Plantão

O Rei da Vela estreia com vaias a Marcelo Crivella e aplausos para Marielle Franco

(Foto: Leonardo Torres)

Com a Cidade das Artes cheia de admiradores, a companhia Teatro Oficina deu início à curta temporada do espetáculo “O Rei da Vela” no Rio de Janeiro no sábado (14/4). A encenação de mais de três horas de duração teve recepção calorosa e muitas manifestações coletivas. Ainda no primeiro ato, quando o elenco fez referência a figuras públicas, como Jorge Dória e Silvio Santos, a plateia vaiou fortemente o nome do prefeito Marcelo Crivella (PRB). Detalhe: a secretária municipal de cultura Nilcemar Nogueira também assistia à apresentação. Já no final da apresentação, o público entoou um coro em homenagem à vereadora Marielle Franco (PSOL), brutalmente assassinada após denunciar arbitrariedades policiais na favela do Acari.

VÍDEO: Fernanda Montenegro faz discurso no fim da apresentação

“O Rei da Vela” é uma peça de Oswald de Andrade (1890-1954), escrita em 1933 e ainda muito atual. Trata fundamentalmente da agiotagem e dos males do povo brasileiro nas mãos da exploração capitalista, despertando muitas reflexões. A primeira montagem do texto se deu em 1967 pelo próprio Teatro Oficina. A remontagem, estreada em 2017, marca os 50 anos do espetáculo. Ele cumpriu temporada em São Paulo nos últimos meses e foi trazido para o Rio de Janeiro por iniciativa de um coletivo de artistas, que abriu uma vaquinha na Internet para ajudar no financiamento dos custos. Vendas de camisas, DVDs e desenhos no hall de entrada também ajudam a engrossar a verba da bilheteria.

– Nós estamos aqui graças a um movimento super “imaginoso”, super poético, dos artistas. – disse Zé Celso Martinez Correa, que atua e dirige a remontagem – Vamos viver de bilheteria. Meu maior desejo é que esse crowdfunding continuasse para fazer uma gambiarra no Teatro João Caetano, onde nós fizemos esse espetáculo há 50 anos para 1400 pessoas. Não sei quantas cabem agora. Mas lá não tem equipamento, tem problema no balcão… A gente adoraria ter começado lá, mas aqui também é um teatro deslumbrante, porque ele te obriga a jogar para o público, tem que voar. É um teatrão antigo maravilhoso. Ainda bem que não virou Teatro Municipal da Barra da Tijuca, quando a Barra da Tijuca quis se separar do Rio de Janeiro e ficar com tudo. Hoje, é um mastodonte maravilhoso!

(Foto: Leonardo Torres)

(Foto: Leonardo Torres)

(Foto: Leonardo Torres)

(Foto: Leonardo Torres)

(Foto: Leonardo Torres)

_____
SERVIÇO: sex, 20h; sáb e dom, 19h. R$ 80. 210 min. Classificação: 16 anos. De 14 até 22 de abril. Cidade das Artes – Avenida das Américas, 5300 – Barra da Tijuca. Tel: 3328-5300.

Comentários

comments

Share: