.Plantão

Estreia de Se Meu Apartamento Falasse é adiada

(Foto: Leo Ladeira)

Nova aposta da dupla Charles Möeller e Claudio Botelho, a versão brasileira do musical “Se Meu Apartamento Falasse” (Promises Promises) teve sua estreia adiada em uma semana. Inicialmente marcada para 9 de dezembro, ela agora vai acontecer apenas no dia 15. A temporada se dará no Teatro Bradesco, no Shopping Village Mall, na Barra da Tijuca, com o elenco principal formado por Marcelo Médici (de “Rocky Horror Show”), Malu Rodrigues (de “Beatles Num Céu de Diamantes”), Maria Clara Gueiros (de “A Invenção do Amor”) e Marcos Pasquim, que retorna aos musicais décadas após ter feito “Blue Jeans”.

“Se Meu Apartamento Falasse”, o musical, é uma adaptação do filme homônimo de 1960, vencedor de cinco Oscars, incluindo os de melhor filme e diretor (Billy Wilder). A história é uma comédia: o contador Chuck Baxter empresta seu apartamento para encontros casuais de colegas de trabalho, visando promoções e vantagens na empresa. O problema aparece quando ele se vê apaixonado pela garçonete Fran Kubelik, que vem a ser amante de seu chefe. Ou seja, ela usa seu apartamento para transar com outro cara. Triste. O texto é de Neil Simon, com música de Burt Bacharach e letras de Hal David.

– Apesar de terem algumas coisas trágicas, a história é levada com muita leveza, então é um texto muito legal. Está todo mundo arrasando, principalmente o Pasquim, que é novo em musical. Vai ser lindo! – Malu Rodrigues adianta ao Teatro em Cena – A gente está correndo muito, porque todo mundo grava alguma coisa, então tem que correr para conciliar com os ensaios. Mas a gente montou o espetáculo inteiro em uma semana! O Charles está bem rápido.

(Foto: Reprodução / Instagram)

A montagem original do musical estreou em 1968 na Broadway e teve 1281 apresentações, rendendo o Tony Awards para os atores Jerry Orbach e Marian Mercer – intérpretes de Chuck Baxter e Marge MacDougall, uma personagem coadjuvante. Em 2010, houve uma remontagem estrelada por Sean Hayes e Kristin Chenoweth. A montagem brasileira tem versão de Claudio Botelho, com direção de Charles Möeller, arranjos e direção musical de Marcelo Castro, que vai reger uma orquestra com oito músicos. Será o 41º musical da assinatura Möeller e Botelho.

Comentários

comments