+ TeatroPremiações

Prêmio Cesgranrio consagra musical Auê: veja lista de vencedores

Começou a temporada de premiações! A primeira delas ocorreu na terça (24/1), no Copacabana Palace: o Prêmio Cesgranrio, que consagrou o musical “Auê”. Ele levou os troféus de melhor espetáculo, direção e direção musical. “A gente está muito feliz, porque o Auê é uma assunção da nossa cia., da nossa linguagem, do que a gente acredita, do que a gente quer colocar em cena”, diz Fábio Enriquez, um dos membros da Barca dos Corações Partidos, responsável pelo musical.

(Foto: Reprodução / Instagram)

(Foto: Reprodução / Instagram)

Nas categorias de atuação, venceram Marcos Caruso por “O Escândalo Philippe Dussaert” e Debora Bloch por “Os Realistas”. Em seus discursos, ambos destacaram a resistência que é ter feito teatro em 2016, um ano de crise. “Foi uma honra fazer essa peça e estar em cartaz de janeiro a dezembro. Fomos privilegiados”, disse a atriz, “eu estava triste, em casa, e essa peça me salvou. Tenho muito orgulho de fazer parte dessa tribo que é o teatro”. Nas categorias específicas de musical, levaram os troféus Laila Garin por “Gota d’água [a seco]” e Alexandre Rosa Moreno por “A Cuíca do Laurindo”.

Formado por Carolina Virgüez, Daniel Schenker, Jacqueline Laurence, Lionel Fischer, Macksen Luiz, Rafael Teixeira e Tânia Brandão, o júri do premio também prestou uma homenagem à Nicette Bruno. Ela levou um prêmio especial por sua carreira. No telão, nomes como Ary Fontoura e Eva Wilma apareceram com discursos emocionados sobre a atriz. “Essa homenagem é uma alegria, é perceber que, quando você ama verdadeiramente o que faz, o tempo passa e você não percebe, então de repente se surpreende: 70 anos se passaram e ainda estou com vontade de realizar muita coisa, ter novos desafios, novos personagens. Isso é maravilhoso. É isso que o teatro nos dá”, Nicette declara ao Teatro em Cena.

Confira a lista completa de vencedores:
Melhor Espetáculo: “Auê”
Melhor Diretor: Duda Maia por “Auê”
Melhor Ator: Marcus Caruso por “O Escândalo Philippe Dussaert”
Melhor Atriz: Debora Bloch por “Os realistas”
Melhor Cenografia: André Curti e Artur Luanda Ribeiro por “Gritos”
Melhor Iluminação: Artur Luanda Ribeiro e Hugo Mercier por “Gritos”
Melhor Figurino: Luiza Fardin por “Se eu fosse Iracema”
Melhor Texto Nacional Inédito: Grace Passô por “Vaga Carne”
Categoria Especial: Wolf Maya pela construção do Teatro Nathalia Timberg
Melhor Direção Musical: Alfredo Del-Penho e Beto Lemos por “Auê”
Melhor Ator em Musical: Alexandre Rosa Moreno por “A cuíca do Laurindo”
Melhor Atriz em Musical: Laila Garin por “Gota d’água (a seco)”

Laila Garin e Débora Bloch com seus prêmios Wolf Maya exibe o troféu ao lado de Christiane Torloni (Foto: Leonardo Torres)

Laila Garin e Débora Bloch com seus prêmios Wolf Maya exibe o troféu ao lado de Christiane Torloni (Foto: Leonardo Torres)

Wolf Maya exibe o troféu ao lado de Christiane Torloni (Foto: Leonardo Torres)

Wolf Maya exibe o troféu ao lado de Christiane Torloni (Foto: Leonardo Torres)

Grace Passô com seu troféu (Foto: Reprodução / Instagram)

Grace Passô com seu troféu (Foto: Reprodução / Instagram)

Comentários

comments