Paulo Verlings e Carolina Pismel mudam visual para A Peça Escocesa – Teatro em Cena
Coluna Social

Paulo Verlings e Carolina Pismel mudam visual para A Peça Escocesa

O casal Paulo Verlings (de “Conselho de Classe”) e Carolina Pismel (de “ELA”) passou por uma transformação para o espetáculo “A Peça Escocesa”, que estreia no dia 3 de março no Teatro Nelson Rodrigues, no Centro. A caracterização dos personagens inclui dreads no cabelo, que deixaram os atores com outra aparência. Paulo adotou o look para seu dia-a-dia e Carolina colocará o aplique apenas antes das sessões. O conceito é do visagista Vini Kilesse, baseado no visual de estrelas do rock.

(Foto: Paula Kossatz)

(Foto: Paula Kossatz)

(Foto: Paula Kossatz)

– Pensei que a caracterização dos dois tinha que ter um certo poder e uma pegada atual, rock ‘n roll, porque tem músicos em cena. O lance é que eles sejam uns reis rockstars. Eu penso neles como dois rockstars. Puxo aquele efeito metálico no rosto, aqueles dreads para dar um peso forte ao personagem. Queria que eles tivessem uma caracterização bem marcante, pesada. Por isso os cabelos enormes, os dreads e as pratas nos olhos. Os olhos escuros. As feições do Paulo Verlings bem marcadas na testa, o maxilar bem definido, para imprimir uma força. Eu amei o resultado. – Vini conta ao Teatro em Cena.

“A Peça Escocesa” foi escrita por Marcia Zanelatto (de “ELA”), inspirada em “Macbeth” de William Shakespeare (1564-1616), e ganha direção do próprio Paulo Verlings. O texto dá um ponto de vista contemporâneo e polifônico para a história do casal que assassina o rei para usurpar seu poder. Mas é uma obra original. “Não quero contar a história ou adaptá-la. Eu quero fazer ouvir a vida interior e arquetípica dos personagens à luz do nosso tempo, uma espécie de peep show da alma”, diz a dramaturga, “quero apresentar ao público a hipótese de que Lady Macbeth era da linhagem das bruxas e sua ação foi de resistência. Agora, o que temos a examinar em A Peça Escocesa é o que ocorre quando a resistência feminina decide jogar o jogo patriarcal”.

Serão apenas Paulo e Carolina no palco, acompanhados da Banda Dagda, com direção musical de Ricco Viana. O propósito é a busca por uma cena fundida entre a palavra e a música, para trabalhar com a ideia de espetacularização da monarquia. A temporada irá até 1º de abril.

(Foto: Paula Kossatz)

_____
SERVIÇO: qui a dom, 19h. R$ 10 (balcão) a R$ 20 (plateia). 60 min. Classificação: 14 anos. De 3 de março até 1º de abril. Teatro da Caixa Nelson Rodrigues – Avenida República do Chile, 230 – Centro. Tel: 3509-9600.

Comentários

comments