Plantão

Pippin será remontado no Brasil com “elenco totalmente desconhecido”

Os diretores Charles Möeller e Claudio Botelho revelaram, nesta semana, que estão com um projeto para montar o musical “Pippin” no Brasil com um “elenco enorme e totalmente desconhecido”. A dupla, que em seus últimos trabalhos levou Renato Aragão (“Os Saltimbancos Trapalhões”), Beatriz Segall (“Nine”) e até o cartunista Chico Caruso (“Kiss Me, Kate”) para os palcos, pretende levantar essa montagem para o segundo semestre de 2016.

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

– Tenho certeza que “Pippin”, inclusive, vai levar o mesmo público de “O Despertar da Primavera” para o teatro. – Claudio Botelho diz ao site Globo Teatro – Foi “O Despertar da Primavera” que levou uma plateia jovem para o teatro e disseminou o gênero para eles. Nosso foco então passou a ser o entretenimento para a família. Estamos focados no que o mercado pede, no que a concorrência oferece, mas sem deixar de lado a qualidade artística.

“Pippin” é um clássico musical, estreado em 1972 na Broadway, com texto de Roger O. Hirson, letras e músicas de Stephan Schwartz (de “Wicked”) e coreografias e direção de Bob Fosse (de “Sweet Charity”). A trama acompanha o amadurecimento do jovem Pippin, filho do rei Carlos Magno, enquanto tenta descobrir o verdadeiro sentido da vida. Tudo é contado por intermédio de uma trupe liderada pelo narrador, o mestre de cerimônias, papel que deu o Tony Award a Ben Vereen em 73 e à Patina Miller em 2013.

A primeira montagem ficou cinco anos em cartaz e faturou cinco Tony Awards: direção, coreografia, iluminação, cenário e ator principal. A remontagem de 2013 repetiu o sucesso, com dez indicações à premiação, e quatro vitórias: atriz principal (Patina Miller), direção (Diane Paulus), atriz coadjuvante (Andrea Martin) e remontagem.

Marília Pêra e Marco Nanini: protagonistas na montagem brasileira de 1975 (Foto: Reprodução)

Marília Pêra e Marco Nanini: protagonistas na montagem brasileira de 1975 (Foto: Reprodução)

No Brasil, o espetáculo foi montado em 1974, com direção de Flávio Rangel (1934-1988). Pippin foi interpretado por Marco Nanini (de “Beije Minha Lápide”) e o mestre de cerimônia ficou por conta de Marília Pêra (1943-2015), primeira atriz a fazer o papel no mundo. Depois, Suely Franco (de “Elza & Fred”) assumiu o personagem.

Confira vídeos:

MONTAGEM ORIGINAL DA BROADWAY

REMONTAGEM DE 2013 NA BROADWAY

Comentários

comments