Novidade na cena carioca, a Casa de Baco, na Lapa, vai abrir suas portas para o inédito “Le Circo de la Drag” – espetáculo que aposta na linguagem de dublagem, com deboche e escracho, para tratar de temas sociais. A cada apresentação, o grupo, liderado por Juracy de Oliveira (de “Desviada – Animais na Pista”), receberá convidados especiais. Estão confirmados nomes como a funkeira Blackyva (de “Balé Ralé”), os atores Thiago Catarino (de “Salina”) e Jesuíta Barbosa (da minissérie “Nada Será Como Antes”), e a atriz Vilma Mello (de “Chica da Silva – O Musical”), vencedora do Prêmio Shell neste ano. Serão números exclusivos, pensados pelos convidados especialmente para a ocasião. Jesuíta e Thiago já adiantaram que farão uma música de Gilberto Gil.

(Fotos: Divulgação)

– O espetáculo surge da necessidade de se expressar de uma forma diferenciada. Formando o show, temos vários números e quadros onde a música é a dramaturgia principal. Foi justamente com os quadros que a ideia geral surge. Número a número, fomos entendendo o poder da ironia e a eficiência das metáforas. O uso da dublagem surgiu através de experimentações em diferentes formas de se expressar. Vimos que a linguagem possui um imenso número de possibilidades, se exploradas com afinco. Mas nem todos os números são necessariamente dublados. Alguns são encenações de histórias e outras servem apenas de pano de fundo para a cena que se desenrola. Sobre a drag, gostamos de dizer que é a nossa escolha de transgressão. – Juracy diz ao Teatro em Cena.

É um momento para o universo drag queen. Na TV e na Internet, o programa “RuPaul’s Drag Race” é uma febre e ajuda a quebrar preconceitos – inclusive dentre pessoas LGBTQ. No Brasil, a cantora Pabllo Vittar desponta como um nome popular e milhões de streams nas plataformas digitais. Quem não cantou que não espera o Carnaval chegar para ser vadia no último verão?

– Seria absurdo dizer que as barreiras de preconceito foram rompidas. Claro que avançamos em diversos aspectos, inclusive no que diz respeito as leis e direitos assegurados. Mas os números atuais de jovens que ainda são rejeitados pelas suas famílias torna impossível falar em rompimento do preconceito. Precisamos continuar resistindo. Precisamos de figuras como Pablo Vittar, Liniker, Linn da Quebrada, Jean Willys, Karol Conka e RuPaul pra que todos entendam que todo lugar é lugar de todos. Nenhum direito a menos. Pra ninguém. – frisa o diretor Juracy.

Nesse contexto, nasce também “Le Circo de la Drag”, com referências de besteirol, café-thêatre francês, esquetes de Karl Valentin, almanaques do Barão de Itararé, teatro de revista e teatro jornal. A montagem é direcionada para maiores de idade – ou menores acompanhados dos pais. Pessoas que não estão felizes com os rumos do país e precisam rir para não chorar, destaca o diretor. A estreia está marcada para 4 de agosto.

(Foto: Ronaldo Soares)

Calendário de participações
Dia 4 – Ninguém (Estreia só com o elenco)
Dia 5 – Karolyne Absinto
Dia 6 – Ainda a confirmar
Dia 11 – Lívia e Júlia Bravo
Dia 12 – Will Lopes (Blackyva)
Dia 13 – Thiago Catarino
Dia 18 – Rodrigo Candelot
Dia 19 – Ainda a confirmar
Dia 20 – Vilma Mello
Dia 25 – Jesuíta Barbosa
Dia 26 – Ma.Ma. Horn
Dia 27 – Fabiano de Freitas

_____
SERVIÇO: sex a dom, 19h30. R$ 30. 60 min. Classificação: 18 anos. De 4 até 27 de agosto. Casa de Baco – Rua da Lapa, 243 – Lapa. Tel: 3796-6191.