CríticaOpinião

Thriller psicológico, O Branco dos seus Olhos tem fim surpreendente

(Foto: Ana Rovati)

(Foto: Ana Rovati)

“O Branco dos Seus Olhos” é um thriller psicológico. Em breve resumo, a história é a seguinte: jovem do interior marca um encontro pelo Facebook com um amigo de infância que não vê há anos. Ele é dançarino e se mudou para Buenos Aires com a namorada, mas está de passagem pelo Brasil e quer vê-la. Ela vai, mas tem uma surpresa ao chegar ao apartamento combinado: em vez dele, quem está lá é sua namorada possessiva e agressiva, que ela nem sabia que existia. Com a desculpa de esperar o dançarino chegar para dar satisfações, a anfitriã tranca a visita no local e pratica todo tipo de terror psicológico para passar o tempo. Em resumo bem resumido, é isso. Dizer mais é fornecer spoilers e estragar toda a graça.

O texto, assinado pelo roteirista de TV Alvaro Campos (dos programas “Furo MTV” e “Comédia MTV”), com supervisão de Julia Spadaccini (de “A Porta da Frente”), é feliz em seu ponto de partida e na construção de cada personagem. Raquel, a namorada meio insana, é uma executiva bem sucedida, mas extremamente dependente da atenção do dançarino Lauro. Para disfarçar esse seu ponto fraco, ela por vezes é desagradável, esnobe e prepotente. Karina, a moça do interior, é o contraponto disso e é fácil se compadecer dela na situação de clausura e confronto. Já Lauro, que aparece sempre em flashbacks, é um típico artista, em uma realidade paralela, muito livre e leve, muito dele.

A direção de Alexandre Mello (de “Aos Domingos”) é exata na construção do clima de tensão e desconforto da história. Ele também acerta ao colocar mais de uma situação acontecendo ao mesmo tempo em cena, quase como devaneios. Os números de dança de Lauro, interpretado por Fabiano Nunes (de “A Hora do Poço ou a Boca do Céu”), são especialmente bonitos e poéticos, coreografados por Paula Maracajá. Amanda Vides Veras (de “Uma Vida Boa”), a Karina, também está no ponto certo. Mas a personagem Raquel, vivida por Karine Teles (de “Do Tamanho do Mundo”), é apresentada com gritos e rompantes excessivos. Fica over, mas também ajuda na antipatia do público por ela, porque irrita.

(Foto: Ana Rovati)

(Foto: Ana Rovati)

Os figurinos de Elisa Faulhaber e a iluminação de Renato Machado são satisfatórios, mas é o cenário, do próprio Alexandre Mello, que é particularmente interessante. Há uma roleta de ônibus na entrada do apartamento e o espaço cênico é dividido em dois por uma fronteira invisível. De um lado, a arte, a dança, os ensaios de coreografia, as projeções de Lucas Canavarro. Do outro, a razão, o preto no branco e as estruturas retangulares. Por vezes, a fronteira é ultrapassada e uma realidade invade a outra.

“O Branco dos Seus Olhos” é um espetáculo digno, e seu desfecho é bastante inesperado. O final surpreendente pode tanto impressionar quanto decepcionar, por ser mirabolante demais. Isso fica a critério de cada um.

SERVIÇO
Espaço Sesc – Rua Domingos Ferreira, 160 – Copacabana. Tel: 2547-0156.
Dias e horários: quinta a sábado às 19h, domingo às 18h.
Ingresso: R$ 20 (para associados do Sesc é R$ 5).
Classificação: 14 anos.
Duração: 75 min.
Até 21 de dezembro.

Por Leonardo Torres
Pós-graduado em Jornalismo Cultural.

Comentários

comments