O Teatro em Cena conseguiu mais detalhes sobre o musical “Ayrton Senna do Brasil”, que está sendo desenvolvido para estreia em novembro no Rio de Janeiro. Aniela Jordan, da produtora Aventura Entretenimento, contou ao site que o espetáculo não será uma biografia do piloto de Fórmula 1, como as pessoas estão pensando. Será uma peça ficcional, na verdade. “Não é a história da vida do Ayrton. Não tem uma historinha do Ayrton. Tudo vai se passar durante uma única corrida. É bem bacana. É ficcional, mas a gente revê várias coisas dele”, ela adiantou.

(Foto: Reprodução)

O texto é de Claudio Lins (de “O Beijo no Asfalto – O Musical”) e Cristiano Gualda (ator de “Bem Sertanejo”), que também assinam as canções originais. A direção musical será de Felipe Habib (de “BarbarIdade”) e a direção geral ficará a cargo de Renato Rocha, que trabalhou no Nós do Morro e na Intrépida Trupe antes de se radicar em Londres, criando espetáculos para a Royal Shakespeare Company, The Roundhouse, LIFT (Festival Internacional de Teatro de Londres) e Circolombia. A parceria com ele trará inovação para a Aventura. “O espetáculo não vai ser um musical tradicional. Vai sair um pouco disso. Vai ter circo”, conta Aniela. No anúncio da seletiva de elenco, uma pista: acrobatas foram convocados para os testes. A direção buscou especialistas em acobracia solo, com conhecimento de dança vertical.

Da esquerda para a direita:
o diretor musical Felipe Habib, o diretor Renato Rocha e a produtorade elenco Marcela Altberg (Foto: Reprodução / Facebook)

Quanto ao elenco, por enquanto, nenhum nome é revelado. Todos os atores e acrobatas selecionados fizeram audições neste mês. Desta vez, não haverá nenhum grande nome convidado. É mistério, por exemplo, quem desempenhará o papel de Ayrton Senna. A produção estava em busca de um ator-cantor de 20 a 40 anos para o papel.

Ayrton foi tricampeão da Fórmula 1, tornando o esporte popular no Brasil. Ídolo nacional, infelizmente, morreu em um acidente durante uma corrida na Itália em 1994.