Entrevista

Fernanda Rodrigues fala sobre Tô Grávida!, filha e teatro

(Foto: Páprica Fotografia/Divulgação GNT)

(Foto: Páprica Fotografia/Divulgação GNT)

Quando a entrevista com Fernanda Rodrigues é marcada, o produtor da peça avisa: “ligue às 13h em ponto, porque ela é superpontual”. No dia seguinte, a atriz atende o telefonema no segundo toque. Ao saber do aviso, ri e admite que realmente é muito exigente e caxias com horários. “Tem gente que acha isso ruim”, diz a carioca, que estreia no fim de semana a temporada do espetáculo “Tô Grávida” no Teatro Fashion Mall, em São Conrado. “Mas ultimamente minha maior característica é a maternidade. Não abro mão das minhas funções de mãe. Por isso tinha que me ligar 13h em ponto, porque às 14h eu vou lá pegar ela na escola. Só posso fazer coisas nos intervalos, entende?”. O assunto da entrevista, claro, era a peça, mas a pequena Luisa foi citada em diversos momentos. Não tinha como ser diferente. Olha o nome do espetáculo!

Desde 2009, Fernanda Rodrigues é mãe de Luisa, fruto do seu casamento com o ator e diretor Raoni Carneiro (de “Maratona de Nova York”). Quando a menina nasceu, a atriz tomou a decisão de dar uma pausa na carreira, pela primeira vez na vida, para se dedicar à maternidade. Nos últimos anos, retomou o trabalho com passos lentos, mas, de 2013 para cá, aumentou o ritmo. Fez turnê com a peça “Enfim, Nós” ao lado do Marcius Melhem (de “O Submarino”); gravou participações no Porta dos Fundos; filmou o longa “Vestido Pra Casar” com Leandro Hassum (de “Lente de Aumento”); gravou um episódio da série “As Canalhas” (GNT), com Silvia Buarque (de “O Estranho Caso do Cachorro Morto”); e entrou de cabeça em “Tô Grávida!”. “Agora que a Luisa tem quatro anos e a vidinha dela, sinto-me muito mais tranquila para voltar à minha vida. E agora as coisas estão voltando freneticamente, exatamente como você falou”.

Este slideshow necessita de JavaScript.

Nesse retorno, o teatro tem tido um espaço privilegiado na agenda dela, que é mais conhecida pela carreira televisiva, com passagens marcantes por “Vamp” (1991), “Malhação” (1996), “Negócio da China” (2008) e “O Astro” (2011). No início do ano, foi noticiada a não renovação do contrato da atriz com a Rede Globo – emissora na qual sempre trabalhou. “Quando parei, por causa da maternidade, achei que era a hora de me dedicar mais ao teatro, e acabou acontecendo”, comenta a atriz, que iniciou a carreira aos três anos, com publicidade. “Nos últimos anos, estou mais no teatro do que na TV”. É verdade. Entre “Enfim, Nós” e “Tô Grávida!”, o intervalo foi curto. E nem foi intencional.

Embora diga adorar comédias românticas, Fernanda não queria emendar trabalhos do mesmo gênero. Para se desafiar como atriz, tinha em mente outro rumo. Mas o padrinho de sua filha, o ator Paulo Vilhena (de “Hedwig e o Centímetro Enfurecido”), queria fazer uma comédia romântica e ela lembrou que tinha vários textos em casa, enviados anos antes pela atriz e dramaturga Regiana Antonini (adaptadora de “Doidas e Santas” e “Feliz Por Nada”). Releu-os, adorou “Tô Grávida!” e sugeriu que ele montasse. “Até então era para ele fazer com alguém, com outra atriz. Só que, quando fizemos a leitura, me apaixonei e falei: ‘Quero fazer também! Me arrependi! Tô dentro’”, e ela começa a rir relembrando a história. “Era uma oportunidade de trabalhar com o Paulinho, que amo e é meu amigo. É legal a beça fazer teatro, mas fazer teatro com quem a gente gosta é muito mais legal”.

No espetáculo, eles fazem par romântico. Interpretam Bia e Thales, um casal assustado com a notícia de que vai ter um bebê. A peça é focada no ponto de vista do futuro pai, em vez do da mãe, que é uma leitura mais comum da situação. Em cena, Fernanda e Paulinho interagem com o público, que exerce a função de terapeuta e, no fim, decide qual deve ser o fim da história. Eles têm duas opções ensaiadas, como no extinto programa “Você Decide”. “A interação foi uma ideia brilhante do Pedrinho Vasconcelos [diretor]. Sou apaixonada por ele”, diz a atriz, que trabalhou com ele, como ator, em “Vamp”. Para levantar o espetáculo, Fernanda escolheu o produtor Léo Fuchs, figurinha recorrente nas fichas técnicas teatrais. Os dois tinham amigos em comum e há muito tempo queriam fazer uma parceria. “A gente montou essa peça sem patrocínio, com a nossa grana, e aí se juntou ao Léo, que deu uma cara superbacana, uma qualidade. Queríamos uma coisa bem feita, com um cenário bacana, um figurino bacana, uma luz bacana, e ele trouxe isso pra gente, porque já tinha essa estrutura”.

"Tô Grávida!": sucesso antes de chegar ao Rio de Janeiro. (Foto: Divulgação)

“Tô Grávida!”: sucesso antes de chegar ao Rio de Janeiro. (Foto: Divulgação)

Antes da temporada no Rio, o espetáculo rodou várias cidades, com lotação máxima. No interior de São Paulo, especialmente, foi um sucesso inesperado. Fernanda e Paulinho quase não divulgaram, porque não era necessário. Só com o boca a boca, os ingressos para as sessões esgotavam. “A gente não fez o telejornal local, que no início a gente fazia. Não precisava. Nos surpreendemos muito. A gente chegava em uma cidade e já estava cheio, pelo boca a boca da cidade anterior, sabe? Foi muito incrível”, comenta a atriz, que levava a filha nas viagens, quando tinha algo interessante para a menina fazer. Quando não, deixava Luisa com o pai ou a avó. No Instagram, dá para ver fotos em que a menina está no palco. Filha de peixe peixinho é? “Eu queria muito achar que não. Queria falar ‘não, nada a ver, ela vai ser dentista, advogada’. Mas ela é uma atrizinha. Está muito nela. Ama teatro, os personagens, me ver no palco, ficar na coxia. Acho que não vou ter como fugir”, constata a mãe. “Ela já teve convite para fazer um monte de coisa, mas ainda não tive coragem de deixar. Ainda seguro, porque a acho muito pequenininha, mesmo eu tendo começado menor ainda. Quero esperar um pouquinho mais, mas vou até onde eu achar que dá. Se for pra ser, não posso impedir que ela faça a vidinha dela”.

Como toda mãe, Fernanda adora falar sobre a filha. Não é coincidência que esteja em uma peça com o título “Tô Grávida!”. Ela também tem um blog sobre maternidade, chamado “Cheguei ao Mundo”. Os dois trabalhos estão muito relacionados, pela temática. Ela acabou se tornando uma referência sobre o assunto para as amigas e para o público. “Foi acontecendo muito naturalmente. O blog está bombando, porque as pessoas se identificam com uma pessoa que viram crescer, virou mãe, e teve os mesmos problemas. Eu amo, né? Amo falar desse tema. Amo ajudar as pessoas, porque tive uma gravidez e um parto ótimos”. Mãe, atriz e blogueira, ela admite: a temporada no Rio será mais confortável do que as viagens. “Sendo mãe é melhor. Estou gostando de parar um pouco para ficar mais perto de casa. Mas sendo atriz é muito bom viajar com teatro. É um aprendizado enorme, uma estreia a cada cidade”.

Em Belo Horizonte, Luisa subiu no palco. (Foto: Reprodução / Instagram Fernanda Rodrigues).

Em Belo Horizonte, Luisa subiu no palco. (Foto: Reprodução / Instagram Fernanda Rodrigues).

E ela convoca o público carioca a rir com ela e Paulinho. “Podem esperar muita risada, porque eu, em cena, me seguro para não rir o tempo todo!”. No Fashion Mall, as sessões serão aos sábados às 21h e domingos às 20h. Não vão afetar a rotina da Fernanda mãe, que daqui a pouco tem que ir buscar Luisa na escola. “Faço minha vida e minha agenda em função da vida dela. Eu que a levo na escola às 7h da manhã, busco, levo no balé, na natação, tudo assim. Não delego nada. As pessoas ficam meio doidas para fazer minha agenda, mas por enquanto vai ser assim”.

Comentários

comments