Plantão

“Teatro Poeira segue, com todo empenho de suas diretoras”, diz comunicado

A gestão do Teatro Poeira, em Botafogo, emitiu um comunicado posicionando-se sobre o corte de patrocínio da Petrobras. No texto, o teatro lembra que está perto de completar 15 anos e que, além de sua programação de espetáculos, também possui um projeto permanente de formação, intercâmbio e extensão artística, envolvendo profissionais do teatro brasileiro e de outros países. Era esse projeto que a Petrobras apoiava há mais de dez anos.

Andréa Beltrão e Marieta Severo, gestoras do teatro (Foto: Reprodução / Ego)

“Depois de longa e frutífera parceria, recebemos um comunicado da Petrobras, confirmando os cortes de patrocínio para artes cênicas, cinema, música, que inclui o apoio que vinha sendo dado aos projetos de formação, extensão e intercâmbio do Teatro Poeira. Ao mesmo tempo em que repassamos aos frequentadores, amigos e apoiadores do TEATRO POEIRA, à classe teatral e a todos aqueles que participam da numerosa e viva comunidade artística e cultural brasileira, à comunidade teatral internacional, essa mudança de posicionamento da Petrobras, lamentamos mais este retrocesso na relação do governo federal com as forças vivas da arte, da cultura e da educação. O TEATRO POEIRA segue, com todo o empenho de suas diretoras e de todos os responsáveis por seu funcionamento, com sua programação de espetáculos. E espera não interromper inteiramente sua programação paralela de irradiação da arte teatral, com atividades pontuais, mantendo a expectativa de retoma-la inteiramente em tempos melhores”, diz o texto.

O Teatro Poeira foi inaugurado em 2005. O espaço, idealizado e construído pelas atrizes Marieta Severo (de “Incêndios”) e Andréa Beltrão (de “Antígona”), apresenta uma das melhores programações teatrais do Rio de Janeiro, divididas entre o Teatro Poeira e o Poeirinha (ao lado). O local é apenas uma das 13 iniciativas culturais que perderam patrocínio da Petrobras. No âmbito cultural, a petrolífera estatal deixou de patrocinar também o Festival de Curitiba e o Festival Porto Alegre em Cena. Clique aqui para ver a lista completa de afetados.

A decisão da Petrobras reflete a nova política governamental da Presidência da República. Jair Bolsonaro (PSL) defende que “o Estado tem maiores prioridades” do que a área cultural. Com o novo governo, o orçamento de patrocínios da estatal passa a ser destinado para ciência, tecnologia e educação, principalmente infantil.

Comentários

comments