Especial Festival de Curitiba

Espetáculo dirigido por Ariane Mnouschkine no Brasil estreará no Festival de Curitiba

Há oito meses, o Teatro em Cena noticiou que a diretora francesa Ariane Mnouchkine (do Thêatre du Soleil) estava no Rio de Janeiro desenvolvendo um espetáculo inédito com elenco local. No mês que vem, ela apresentará o resultado com a estreia nacional de “As Comadres” no Festival de Curitiba, o maior do país voltado para as artes cênicas. O espetáculo compõe a mostra principal do festival, com curadoria de Guilherme Weber (de “Antes Que a Definitiva Noite Se Espalhe Pela Latino América”) e Marcio Abreu (de “Outros”), e fará duas apresentações no Teatro Guairinha, nos dias 27 e 28. Uma temporada no Rio de Janeiro está prevista para abril no Teatro Sesc Ginástico.

É a primeira direção de Ariane Mnouchkine fora do Thêatre du Soleil. No elenco, inteiramente feminino, está a atriz Juliana Carneiro da Cunha, brasileira integrante da companhia teatral francesa. São 20 atrizes no total, entre vários nomes conhecidos. Compõem o time Ana Achcar (de “Uma Ciranda Para Mulheres Rebeldes”), Anna Paula Secco (da Cia. Atores de Laura), Ariane Hime (de “Mercedes”), Beth Lamas (de “Vianninha Conta o Último Combate do Homem Comum”), Fabianna de Mello e Souza (Cia. dos Bondrés), Flavia Santana (de “Bibi – Uma Vida em Musical”), Gabriela Carneiro da Cunha (de “Ocupação Rio Diversidade”), Gillian Villa, Iza Eirado, Janaína Azevedo (de “Angela Maria – Lady Crooner”), Julia Carrera (de “Desaparecida”), Julia Marini (da Cia. Teatro Independente), Laila Garin (de “Gota D’Água [a seco]”), Leda Ribas (de “Arsênico e Alfazema”), Lilian Valeska (de “Angela Maria – Lady Crooner”), Maria Ceiça (de “Por Dentro da Música”), Sirléa Aleixo (de “Sintonia Suburbana”), Sonia Dumont (de “O Cão Que Sonhava Lobos”) e Thallyssiane Aleixo (de “Sintonia Suburbana”).

A peça é de Michel Tremblay, com tradução de Julia Carrera, e mostra uma reunião de mulheres com uma missão: colar um milhão de selos para que a amiga Germana ganhe tudo que é preciso para mobiliar sua casa. “Mulheres que trabalham, cuidam de seus filhos e marido, que traem e são traídas, que rezam. São amigas, cunhadas e vizinhas que, reunidas na cozinha, colando os selos falam dos seus sonhos e dissabores, desejos e medos, anseios e frustrações”, adianta a sinopse divulgada.

O espetáculo ainda contará com duas musicistas no palco, executando a trilha sonora original criada por Daniel Bélanger. A direção musical é de Wladimir Pinheiro – o mesmo de “Lapinha” (2014) e “Os Dez Mandamentos” (2016).

Comentários

comments