Depois de nomes como Tim Maia, Cazuza, Elis Regina, Cássia Eller, Wilson Simonal e Beth Carvalho, só para citar alguns, chega a vez de Zeca Pagodinho ser homenageado com um musical teatral. Estreia, na próxima sexta (22/9), “Zeca Pagodinho – Uma História de Amor ao Samba”, que cumprirá temporada até o fim de outubro no Theatro Net Rio, em Copacabana. Em cena, os atores Peter Brandão (da novela “Babilônia”) e Gustavo Gasparani (de “SamBra”) dividirão o papel protagonista: Peter retratando a juventude e Gustavo a maturidade. Gustavo é também o responsável pelo texto e pela co-direção do espetáculo.

Atores com Zeca Pagodinho (Foto: Reprodução / Breno Moreira)

Os dois não são parecidos fisicamente com o sambista, mas já receberam a benção do homenageado. “O espírito e o clima dos personagens são muito mais necessários ao espetáculo do que semelhanças físicas ou qualquer imitação. Através do Zeca, nós, brasileiros, nos tornamos mais suburbanos, mais cariocas e mais Xerém”, defende Gasparani.

Ao todo, o elenco é formado por 13 atores e quatro músicos – alguns já parceiros habituais de Gasparani. Além de Peter e do diretor, os artistas escalados são Ana Velloso (de “SamBra”), Beatriz Rabello (filha de Paulinho da Viola), Bruno Quixotte (de “SamBra”), Douglas Vergueiro (de “Andança – Beth Carvalho, o Musical”), Édio Nunes (de “SamBra”), Flavia Santana (de “Love Story”), Lu Vieira (de “Gonzagão – A Lenda”), Milton Filho (de “SamBra”), Psé Diminuta, Ricardo Souzedo (de “O Beijo no Asfalto – O Musical”) e Wladimir Pinheiro (de”SamBra”). A direção musical é de João Callado (de “Oui Oui… A França é Aqui: A Revista do Ano”).

(Foto: Eder Novacki)
(Foto: Eder Novacki)

O formato do musical é uma roda de samba, na qual se conta a história de Zeca Pagodinho, nascido no subúrbio do Rio de Janeiro em 1959. Os números musicais entremeiam os momentos marcantes de sua trajetória. A ideia do projeto é da produtora Victoria Dannemann, que apresentou o texto para Zeca Pagodinho. Ele não quis se envolver diretamente com a montagem e deixou tudo “nas mãos de quem sabe”. Só fez um pedido: “fiz questão que tivesse um personagem do meu caseiro Baixinho. Ele foi marcante na vida da nossa família”, diz.

_____
SERVIÇO: qui e sex, 21h; sáb, 17h30 e 21h; dom, 20h. R$ 50 (balcão II) a R$ 150 (plateia e frisas). 120 min. Classificação: 12 anos. Até 29 de outubro. Theatro Net Rio – Rua Siqueira Campos, 143 – Copacabana. Tel: 2147-8060.