O formador de opinião – Por Stephanie Serrat – Teatro em Cena
OpiniãoPapo de Artista

O formador de opinião – Por Stephanie Serrat

papo de artista logo 4

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Há em torno do artista uma série adornos, muitas vezes fantasiosos, que transformam sua imagem em algo completamente distante da realidade. Um falso glamour, uma ideia de que fazer arte não é trabalhar, “Fulano é um excelente cantor, mas ainda acho que ele deveria procurar um emprego”, enfim… Entre mitos e verdades, existe um termo, que muito me incomoda e que cerca o artista inevitavelmente. Já compreendi que não há como escapar dele, como quando frequentamos um grupo de amigos, mas temos que aturar a presença de um quase amigo que está sempre junto à turma, cuja companhia não é assim tão agradável. Você o tolera e de vez em quando até se diverte ao seu lado. Eu falo do “cargo” que é atribuído aos que tem a arte como ofício, para além dos seus trabalhos: o formador de opinião. Me soa como se o artista pudesse ser algum tipo de ditador de dogmas e todas as suas atitudes e discurso virassem regras e padrões a seguir. Ora, é natural que o sujeito que tem algum grau de visibilidade carregue este fardo. Veja, um educador, por exemplo, tem forte influência sobre a formação da opinião de seus discípulos, é natural. Se ele age de determinada maneira, a tendência é que você repita tais ações. Será o educador um formador de opinião. Mas e o artista? Quando sobe num palco certamente é capaz de provocar reflexão e por que não, transformar opiniões, não ditá-las. Entretanto, quando sua arte sai de cena, deveria se desassociar do tal termo que tanto o persegue. Será que sua vida pessoal deve ter tanto destaque a ponto de sabermos o acontece com ele no íntimo? Seu ofício é público, cada um em sua proporção, mas sua vida também o é… Por quê? Os que alcançam fama acabam tendo suas escolhas pessoais expostas (exacerbadamente) e sentem com mais violência o peso de ser um formador de opinião em grande escala. É então que o artista, antes apontado como marginal, vagabundo, acaba ditando a moda, mesmo quando não deseja fazer com que os outros o copiem. Antes de soar contraditória, não pretendo que ninguém engula minhas palavras e as repita como se fossem única verdade a esse respeito, ainda que eu tivesse capacidade de exercer essa influência sobre as pessoas. Apenas gostaria de levantar a reflexão, posto que isso sim, ao meu ver, é ser artista. Está certo, caro leitor, se recorrermos ao pai dos burros, estará determinado que artista é aquele que tem habilidade ou vocação artística… Pura e simplesmente. Porém, se me permitirem, eu ainda acrescentaria: artista é aquele que contesta o mundo em que vive através da sua arte. Por tanto, eu diria que o cabe muito mais um outro termo: o deformador de opinião. Seria muito mais justo. A opinião é pessoal por excelência, embora possa ser exposta e reformulada diante de outras opiniões, nunca copiada. Quanto mais referências e embasamento, mais rica será. Acredite, é aconselhável que questione a sua, deforme, repense, reforme e de preferência a mantenha em constante reciclagem.

Stephanie Serrat é atriz e cantora.

Comentários

comments