Plantão

Stella Maria Rodrigues fala sobre musical da Emilinha

(Foto: Luciana Correa Mesquita)

Stella Maria Rodrigues resgata a memória de Emilinha Borba (1923-2005) há oito anos. Começou no musical “Emilinha e Marlene, as Rainhas do Rádio” (2010), desmembrou para o espetáculo “Emilinha” (2017), e foi parar até na Sapucaí. No Carnaval deste ano, ela apareceu caracterizada como a cantora em cima de um carro alegórico. No próximo dia 25, Stella volta a dar vida a uma das maiores cantoras do Brasil em “Emilinha”, em apresentação única no Teatro Riachuelo, no Centro, com participação especial de Nelson Freitas (de “Nelson Freitas e Você”).

– Desfilar na Porto da Pedra foi incrível. Um momento único! Como dizia Emilinha, “enquanto houver Carnaval nesse País, haverá Emilinha Borba”. Eu me senti assim por poder contar e cantar um pouco dessa história. História da nossa cidade, do nosso país! Uma artista apaixonada pelo Rio de Janeiro e pelo Brasil, que cantava: “o Rio amanheceu cantando… toda cidade amanheceu em flor”. Quando eu percebo a plateia emocionada, cantando junto… vou levar pra sempre esses momentos. Viva Emilinha Borba! – diz ao Teatro em Cena.

Nas apresentações do espetáculo, Stella Maria Rodrigues costuma atrair o famoso fã-clube da cantora. Um dos figurinos do musical, aliás, é um vestido original de Emilinha, emprestado por seu fã-clube oficial. No palco, a atriz relembra a época de ouro do Rádio e canta sucessos como “Chiquita Bacana”, “Escandalosa”, “Asa Branca”, “Quem Parte Leva Saudade”, “Se Queres Saber”, “Mulata Yê Yê Yê”, “Vai Com Jeito”, “Tomara Que Chova”, “Bandeira Branca”, entre outros. São cerca de 30 canções, algumas reunidas em um pout-pourri de Carnaval.

Fabrício Negri e Stella Maria Rodrigues em cena de “Emilinha” (Foto: Luciana Correa Mesquita)

– Quando comecei a estudar o repertório, achei que não conhecia muita coisa mas ia me surpreendendo com tantos sucessos, principalmente marchinhas de Carnaval que até hoje tocam e todo mundo canta junto! Aí vieram os boleros, as românticas… A parceria com Luiz Gonzaga e grandes sucessos. É um repertório incrível. Fui me apaixonando. Emilinha Borba foi uma das cantoras mais populares desse país. – conta.

Por esse espetáculo, Stella foi indicada ao Prêmio Cesgranrio de melhor atriz de teatro musical. Ela revive os momentos mais emblemáticos da carreira de Emilinha no palco, e conta com o colega de elenco de Fabrício Negri (de “O Homem de la Mancha”), que faz o apresentador César de Alencar. Para ela, a homenagem ao programa dele é um dos momentos mais legais do musical.

– É como fazer uma viagem no tempo e voltar à era de ouro da Rádio Nacional na qual Emilinha era anunciada por César como “a minha, a sua, a nossa Emilinha Booooooorba!”. E esse é o momento da participação especial. No dia 25, teremos meu querido Nelson Freitas. O que ele vai cantar? Surpresa! – ela faz mistério.

_____
SERVIÇO: qua, 20h. R$ 40 a R$ 80. 70 min. Classificação: livre. Dia 25 de julho. Teatro Riachuelo – Rua do Passeio 38/40 – Centro. Tel: 2533-8799.

Comentários

comments

Share: