(Foto: Humberto Araujo)

CURITIBA – Quem passa na porta nem imagina o que acontece lá dentro. A Bicicletaria Cultural, atrás da Universidade Federal do Paraná, abriga parte das apresentações da “Fringe”, a mostra paralela e democrática do Festival de Curitiba. É ali que acontecem os espetáculos do Coletivo El Camino, que tem a atriz Letícia Spiller (de “Dorotéia”) entre seus integrantes. No palco com o show “Punho Fechado”, ela mergulha no underground e mostra uma faceta muito diferente daquela com a qual o público está acostumado a vê-la. Com cílio postiço vermelho, espartilho, rosa no cabelo e pinta de quem não se leva muito a sério, a estrela das telenovelas canta, dança e declama poemas (autorais ou não) para um público seleto. O clima é de banda de garagem e inferninho. O local é um cubículo. Não cabem 50 pessoas sentadas. Algumas ficam de pé, outras se sentam no chão, algumas gravam e fazem “lives” com o celular, outras bebem e há quem arrisque experimentar o baseado de um dos membros do coletivo.

(Foto: Humberto Araujo)

O El Camino é composto por Letícia Spiller, Adriano Petermann, Maureen Miranda, Neco Yaros, Pablo Vares e Flávio Jardim. O repertório de “Punho Fechado” está entre o folk latino e o indie – ou entre o bem e o mal, como diz uma das músicas. As letras falam de amor e do mundo, em português e em espanhol (Pablo é uruguaio). “O amor está no ar, é por isso que às vezes ele caga na gente”, brinca Adriano. A maioria da setlist é original, mas com samples de Lulu Santos (“Adivinha O Que”), Ray Charles (“Hit the Road Jack”) e Paquitas (“Fada Madrinha”), o grupo com o qual Letícia foi alçada à fama no fim dos anos 1980 e que vendeu quase um milhão de cópias.

Além de música, o espetáculo que a leva de volta à música – mas bem distante do pop teen mainstream de outrora – conta com performance, poesia e artes plásticas. Durante algumas canções, Maureen faz desenhos em cartolinas e presenteia os espectadores com o material. Além disso, durante o festival, Letícia Spiller lançará seu próprio livro de poemas, com ilustrações da colega de coletivo. Letícia Spiller é poetisa.

*O repórter viajou a convite do Festival de Curitiba.

(Foto: Letícia Spiller)

(Foto: Divulgação)