Coluna Social

Musical sobre Ayrton Senna estreia e produtora avisa: “pode causar algum estranhamento”

Hugo Bonemer e João Vitor Silva: Ayrton Senna em diferentes fases (Foto: Leonardo Torres)

Novidade no teatro carioca, “Ayrton Senna – O Musical” iniciou sua temporada no Teatro Riachuelo, na Cinelândia, e realizou uma sessão fechada para convidados na terça (14/11). Nomes como Edwin Luisi (de “Alair”), Otávio Müller (de “A Vida Sexual da Mulher Feia”), Isabel Fillardis (de “Lapinha”) e Claudia Netto (de “Vamp – O Musical”) marcaram presença no evento, que atraiu muita gente, entre artistas, jornalistas, críticos, amigos e parentes. Viviane Senna, representando a família e o Instituto Ayrton Senna, também prestigiou a estreia do espetáculo, protagonizado por Hugo Bonemer (de “Yank! O Musical”).

– Eu quase derreti de tanto que chorei. – a empresária e mãe do também piloto Bruno Senna disse nos agradecimentos finais – Essa produção é um presente maravilhoso para o nosso país. A gente hoje teve o privilégio de assistir a uma coisa muito especial, porque não é simplesmente a história de um piloto que ganhou tantos campeonatos, mas de alguém que, na verdade, deixou um grande legado e uma herança de valores. Valores importantes que mostram que podemos ser vencedores não pelo jeitinho, não pela trapaça, pela desonestidade, mas pela garra, pela determinação, pelo trabalho duro, pela disciplina e pela persistência.

Produzido pela Aventura Entretenimento, que já contou as histórias de Elis Regina e Chacinha nos palcos, o musical se passa inteiro durante a última corrida do piloto, que levou à sua morte, no GP de San Marino, na Itália, em 1994. A ideia é de Claudio Lins (de “O Beijo no Asfalto – O Musical”), que assina o roteiro e as canções originais com Cristiano Gualda (ator de “Bem Sertanejo”).

– É um desafio lindo, que mexe com a nossa paixão. Para mim, que acompanhei o Senna desde que ele chegou à Fórmula 1, é uma delícia a oportunidade de me aprofundar na carreira dele e relembrar momentos de grande emoção da minha própria vida pessoal. – Claudio Lins diz ao Teatro em Cena.

(Foto: Leonardo Torres)

Diretor Renato Rocha (Foto: Leonardo Torres)

De acordo com a produtora Aniela Jordan, foram necessários três anos para tirar o projeto do papel. “Foi o projeto mais difícil da Aventura. Como falar do Ayrton Senna, um herói nacional, mas que não tinha nada a ver com música?”, ela comenta. A primeira dificuldade foi encontrar o texto ideal, em meio a tantos roteiros propostos. Em seguida, quem vai dirigir? O escolhido foi Renato Rocha, conhecido por seu trabalho na Intrépida Trupe, no Nós do Morro e em diversos projetos na Europa. Depois, até um integrante do Cirque du Soleil se uniu à equipe para treinar os acrobatas. Sim, tem acrobatas. Devido à grande estrutura, os ensaios tiveram que ser em um galpão da Cidade do Samba, porque era impossível ensaiar em uma sala normal.

– A gente teve que montar toda essa estrutura na Cidade do Samba para os dois meses de ensaios. Uma loucura! Tinha que ser “um espetáculo”. Não dava para ser um musical tradicional. – pondera Aniela – É um espetáculo muito diferente, é quase o Cirque du Soleil. Acho que o público sai muito impactado. Pode causar algum estranhamento em parte do público, que vem esperando ver um musical tradicional e não é. Não é linear. Mas acho que está muito legal.

(Foto: Leonardo Torres)

Lua Blanco e Eline Porto (Foto: Leonardo Torres)

Malu Rodrigues (Foto: Leonardo Torres)

Raoni Carneiro e Fernanda Rodrigues (Foto: Leonardo Torres)

Marcio Gomes, Claudia Netto e Gottsha (Foto: Leonardo Torres)

Isabel Fillardis (Foto: Leonardo Torres)

Mariana Molina (Foto: Leonardo Torres)

Igor Cosso (Foto: Leonardo Torres)

Helga Nemeczyk (Foto: Leonardo Torres)

Evelyn Castro (Foto: Leonardo Torres)

Gustavo Gasparani e Kacau Gomes (Foto: Leonardo Torres)

Nando Brandão (Foto: Leonardo Torres)

Diego Morais e Pedro Henrique Lopes (Foto: Leonardo Torres)

Lilian Valeska (Foto: Leonardo Torres)

Késia Estácio (Foto: Leonardo Torres)

Flora Menezes (Foto: Leonardo Torres)

Otávio Müller (Foto: Leonardo Torres)

Lua Blanco (Foto: Leonardo Torres)

Eline Porto (Foto: Leonardo Torres)

_____
SERVIÇO: qui e sex, 20h30; sáb, 16h30 e 20h30; dom, 18h. R$ 25 a R$ 120 (qui a sáb) ou R$ 25 a R$ 150 (sáb e dom). 140 min. Classificação:livre. De 10 de novembro até 4 de fevereiro. Teatro Riachuelo Rio – Rua do Passeio, 40 – Cinelândia. Tel: 2533-8799.

Comentários

comments