Crítica

Os 10 espetáculos mais bem avaliados do segundo semestre de 2018

2018 está chegando ao fim. É hora de retrospectiva. O Teatro em Cena traz sua tradicional lista dos espetáculos mais bem avaliados do segundo semestre em nossa seção de críticas. Confira quais foram os destaques deste período:

A Invenção do Nordeste

“(…) o melhor espetáculo dos últimos meses”

Mais recente montagem original do Grupo Carmin, do Rio Grande do Norte. Inspirada na tese homônima do Dr. Durval Muniz de Alburquerque Jr., a peça de Henrique Fontes e Pablo Caspitrano trata dos estereótipos acerca dos nordestinos. Na história, dois atores disputam um papel de “nordestino” em uma produção do Sudeste e têm que provar que aparentam ser o que são. A direção é de Quitéria Kelly.

70? Década do Divino Maravilhoso – Doc. Musical

“(…) impossível não se sentir em uma ‘festa ploc'”

Dos mesmos criadores de “60! Década de Arromba – Doc. Musical”, Marcos Nauer e Frederico Reder, o novo espetáculo segue o mesmo molde e traça uma retrospectiva da década dos 1970, com centenas de músicas nacionais e internacionais da época. No elenco, 24 jovens atores se unem ao retorno do grupo As Frenéticas, formado e estourado nos anos 1970. É um espetáculo supercoreografado, quesito sob o comando de Victor Maia.

Elza

“O espetáculo é poderoso e multiplica a voz da cantora”

O musical, escrito por Vinicius Calderoni e dirigido por Duda Maia, conta a história de Elza Soares focada em suas superações – que servem de inspirações para todos que passam por situações parecidas. No palco, sete atrizes-cantoras dão vida à biografia da artista, interpretando não apenas ela mas todos os personagens que a rodeiam.

Esperança na Revolta

“(…) importante espetáculo para pensar nosso panorama sociopolítico global”

O novo espetáculo da Confraria do Impossível mescla histórias reais e fictícias sobre guerras em todo o mundo, por diferentes perspectivas. A dramaturgia é resultado de criação coletiva, com direção de André Lemos, e mostra fragmentos plurais de guerras seja no Pasquitão ou no Brasil.

O Evangelho Segundo Jesus, Rainha do Céu

“É um texto divertido, bem humorado e muito especial mesmo. Apresentá-lo no Brasil é necessário”

Escrita pela dramaturga trans Jo Clifford, do Reino Unido, a peça mostra como seria se Jesus voltasse à Terra no corpo de uma travesti, confrontando preconceitos milenares e pregando sua mensagem de amor. A montagem brasileira é dirigida por Natalia Mallo e representada pela atriz Renata Carvalho.

Kondima

“O espetáculo afeta a plateia de diferentes maneiras, e só isso já o torna importante na programação carioca”

Quinto espetáculo da cia. Troupp Pas D’Argent, ele trata do drama dos refugiados de forma híbrida, misturando teatro e audiovisual, cenas ficcionais e depoimentos reais. Com texto e direção de Marcela Rodrigues, o espetáculo ainda conta com uma atriz refugiada em cena, Ruth Mariana, tensionando ainda mais as fronteiras entre realidade e ficção.

A Noviça Rebelde

“O ensemble, sim, exerce um trabalho muito bom: base de todo musical, neste em específico é uma voz harmônica importante e necessária”

Nova montagem brasileira do clássico musical americano, aqui assinado pela dupla Charles Möeller e Claudio Botelho. O espetáculo trouxe Malu Rodrigues no papel principal, a frente de um grande elenco, para contar a história da noviça Maria, que é enviada para ser babá dos sete filhos de um capitão da marinha e se apaixona pelo patrão, em plena Áustria sob invasão nazista.

Procópio

“O ponto crucial da peça é humanizar os perigos desse interesse político”

Os atores Kadu Garcia e Paulo Giannini repetem a parceria de “Galápagos” em uma peça inédita de Carla Faour, dirigida por Dani Barros. O espetáculo imagina um futuro no qual a arte é oficialmente criminalizada e artistas são perseguidos e presos.

Quarto 19

“As indicações a prêmios que a atriz Amanda Lyra recebeu em São Paulo são merecidíssimas. (…) Grande atuação!”

O conto escrito pela inglesa Doris Lessing ganha atuação de Amanda Lyra e direção de Leonardo Moreira. Na história, Susan tem a vida perfeita ao lado do marido perfeito e dos filhos perfeitos até se perde de si mesma nos papéis de mãe, esposa e dona de casa. A angústia a consome por completo e ela passa a buscar o quarto de um hotel xexelento como refúgio para uma pausa em sua rotina.

Urbana

“Imperdível. Obra de alta qualidade”

Solo de teatro físico escrito, dirigido e representado por Glaucy Fragoso (com co-direção de Roberto Rodrigues), refletindo situações caóticas da sociedade urbana. Alternando-se entre diferentes papéis, como um traficante e uma vítima de assalto, a atriz recorre ao humor como maneira de traçar uma crônica cênica sobre a cidade.

VEJA TAMBÉM A LISTA DOS DEZ ESPETÁCULOS MAIS BEM AVALIADOS DO PRIMEIRO SEMESTRE!

Comentários

comments