Crítica

Os espetáculos mais bem avaliados do 1º semestre no Teatro em Cena

Focado na cobertura da cena teatral carioca, Teatro em Cena acompanhou a maioria dos espetáculos que esteve em cartaz no Rio de Janeiro no primeiro semestre e traz seu balanço de meio de ano. Confira a lista daqueles que levaram as melhores avaliações aqui no site!

Tom na Fazenda


“É ótimo e já chega como uma das melhores montagens em cartaz dos últimos meses”

Espetáculo de Michel Marc Bouchard conta a história de Tom, homem da cidade grande, que viaja para o interior para participar do velório de seu namorado – descobrindo, então, que a sogra não faz a menor ideia de quem seja ele ou de quem era o próprio filho. Preso na fazenda, se vê envolvido em um jogo de manipulação psicológica com o cunhado, incapaz de ir embora. Com Kelzy Ecard, Armando Babaioff, Camila Nhary e Gustavo Vaz. Direção de Rodrigo Portella.

Ela


“Carolina Pismel é avassaladora em cena e as lágrimas que derrama contagiam a plateia”

No espetáculo, Carolina Pismel, Elisabeth Monteiro e Patrícia Elizardo mostram como o diagnóstico de ELA afeta a vida de uma coreógrafa e suas relações – com a esposa, com a médica-amiga-e-aluna, e com o tempo. É um drama doloroso, com cenas comoventes. A peça foi escrita por Marcia Zanelatto e ganhou direção de Paulo Verlings.

Elefante


“É para Chandelly que quero deixar registrado meu maior aplauso: que atriz!”

Peça futurista da Probástica Cia. de Teatro se passa em um mundo onde ninguém mais envelhece, graças a uma pílula que mantém a aparência jovial e impede morte de causas naturais. O conflito começa quando um dos personagens decide abandonar o uso do medicamento para ter uma experiência de vida menos artificial. Com Fernando Bohrer, Chandelly Braz, Igor Angelkorte, Lívia Paiva, Renato Livera e Samuel Toledo. Texto de Walter Daguerre e direção de Igor Angelkorte.

Estranhos.com


“Deborah e Johnny, além de tudo, têm muita química”

Johnny Massaro e Deborah Evelyn contracenam na montagem brasileira da peça “Sex with Strangers”, com direção de Emílio de Mello. Atores dão vida a blogueiro de contos eróticos, que vira febre literária, e professora de literatura, que desisti da carreira de escritora após um livro irrelevante. Espetáculo trata de literatura, tecnologia e mostra como os dois se afetam mutuamente.

Gisberta


“Contar sua história é também uma maneira de fazer justiça – tardia, mas necessária – e combater intolerâncias”

Solo de Luis Lobianco contando a história da travesti brasileira Gisberta, assassinada por um grupo de menores de idade em Portugal em 2016. O ator repassa a infância, desabrochar, independência e declínio da personagem da vida real, entremeando números musicais acompanhado de três instrumentistas no palco. Texto de Rafael Souza-Ribeiro, com direção de Renato Carrera.

Love, Love, Love


“É uma boa peça para assistir com os pais, com a família, e sair com mais compaixão por cada um deles”

Dividido em três partes, peça de Mike Bartlett marca a nova montagem do Grupo 3 de Teatro, com Ary França, Débora Falabella, Mateus Monteiro, Rafael Primot e Yara de Novaes no elenco. Entremeando panorama político e relações familiares, a história se passa de 1967 até 2014, mostrando o conflito de gerações. A direção é de Eric Lenate.

O Que Terá Acontecido a Baby Jane?


“O encontro cênico dessas duas atrizes de primeiro escalão nacional torna-se imperdível”

Adaptação do filme homônimo de 1962, espetáculo marca o encontro profissional de Eva Wilma e Nathalia Timberg (substituindo Nicette Bruno, que fez a temporada paulista). A história mostra a competição e interdependência de duas irmãs atrizes na última fase da vida. Uma fez sucesso no teatro na infância, e a outra na juventude no cinema – até que um acidente de carro marcou a vida de ambas para sempre. Texto de Henry Farrell com direção de Charles Möeller.

Sobre Ratos e Homens


“‘Sobre Ratos e Homens’ é um espetáculo de alto nível”

Os atores Ricardo Monastero e Ando Camargo protagonizam o espetáculo, como a dupla de amigos George e Lennie, que têm sua fidelidade colocada à prova no ambiente rural norte-americano, durante a Grande Depressão, grave crise econômica que durou mais de dez anos a partir de 1929 e assolou o sonho norte-americano. Texto de John Steinbeck, dirigido por Kiko Marques.

Comentários

comments

Share: