Plantão

Festival reúne 17 produções sobre identidade de gênero e sexualidade

Teatro, performance, cinema, exposição, simpósio, show de drag queen: todas essas manifestações artísticas vão integrar a programação do Festival TransArte. Trata-se de uma mostra de artes integradas sobre identidade de gênero e sexualidade, que ocupará o Centro Cultural Calouste Gulbenkian, no Centro, do dia 19 (quarta) ao 22 (sábado) de outubro. São 17 produções e mais de 40 artistas envolvidos. Entre os destaques, estão “Dandara Através do Espelho”, com a atriz transexual Dandara Vital, e o solo “Uma Flor de Dama”, com o ator cearense Silvero Pereira, conhecido pelo aclamado “BR Trans”. Tudo é gratuito.

"Uma Flor de Dama", com Silvero Pereira (Foto: Divulgação)

“Uma Flor de Dama”, com Silvero Pereira (Foto: Divulgação)

"Dandara Através do Espelho" (Foto: Diêgo Deleon)

“Dandara Através do Espelho” (Foto: Diêgo Deleon)

“Dandara Através do Espelho” abre o evento, na quarta às 19h. Baseado no diário da atriz, o espetáculo acompanha seu desafio de transformar seu processo de transição em um filme, misturando realidade e ficção. Já “Uma Flor de Dama”, de Silvero, encerrará a programação, no sábado, às 20h30, convidando o público a passar uma noite com uma travesti. Durante 50 minutos, os espectadores se aproximam de seu universo, fora do preconceito imposto pela sociedade.

Os espetáculos “Sonho Alterosa”, “Prática de Montação” e “Mulheres de Tebas”, e as performances “Julieta Descapuletizada” e “ÉGUX!” também poderão ser vistos no TransArte. Para os artistas e interessados, o evento terá também uma oficina de performance e arte queer ministrada por Davi Giordano e mesas de debate sobre criação e identidade de gênero, e cultura e transexualidade.


Programação completa

QUARTA- FEIRA (19/10)

Dandara Através do Espelho
Sinopse: É uma peça de teatro autobiográfica criada a partir do diário da atriz Dandara Vital. Dandara é uma atriz transexual e na peça seu sonho é fazer um filme sobre a sua vida narrando os desafios que enfrentou no seu processo de transição. Com a ajuda de Pedro, um estudante de teatro, assumem o desafio de tirar a ideia do papel. Com uma câmera na mão as memórias e o espaço se mesclam numa mistura de realidade e ficção.
Elenco: Dandara Vital e Pedro Bento | Direção: Diêgo Deleon
Duração: 60 min /Classificação: 14 anos / Horário: 19h

Coquetel de abertura do festival e da exposição
Horário:
20h30

Exposição Transparência (ficará aberta a visitação durante todo o festival)
Artista: Fernando Codeço
TRANSPARÊNCIAS é uma exposição-proposição de Fernando Codeço com curadoria de Luciana Vasconcellos que é travesti e modelo de um dos trabalhos. A exposição reúne obras em diferentes formatos, desenho, videoinstalação, videobjeto e fotonovela. Desenhando e sendo desenhado pelas travestis o artista cria trânsitos entre o seu corpo e o delas, abrindo espaços de diálogos, trocas e afetos. Algumas obras são inéditas, entre elas destaca-se a videoinstalação DECALQUE-TRANS, feita em colaboração com a puta transativista Indianara Siqueira e a performance-instauração PALAVRAS LANÇADAS NO ESPAÇO (co-criação do artista e da curadora) que ocorrerá na abertura da exposição com a participação de Alessandra Ramos, Daniela Faria e Luiza Mendonça.

QUINTA-FEIRA – DIA 20/10

Oficina de Performance e Arte Queer
Horário: Das 9h às 13h. Até o dia 22/10
Professor-Artista: Davi Giordano
A oficina possui como objetivo a experimentação e criação de performances artísticas voltadas para o tema da Arte Queer. Através de um formato de ateliê de criação performático, o curso desdobra uma pesquisa criativa sobre múltiplas possibilidades de concepção e realização de arte gay e outsider. Para isso, os alunos entrarão em contato com referências de artistas do Brasil e do exterior que trabalham com este viés de experimentação para que assim possam se inspirar na concepção e realização de seus próprios trabalhos. As aulas funcionarão em modalidades de oficina, ateliê de criação e laboratório cênico, permeando diversas técnicas, metodologias, pesquisas e pedagogias sobre as temáticas que atravessam as artes gay e queer. Os trabalhos criados durante a oficina serão performados no último dia de aula numa mostra pública em formato de uma exposição performática.
Carga Horária: 12horas / Participantes: 20 / Horário: Das 9h às 13h / Até o dia 22/10

Mostra Damas em Cena
Horário:
19h30
Damas em Cena é um projeto de formação teatral voltado para travestis e transexuais, realizado pelo Instituto do Ator desde 2008. Em 2009 estreou o espetáculo TransTchecov, que reuniu textos de Anton Tchecov juntamente com a biografia das Damas. Em 2015 o projeto foi contemplado pelo Edital de Ações Locais da Secretaria Municipal de Cultura e formou um novo grupo que tem hoje nove integrantes. Em 2016 estreou com esta nova turma o espetáculo Mulheres de Tebas. Esta Mostra tem como proposta resgatar o histórico do projeto através da exibição de trechos do documentário Transchecov dirigido por Gabriel Weiner e Celina Sodré seguido de debate com a diretora Celina Sodré e as atrizes Dandara Vital e Ketelen Cajueiro.
Duração: 1h e 30min

Performance Julieta Descapuletizada
Horário:
19h
O solo-performance ”Julieta Descapuletizada” foi criado em 2010. Desde então, a pequena encenação já foi apresentada em diferentes contextos nos últimos quatro anos. Trata-se de uma releitura da obra clássica ”Romeu e Julieta”. Julieta volta para a terra depois de sua morte para fazer e dizer tudo o que gostaria para o seu amado Romeu. Agora, ao invés de uma adolescente doce e frágil, vemos uma Julieta (des)vestida de toda repressão familiar, (des)reprimida de todo peso moral, (des)construída para potencializar todas as suas forças e desejos interiores.
Artista: Davi Giordano / Duração: 30 min / Classificação 18 anos

Espetáculo Sonho Alterosa
Horário:
20h
Ao se apresentar como uma princesa, o performer Caio Riscado desconstrói a ideia de “final feliz” padronizada pela grande mídia e faz as pazes com o seu sonho infantil. O passado é atualizado pela presença do artista que revisita criticamente as investidas homofóbicas que marcaram sua infância. Acompanhado por Lucas Canavarro e Philippe Baptiste – que operam vídeo e som e são responsáveis, também, respectivamente, pela direção de vídeo e direção musical – Caio nos convida a conhecer seu mundo cor de rosa (a direção de arte de Victor Hugo Mattos eleva isso à enésima potência), que é bem diferente daquele das princesas, príncipes, bruxas malvadas, fantasia e finais felizes.
Elenco, Direção e Concepção: Caio Riscado / Duração: 60min / Classificação 14 anos

SEXTA-FEIRA – DIA 21/10

Drag-se: Vivências
Horário:
17h30
Drag-se é um canal de conteúdo audiovisual que tem jovens Drags como protagonistas em diversos formatos: documentários acompanhando um dia na vida de uma drag, tutoriais de maquiagem, performances musicais, vlogs, programas de variedades e mini entrevistas com os principais artistas LGBT do país. Além dos vídeos, DRAG-SE se tornou uma marca que fomenta o movimento LGBT em diversas áreas culturais: desfiles, shows, performances, presença em galerias de arte, photoshoots, cineclubes e festas, porque drag e festa andam sempre juntos.
O intuito da mesa “Drag-se: vivências” no Festival Transarte é contar a experiência do canal e a inserção do mundo drag no Rio de Janeiro e em nossas vidas, a partir de uma perspectiva pessoal e profissional.
Mesa debatedora: Pandora Yume, Bia Medeiros
Performances: Ravena Creole e Danjah Patra
Duração: 1h e 30min

ÉGUX!
Horário: 19h
“ÉGUX!” é a segunda performance da trilogia “MULA”, de autoria de Mayara Yamada, que aborda a paisagem do Pará, a partir de um contexto autobiográfico. Égux! é um processo de des-doma. Não tão fácil é se livrar do arreio, do estribo, da barrigueira, do cabresto, da rédea, mas para evocar a liberdade é preciso “desdomar” as éguas evocadas e invocadas. Segue-se querendo destituir o homem de cima do cavalo, sendo essa criatura mistura de búfala com égua com mulher em tudo aquilo que habita.
Duração: 30min / Classificação: 18 anos

Espetáculo Prática de Montação
Horário:
20h
Um grupo de atores é convidado a visitar e reinventar suas lembranças construindo um álbum coletivo de suas memórias, a partir do recurso da colagem. O espetáculo é apresentado em quadros em que atores/personagens expõem uma cartografia de suas biografias, nos quais as definições dos gêneros masculino e feminino não se sustentam de forma definida. Dessa forma, a subversão, a oscilação entre essa dicotomia, a transexualidade, a travestilidade, tornam-se a única condição de vida, uma prática de sobrevivência.
Elenco: Dandara Vital, Caju Bezerra, João Paulo Rodrigues, Ana Kailani Guimaraes, Carlos Bruno, Gabriel José, Marcos Pereira, Francisco Souza, Pedro Bento | Direção: Diêgo Deleon | Texto: Peter Franco
Duração: 80min / Classificação: 18 anos

SÁBADO – DIA 22/10

Exibição de Curta: Transcrição
Sinopse: O filme retrata a inquietação de uma escritora trans, cujo a procura por se reconhecer vai ao encontro de sua própria vida revisitada pelas lembranças de infância. Beatriz Correia em meio aos seus 40 anos sente a necessidade de entender os sonhos que sua mãe teve pra si, e essa inquietação nos leva a refletir sobre a conduta geral de uma sociedade que insiste em nos moldar, e aprisiona mulheres. Em especial mulheres negras que são violentadas diariamente, mas que se mantém firmes e conduzem seus filhos com proteção, admiração e orgulho. A força, a vaidade, a beleza, a empatia pelo outro e o amor são os fios condutores desse filme: sincero, cuidadoso, minimalista, mas real.
Direção e Roteiro: Iury de Carvalho e Felipe Dutra
Elenco: Kethelleenn Cajueiro, Geandra Nobre, Jefferson Rangel, Paulo Victor de Oliveira Lino e Phelipe Azevedo.
Duração: 5min | Classificação: Livre

Simpósito TransArte
Horário: 15h
Mesa 1 – Mesa dos Artistas: Criação e Identidade de Gênero
Esta mesa será composta pelos artistas dos espetáculos que compõem o festival propondo um debate sobre a criação artística de seus trabalhos e a questão da identidade de gênero.
Debatedores: Dandara Vital e Diêgo Deleon (Projeto Prática de Montação)
Davi Giordano (Julieta Descapuletizada
Mayara Yamada (Egux)
Silvero Pereira (Uma Flor de Dama
Carolina Caju e Kethellen Cajueiro (Mulheres de Tebas)
Mediação: Douglas Resende
Duração: 1h 30min

Mesa 2 – Cultura e Transexualidade
A Mesa com o tema Cultura e Transexualidade abrirá um espaço para o pensamento teórico crítico sobre a inserção do público Trans nos diferentes dispositivos culturais. A mesa será composta por dois palestrantes, além do mediador, cada um com um subtema a ser explorado: 1)Arte e transexualidade; 2)Políticas culturais para o público Trans.
Curadoria: Dandara Vital
Duração: 1h 30min

Espetáculo Mulheres de Tebas
Horário:
18h30
Comédia que narra a história de uma mulher trans que enriquece e decide patrocinar o enredo do bloco de carnaval do seu coração. Em meio às peripécias e confusões desta tão peculiar agremiação, a patrocinadora consegue finalmente realizar seu sonho.
Direção: Carolina Caju | Assistentes de Direção: Rodrigo Menezes
Elenco: Alexis Diogo, Dandara Vital, Julia Alvez, Ketellen Cajueiro, Rebeca Blando, Theo Oliveira, Vanessa Alvez, Ys Rangel e Welldona Mirifica
Duração: 40min/ Classificação etária: 14 anos/ Horário: 18h30

Espetáculo Uma Flor de Dama
Horário:
20h30
O público é convidado a passar uma noite com uma travesti, ver como ela vive, ver cada parte da sua noite, da sua profissão e seus prazeres. A proposta é que se veja uma travesti fora do preconceito imposto pela sociedade. O objetivo é encará-la como ser humano, que também luta por amor e vida, além de questionar assuntos como HIV, Política, sociedade e escolhas.
Direção, Atuação e Concepção: Silvero Pereira
Duração: 50 minutos / Classificação etária: 18 anos / Horário: 20h30

Comentários

comments