada pelo fato de que há alguns meses Caio não mais paga o valor que lhe é devido. Com Anderson Guimarães, Guilherme Albertini e Wilson Granja. Cia. Casa dos Azulejos. Texto de Rodrigo Murat, com direção de Nelson Yabeta. SERVIÇO: sex e sáb, 19h. R$ 30. Classificação: 16 anos. Num apartamento em Copacabana. O local exato do ponto de encontro será informado no momento da reserva. Informações e reservas: (21) 96902-3444 (Wilson), (21) 97521-6352 (Anderson), (21) 99751-9322 (Gui) – anoitedosinocentes@gmail.com.

[nome do espetáculo]
Montagem brasileira de espetáculo cult da Broadway. É a história real (ou quase real) de Jeff e Hunter. Para participar de um festival, os dois escritores, com a ajuda de Susan, Heidi e Larry, precisam criar um musical em apenas três semanas. Através da metalinguagem, o espetáculo aborda o próprio fazer artístico e todas as etapas de se produzir arte de maneira independente, tudo isso impregnado de referências da cultura pop. Com Ingrid Klug, Junio Duarte e outros. Texto de Hunter Bell, com direção de Tauã Delmiro. SERVIÇO: ter e qua, 19h. R$ 60. 90 min. Classificação: 14 anos. Até 30 de maio. Teatro Eva Herz – Livraria Cultura – Rua Senador Dantas, 45 – Centro. Tel: 3916-2600.

Obscena, um Encontro com Hilda Hilst
O solo poético apresenta a lírica da escritora paulista por meio de uma diversidade de linguagens artísticas, partindo da intersecção entre teatro, música, literatura, vídeo e artes plásticas, numa estética multidimensional. Na peça, o universo masculino é visitado e desejado em cena. As figuras do Pai, do Filho e do Amor são as linhas grossas deste bordado. A vida da escritora é misturada com a da atriz, que se deságua num texto profundamente humano. Com Fabiana Pirro. Texto e direção de Luciana Lyra. SERVIÇO: sex a dom, 19h. R$ 20. 50 min. Classificação: 16 anos. Até 29 de abril. Caixa Cultural Rio de Janeiro – Avenida Almirante Barroso, 25 – Centro. Tel: 3980-3815.

O Papagaio
O espetáculo, uma adaptação cênica do livro “O Papagaio & Outras Músicas”, considerado um dos 10 melhores lançamentos do ano pelo jornal O Estado de São Paulo -, traz de volta aos palcos uma encenação que propõe dar protagonismo à palavra, despojando-se de quaisquer outros recursos além da própria fisicalidade do artista. O texto mobiliza e convida que ultrapassemos os limites humanos e a lógica. Ator e diretor, pai e filho, buscam na linguagem desenvolvida para o espetáculo reivindicar o palco como domínio do ator. É a experiência provocada pelo encontro entre artista e plateia que está em primeiro plano, pois através dos temas tratados – e principalmente a estrutura cênica – pretende-se ainda reforçar o interesse do público pela dramaturgia brasileira. Com Marcelo Picchi. Texto e direção de Thiago Picchi. SERVIÇO: sex a dom, 20h. R$ 40. 50 min. Classificação: 12 anos. Até 29 de abril. Teatro Café Pequeno – Avenida Ataulfo de Paiva, 269 – Leblon. Tel: 2294-4480.

Playground
O primeiro encontro de Daniel e Karina acontece aos oito anos de idade na enfermaria da escola em que estudam. Ela sente dores no estômago e ele acabou de cair de bicicleta de cima do telhado. O que parecia pouco provável a princípio, acontece: já no final da primeira cena a amizade é selada com uma bela e sincera demonstração de empatia. A história é contada no decorrer de trinta anos de forma fragmentada. As cenas se passam em intervalos de ora quinze anos para frente e ora dez anos para trás na vida dos protagonistas. Enquanto os anos passam, a amizade dos dois aumenta e, cena a cena, o espectador pode enxergar o rumo que essa relação toma e o vínculo profundo que se estabelece entre feridas no corpo e na alma dos personagens. Entre encontros e desencontros, os amigos se distanciam chegando a ficar anos sem se encontrar, mas seus caminhos voltam a se cruzar, sempre em momentos delicados nos quais a dor (muitas vezes física) aproxima ainda mais os amigos. Nesta dramaturgia impactante, o público se depara com um humor afiado que, magistralmente, propõe uma percepção ainda mais afiada sobre a condição humana. Com Lara Hassum e Mateus Monteiro. Texto de Rajiv Joseph, com direção de Marco Antônio Pâmio. SERVIÇO: ter a qui, 20h. R$ 30. 80 min. Classificação: 12 anos. De 24 de abril até 3 de maio. Solar de Botafogo – Rua General Polidoro, 180 – Botafogo. Tel: 2543-5411.

Um Quase Gagliasso
O espetáculo leva para o palco um ponto de vista diferente sobre o mercado artístico. O irmão de Bruno Gagliasso mostra como funcionam os bastidores do meio para quem carrega um sobrenome de peso. Na peça, que marca seu retorno à carreira de ator, Thiago exibe, de maneira leve e divertida, os ajustes pelos quais passamos ao longo da vida, fazendo crítica afiada à sociedade sobre os estereótipos criados pela mídia em relação às celebridades e à chamada vida real. Seus ‘companheiros’ de palco são projeções com as quais o ator interage, como a de um repórter. Com Thiago Gagliasso. Texto de Thiago Gagliasso, com direção de Luciano Salles. SERVIÇO: qua, 20h. R$ 60. Até 31 de maio. Casa de Cultura Laura Alvim – Avenida Vieira Souto, 176 – Ipanema. Tel: 2332-2015.

Que Tempos São Esses?
Um espetáculo sobre o intelectual militante e a posição dos artistas na sociedade. A montagem realiza um mosaico sobre a práxis de Brecht. Faz parte do projeto Ano Marx da Cia. Ensaio Aberto. Direção de Luiz Fernando Lobo. SERVIÇO: sex e sáb, 19h. R$ 50. 120 min. Classificação: livre. Até 26 de maio. Armazém da Utopia – Orla Conde, Armazém 6 – Cais do Posto. Tel: 2516-4893.

O Rei da Vela
No escritório de usura de Abelardo & Abelardo, o protagonista Abelardo I (Marcelo Drummond), banqueiro, agiota, o Rei da Vela, com seu domador de feras, o empregado socialista Abelardo II (Tulio Starling) subjugam clientes numa jaula – devedores, impontuais, protestados… Burguês, Abelardo faz um negócio para a compra de um brasão: casar com Heloísa de Lesbos (Sylvia Prado) que se negocia como valiosa mercadoria para manutenção da família, falida pela crise do café, no seleto grupo dos 5% da elite. Abelardo I, submisso ao capital estrangeiro do Americano (Ricardo Bittencourt), no terceiro ato leva um golpe de Abelardo II, que o sucede na manutenção da usura do capital. De Oswald de Andrade, com direção de Zé Celso Martinez Corrêa. Do Teatro Oficina. SERVIÇO: sex, 20h; sáb e dom, 19h. R$ 80. 210 min. Classificação: 16 anos. De 14 até 22 de abril. Cidade das Artes – Avenida das Américas, 5300 – Barra da Tijuca. Tel: 3328-5300.

Romeu e Julieta
Adaptação da peça de William Shakespeare para o teatro musical, com 25 canções do repertório do Marisa Monte. A tragédia escrita entre 1591 e 1595, nos primórdios da carreira literária do inglês, conta a história de dois adolescentes apaixonados cuja morte acaba unindo suas famílias, outrora em pé de guerra. A obra é uma das mais levadas aos palcos do mundo inteiro e hoje o relacionamento dos protagonistas é considerado como o arquétipo do amor juvenil. Com Bárbara Sut, Thiago Machado e outros. Adaptação e roteiro musical de Gustavo Gasparani e Eduardo Rieche, com direção de Guilherme Leme Garcia. SERVIÇO: sex e sáb, 20h; dom, 18h. R$ 50 a R$ 140 (sex) e R$ 50 a R$ 160 (sáb e dom). 120 min. Classificação: livre. Até 27 de maio. Teatro Riachuelo – Rua do Passeio, 40 – Cinelândia. Tel: 2533-8799.

Salinama – Mar de Lama
Em cena, onze atores que são peças de xadrez. A história se passa numa cidade do interior do Brasil chamada Salinama. Lá os políticos Lourenço Milito, Vicente Colombo e Adalberto Torres participam de um esquema de corrupção para conseguir apoio para as próximas eleições. A delegada da cidade, Miriam, insatisfeita com seu trabalho entediante, recebe uma incrível denúncia onde crueldade, drogas e sexo se misturam. Ao investigar o caso, não só encontrará a corrupção, mas um verdadeiro mar de lama. Com André Caldas, Beatriz Costa e outros. Texto de Estaine Alencar, com direção de Júlio Luz. SERVIÇO: sáb, 20h30; dom, 19h30. R$ 40. 70 min. Classificação: 14 anos. Até 6 de maio. Casa da Espanha – Rua Maria Eugênia, 300 – Humaitá. Tel: 98127-9366.

Solitárias
Criado a partir dos relatos de mulheres que foram presas e torturadas no estado do Rio de Janeiro durante o período da Ditadura, presentes no relatório final da Comissão da verdade do Rio (CEV-RIO). A peça revisita esses depoimentos inéditos para os palcos, através de uma perspectiva artística contemporânea, promovendo este diálogo entre o ontem e o hoje. Com Carolina Caju. Texto de Clarisse Zavros,com direção de Douglas Resende. SERVIÇO: sex a dom, 19h. R$ 30 (ou R$ 7,50 para associados Sesc). 50 min. Classificação: 16 anos. Até 6 de maio. Sesc Tijuca – Teatro II – Rua Barão de Mesquita, 539 – Tijuca. Tel: 3238-2139.

Tarde Demais
As palavras pronunciadas são flechas, que uma vez lançadas, são impossíveis de regressar no arco. Elas flutuam enquanto ele se afunda para chegar no fundo em que … não tem nada de misterioso, o que faz as coisas regressarem a seu lugar. As cores e formas de Edward Hopper, Salvador Dalí, Goya, Rembrandt e as palavras de Franz Kafka, Albert Camus, Alejandro Jodorowsky e Jorge Amado são algumas das fortes referências no processo de composição da cena. O que se vê no palco é um confronto entre verbo e carne: as palavras são como água – afogam o corpo – e flecha – uma vez desferidas, não retornam, flutuam, esvaziam um corpo que afunda. Atuação e direção de Nicolás Yanco. SERVIÇO: seg e ter, 20h. R$ 40. Classificação: 16 anos. Até 24 de abril. Midrash Centro Cultural – Rua General Venâncio Flores, 184 – Leblon. Tel: 2239-1800.

Tia Julia e o Escrevinhador
A peça de teatro é a adaptação de um dos livros mais originais de Mario Vargas Llosa. Autobiográfica, ela conta a história de Marito, um jovem com ambições literárias que se apaixona por sua tia Julia, divorciada e com quase o dobro da sua idade. Em paralelo a esse romance proibido na Lima dos anos 50, Marito conhece Pedro Camacho, autor excêntrico de radionovelas cujos enredos mirabolantes fascinam os peruanos. As novelas vão muito bem, até o dia em que Pedro Camacho, sobrecarregado, começa a confundir enredos e personagens criando histórias hilariantes e absurdas. E, ao mesmo tempo, o romance entre Marito e tia Julia é descoberto pela família. Com Arthur Portella, Fernanda Teixeira e outros. Texto de Mario Vargas Llosa, com direção de Ritcheli Santana. SERVIÇO: qui a sáb, 19h30. R$ 40. Classificação: livre. Até 28 de abril. Teatro Serrador – Rua Senador Dantas, 13 – Centro. Tel: 2220-5033.

Tô de Graça – da TV Para o Palco
Graça é uma pedinte e catadora de latas que tem a missão diária de sustentar e administrar as confusões de uma familia, onde tem um marido eternamente desempregado e dos seus treze filhos. É sobre essa personagem tão comum, e ao mesmo tempo invisível à sociedade, que conta a história “Tô de Graça – da TV Para o Palco “, já aclamada na TV à cabo, chega aos palcos cariocas, com força total. Com Rodrigo Sant’anna, Andy Gercker e outros. Texto e direção de Rodrigo Sant’anna. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 20h. R$ 60 (sex) e R$ 70 (sáb e dom). 60 min. Classificação: 12 anos. Até 3 de junho. Teatro Miguel Falabella – Norte Shopping – Avenida Dom Helder Câmara, 5332 – Cachambi. Tel: 2597-4452.

Tom na Fazenda
Na história, após a morte do seu companheiro, o publicitário Tom vai à fazenda da família para o funeral. Ao chegar, ele descobre que a sogra nunca tinha ouvido falar dele e tampouco sabia que o filho era gay. Nesse ambiente rural austero, Tom é envolvido numa trama de mentiras criada pelo truculento irmão do falecido, estabelecendo com aquela família relações de complicada dependência. A fazenda, aos poucos, vira cenário de um jogo perigoso, onde quanto mais os personagens se aproximam, maior a sombra de suas contradições. Com Armand Babaioff, Kelzy Ecard e outros. Texto de Michel Marc Bouchard, com direção de Rodrigo Portella. SERVIÇO: qui a sáb, 21h; dom, 19h. R$ 60 (qui e dom), R$70 (sex e sáb). 110 min. Classificação: 18 anos. Até 27 de maio. Teatro do Leblon – Sala Marília Pêra – Rua Conde Bernadotte, 26 – Leblon. Tel: 2569-7700.

O Topo da Montanha
A peça se passa na véspera do assassinato de Martin Luther King. Na história, ambientada em Memphis, o pastor símbolo da luta pelos direitos civis dos negros nos Estados Unidos conhece a misteriosa camareira Camae, que o confronta, lembrando-o que, como todos, é humano. Com Taís Araújo e Lázaro Ramos. Texto de Katori Hall, com direção de Fernando Philbert. SERVIÇO: sex e sáb, 21h; dom, 19h. R$ 100 (balcão) ou R$ 120 (plateia e frisas). 90 min. Classificação: 12 anos. Até 29 de abril. Theatro Net Rio – Rua Siqueira Campos, 143 – Copacabana. Tel: 2147-8060.

Traga-me a Cabeça de Lima Barreto
Inspirado livremente na obra de Lima Barreto, especialmente em “Diário Íntimo” e “Cemitério dos vivos”, o espetáculo reúne trechos de memórias impressas nas obras de Lima Barreto, entrecruzadas com livre imaginação. A peça mostra uma imaginária sessão de autópsia na cabeça de Lima Barreto, conduzida por médicos eugenistas, defensores da higienização racial no Brasil, na década de trinta. O propósito seria esclarecer “como um cérebro considerado inferior poderia ter produzido uma obra literária de porte se o privilégio da arte nobre e da boa escrita é das raças tidas como superiores?”. A partir desse embate, a peça mostra as várias facetas da personalidade e da genialidade de Lima Barreto, refletindo sobre loucura, racismo e eugenia, a obra não reconhecida e os enfrentamentos políticos e literários de sua época. Com Hilton Cobra. Texto de Luiz Marfuz, com direção de Fernanda Júlia. SERVIÇO: sex a seg, 20h. R$ 30. 60 min. Classificação: 14 anos. Até 14 de maio (dia 16 de abril excepcionalmente não haverá espetáculo). Teatro Glaucio Gill – Praça Cardeal Arcoverde, s/n – Copacabana. Tel: 2332-7904.

O Último Capítulo
A peça conta a história de um casal em crise: Berenice, uma romântica e sonhadora diarista apaixonada por novelas, e Dagoberto, um desempregado crônico fanático por futebol. Berê chega do trabalho ansiosa para curtir o último capítulo de sua novela preferida, mas um repentino apagão acaba com seus planos de acompanhar o desfecho do folhetim. Desolada, ela faz de tudo pra saber se Yolanda e Cézar, a mocinha e o galã, terminarão juntos: reza, faz promessa, pede à vizinha que ligue pra filha que mora num bairro chique e conte a trama… Nossa história se passa num tempo em que não há celular nem internet: resta ao casal, então, conversar. Através de flashbacks, Berenice e Dagoberto vão reavaliando sua relação e chegam à conclusão de que seu casamento também é uma grande novela, e que também está no último capítulo. Será que Berenice perdoará Dagoberto? Será que eles serão felizes para sempre? Com Mariana Xavier e Paulo Mathias Jr. Texto de Alexandre Morcillo e Clóvis Corrêa, com direção de Márcio Vieira. SERVIÇO: qua e qui, 21h. R$ 50 (mezanino) e R$ 60 (térreo). 70 min. Classificação: 10 anos. Até 10 de maio. Teatro Clara Nunes – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2274-9696.

A Vida Não É um Musical
Satirizando o universo dos contos de fadas da Disney e o atual cenário político, “A Vida não é um musical” apresenta Liz, uma personagem criada em um vale encantado. Com um humor ágil e inteligente, o musical mostra as mais variadas situações que Liz enfrenta na cidade grande ao se deparar com a violência, a pobreza e outros problemas do mundo real. Com Daniela Fontam, Thelmo Fernandes e outros. Texto de Leandro Muniz, que divide a direção com João Fonseca. SERVIÇO: qui a sáb, 20h30; dom, 19h. R$ 30. 105 min. Classificação: 16 anos. Até 6 de maio. Arena do Sesc Copacabana – Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana. Tel: 2548-1088.

YANK! – O Musical
Carta de amor aos filmes e musicais dos anos 1940. O espetáculo conta a história de Stu, um correspondente de guerra, e Mitch, um soldado do exército, que se apaixonam e lutam pela sobrevivência num tempo e lugar onde as circunstâncias estão contra eles. Com Hugo Bonemer, Betto Marque e outros. Texto de David Zellnik, com tradução e versões de Vitor Louzada e Menelick de Carvalho, que assina a direção. SERVIÇO: ter e qua, 20h. R$ 60. 130 min. Classificação: 16 anos. Até 2 de maio. Teatro dos Quatro – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2239-1095.

Saraiva

———-

INFANTIL

Contos do Mar
O universo fantástico das fábulas e dos contos antigos inspirou a construção de uma grande narrativa, utilizando contos de diversos países: Japão, Itália, Brasil e Hungria. Todos eles apresentam personagens que possuem uma relação direta com o mar: uma princesa que tem como seu bem mais precioso um incrível aquário e neste um animal misterioso que a levará a viver uma grande aventura, um jovem príncipe que atravessa o mar e todos os seus perigos para tentar restabelecer a saúde de sua mãe, a rainha. E uma personagem fantástica, a senhora das águas do mar, uma poderosa rainha que se apaixona, é cruel, acolhedora e vingativa. Com Florencia Santángelo e Marcos Camelo. Texto de Marcos Camelo e Flavio Souza, que assina a direção. SERVIÇO: sáb e dom, 16h. R$ 20. 55 min. Classificação: indicado para crianças a partir de 4 anos. Até 27 de maio. Teatro Dulcina – Rua Alcindo Guanabara, 17 – Centro. Tel: 2240-4879.

Cururu: o Sapo Jururu
História do sapo Cururu, que conhece a lua, se encanta com a sua beleza e se apaixona por ela. Após ter o seu amor recusado, ele descobre o segredo que a envolve, e passa a ter uma missão: acabar com infelicidade da sua amada. Com Amanda Mendonça, André Caldas e outros. Texto de Tatiana Alves, com adaptação e direção de Júlio Luz. SERVIÇO: sáb e dom, 16h. R$ 30. 55 min. Classificação: livre. Indicado para maiores de 2 anos. Até 20 de maio. Centro Cultural Justiça Federal (CCJF) – Avenida Rio Branco, 241 – Centro. Tel: 3261-2565.

A Dama e o Vagabundo – O Musical
O espetáculo apresenta uma linguagem moderna, em relação ao famoso filme, que conta a história de amor entre uma cadela de raça e um vira-lata. Ela é uma Dama. Ele é um Vagabundo. Dois mundos; duas realidades; um caminho cruzado. O que será que acontece quando nos arriscamos a conhecer o desconhecido? No mínimo uma grande aventura! Claro que falamos dos nossos melhores amigos, os cachorros! Com Carol Leipelt, Caio Godard e outros. Direção de André Breda. SERVIÇO: sáb e dom, 17h. R$ 60. 55 min. Classificação: livre. Até 29 de abril. Teatro das Artes – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2540-6004.

Era Uma Vez Um Estranho
Em um país colorido, não se sabe se pertinho ou muito longe daqui, as pessoas viviam felizes. Até que um dia apareceu um certo tirano que resolveu mudar tudo. Mas 3 crianças resolvem enfrentar o Tirano, resgatar as cores e a alegria daquela gente. Com Gabriela Estolano, Higor Nery e outros.Texto de Ana Maria Machado, com adaptação e direção de Vinicius Baião. SERVIÇO: sáb, 16h. R$ 30. 55 min. Classificação: livre. Até 26 de maio. Teatro Eva Herz- Livraria Cultura – Rua Senador Dantas, 45 – Centro. Tel: 3916-2600.

Kalú e a Lua
Através de texto e músicas originais, contamos a saga de uma lobinha que, ao nascer, no meio de uma floresta do cerrado brasileiro, olha para o céu, e a primeira coisa que vê é a lua. Adotou no mesmo momento a lua como sua mãe! Com a ajuda de outros animais da floresta – Dona Macaca, Dona Arara e Sra Lagarta – inicia, então, seu caminho em direção à lua. Composto por jovens atrizes, que se revezam como narradoras, personagens e musicistas, a história trata do amor entre mãe e filha e de sua potência transformadora. Adentramos o universo feminino, onde estão em jogo as relações de cumplicidade entre famílias e do ser humano com a natureza. Com Anna Terra, Julia Ludolf e outros. Texto de Corre Cutia, com direção de Anna Terra Saldanha e Laura Becker. SERVIÇO: sáb e dom, 16h. R$ 30. Até 13 de maio. Teatro Glauce Rocha – Avenida Rio Branco, 179 – Centro. Tel: 2220-0259.

MAKURU – Um Musical de Ninar
A peça gira em torno de uma família – o pai, a mãe, a avó, que, com a ajuda da babá Bartira tentam fazer o menino Makuru dormir. Os adultos não sabem, no entanto, que em cima do telhado vivem seres estranhos: A Murucututu, a Tutu e o João Pestana, figuras do folclore indígena, africano e português invocados para embalar o sono das crianças. Juntos, os seres mágicos tentam a todo custo serem lembrados pela família para que a tradição das cantigas de ninar escapem do esquecimento. Com Ester Elias, Janaína Azevedo e outros. Texto e direção de José Mauro Brant. SERVIÇO: sáb e dom, 16h. R$ 50. 60 min. Classificação: livre. Recomendado para crianças a partir dos 6 anos. De 21 de abril até 27 de maio. Teatro Ipanema – Rua Prudente de Morais, 824 – Ipanema. Tel: 2267-3750.

Margarita Vai à Luta
Margarita recebeu seu nariz vermelho em 1988 após um curso em Buenos Aires. Desde então perambula pelas ruas do Rio e do Brasil. Foi cofundadora em 1991 e participou 10 anos d’As Marias da Graça. Mas foi em 2006, com o prêmio Carequinha que realizou seu projeto solo de dramaturgia para uma palhaça, inspirado nas gags e números clássicos de palhaços, sempre com o objetivo de mostrar que o arquétipo palhaço pode ser também feminino! Criação e atuação de Ana Luísa Cardoso. Roteiro de Mariana Mesquita, com supervisão de cena de Beto Brown.SERVIÇO: sáb e dom, 16h. R$ 20. 50 min. Até 29 de abril. Teatro Maria Clara Machado – Planetário da Gávea – Avenida Padre Leonel Franca, 240 – Gávea. Tel: 2274-7722.

O Menino das Marchinhas – Braguinha Para Crianças
emcartaz-omeninodasmarchinhas Continuação do projeto “Grandes Músicos Para Pequenos”, o musical infantil aposta no repertório eclético do compositor Braguinha, autor de “Balancê”, “Pirulito que bate bate”, “Carinhoso”, “Chiquita Bacana”, entre outros. O objetivo é contar para as crianças a vida e a obra desse artista e transportar os espectadores para os carnavais de rua do Rio de Janeiro dos anos 1920. Com Pedro Henrique Lopes, Beto Vandesteen e outros. Texto de Pedro Henrique Lopes, com direção de Diego Morais. SERVIÇO: sáb e dom, 17h. R$ 60. 55 min. Classificação: livre. Até 29 de abril. Teatro dos Quatro – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2239-1095.

Meu Ambiente
O espetáculo conta a história de dois meninos espertos e conscientes de sua importância no meio ambiente e que planejam salvar o Planeta da ação inconsequente e destrutiva do homem. Os personagens Pedro e João decidem iniciar uma grande campanha educativa através do plantio de árvores, no próprio colégio onde estudam. Para tanto, recebem o apoio do entusiasta Prof. Vivaldino e de sua colega Mafalda, mas encontram resistência em uma estranha professora que tenta impedir a realização da programação estabelecida pelo grupo. A despeito dos percalços e obstáculos, os meninos avançam em seus planos até se depararem com o Sr. Estranho que, a serviço do Sr. Xileno, um empresário muito rico, confisca as sementes do plantio das árvores. Com Jeremias Flores, Júlia Carino e outros. Texto e direção de Carrique Vieira. SERVIÇO: sáb e dom, 16h. R$ 40. 60 min. Classificação: livre. Até 13 de maio. Casa de Cultura Laura Alvim – Avenida Vieira Souto, 176 – Ipanema. Tel: 2332-2016.

Porquinhos, o Musical
Os porquinhos Kika, Rosa, Pietro e o Lobo Maumau vão alegrar a criançada. O musical traz uma linguagem infantil e interativa, fazendo com que a plateia participe ativamente do espetáculo. Os números musicais passam por gêneros como o jazz, blues, pop e o rock. Com Aléxia Pires, Paulo Eduardo Campos e outros. Texto de Dhark Tavares, com direção de Allan Ragazzy. SERVIÇO: sáb e dom, 16h. R$ 40. 60 min Classificação: livre. Até 22 de abril. Imperator – Centro Cultural João Nogueira – Rua Dias da Cruz, 170 – Méier. Tel: 2597-3897.

O Rei Leão
O espetáculo conta a história de Simba, um pequeno leãozinho que é filho de Mufasa, o Rei Leão, e da rainha Sarabi. O recém-nascido recebe a bênção do sábio babuíno Rafiki mas, ao crescer, é envolvido nas artimanhas de seu tio Scar, o invejoso e maquiavélico irmão de Mufasa, que planeja livrar-se do sobrinho e assumir o trono. Quando Simba se vê injustamente acusado pela morte de Mufasa, sua única chance de salvar sua vida é se exilar das Terras do Reino. Ele encontra abrigo junto a outros dois excluídos da sociedade, um javali chamado Pumba e um suricate chamado Timão, que lhe ensinam a filosofia do “Hakuna Matata” (sem preocupações). Anos depois, ao ser descoberto por Nala, sua amiga de infância, Simba tem que decidir se deve assumir suas responsabilidades como rei ou seguir com seu estilo de vida despreocupado. Com Caio Goes, Paola Dunkler e outros. Adaptação e direção de Celio Franco. SERVIÇO: sáb e dom, 17h. R$ 60. Classificação: livre. Até 29 de abril. Teatro dos Grandes Atores – Shopping Barra Square – Avenida das Américas, 3555 – Barra da Tijuca. Tel: 3325-1645.

Thomas e as Mil e Uma Invenções
Na Zona Norte do Rio, Thomas Edison da Silva mora com os pais, a avó e o gato. Aos nove anos de idade, ele tem a mente fervilhando de ideias, sempre inventando engenhocas de todos os tipos. Seu pai, o eletricista Edison da Silva, tem como ídolo um dos maiores inventores de todos os tempos: o norte-americano Thomas Alva Edison (1847–1931). Ao batizar o filho, fez uma homenagem ao cientista na esperança que o menino trilhasse os mesmos passos do xará famoso. Com Gabriel Stauffer, Hugo Kerth e outros. Texto de Vanessa Dantas, com direção de Fabianna de Mello e Souza. SERVIÇO: sáb e dom, 16h. R$ 20. 70 min. Classificação: livre. De 21 de abril até 10 de junho. Oi Futuro Flamengo – Rua Dois de Dezembro, 63 – Flamengo. Tel: 3131-3060.

Games Mais Vendidos

Share: