Em meio ao fechamento de tantos teatros no Rio de Janeiro, um deles reabre suas portas ao público após 18 anos fora da programação carioca: o Teatro Adolpho Bloch, antigo Teatro Manchete, que fica na Rua do Russel, na Glória, pertinho do metrô do Catete. A “reinauguração” aconteceu na noite de quarta (2/5) com a presença de nomes como Guida Vianna (vencedora do Prêmio Cesgranrio por “Agosto”), Edwin Luisi (de “Alair”), Guilherme Weber (de “”) e Lúcio Mauro Filho (de “5x Comédia”). Eles assistiram a “O Musical da Bossa Nova”, que vai ficar em cartaz até o dia 27 com sessões sextas, sábados e domingos.

(Foto: Leonardo Torres)

Com capacidade para 358 espectadores, o teatro foi projetado por Oscar Niemeyer (1907-2012) nos anos 1970 e tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Ele ficou inativo a partir do ano 2000, com a falência da Manchete, mas a empresa BR Properties adquiriu o prédio em 2010 para construção de um ediício-garagem e reformou o teatro, que ficou pronto em 2012. No entanto, ele vinha sendo usado apenas para gravações de TV e eventos fechados. A reabertura para o público é uma ação da produtora Aventura Entretenimento, a mesma gestora do Teatro Riachuelo, na Cinelândia. A ideia surgiu há cerca de oito meses.

– Esse teatro é histórico. Passaram por aqui Paulo Autran, Bibi Ferreira… Não tinha sentido ficar fechado. A gente agora quer buscar patrocínio para mantê-lo aberto, e a gente acredita que haverá empresas interessadas, porque esse é um teatro importante para a cidade – diz Aniela Jordan, uma das sócias da Aventura, em entrevista ao Teatro em Cena – A gente fez um acordo para gerir o espaço. Esse é o teatro da minha infância. Eu descobri os musicais aqui, assistindo “Pippin” 35 vezes quando eu tinha 11 ou 12 anos. A cidade está precisando desse investimento, que é afetivo sobretudo. A classe artística tem cada vez menos palcos.

Ela promete preencher a programação do Teatro Adolpho Bloch com shows, musicais de médio porte e teatro falado – diferentemente do Teatro Riachuelo. O que será igual é o padrão de qualidade, com oferta de luz, som e infraestrutura para as produções.

– Normalmente, a gente capta patrocínio para depois abrir um teatro. Mas, como a gente ia apresentar “O Musical da Bossa Nova” no Rio, a gente pensou: “vamos fazer lá para mostrar o teatro para as pessoas, para mostrar que existe, para movimentar”. Tomara que dê certo. Torçam por mim. – diz a produtora.

(Foto: Leonardo Torres)
(Foto: Leonardo Torres)
(Foto: Leonardo Torres)
Guida Vianna (Foto: Leonardo Torres)
Edwin Luisi, André Rosa (Foto: Leonardo Torres)
Guilherme Weber (Foto: Leonardo Torres)
Lúcio Mauro Filho (Foto: Leonardo Torres)
Bruno Fraga (Foto: Leonardo Torres)
Thiago Marinho (Foto: Leonardo Torres)
Stella Maria Rodrigues (Foto: Leonardo Torres)
Kacau Gomes (Foto: Leonardo Torres)
Pedro Henrique Lopes e Laura Carolinah (Foto: Leonardo Torres)
Sérgio Módena, Ana Velloso, André Dias e Vera Novello (Foto: Leonardo Torres)
(Foto: Leonardo Torres)

_____
SERVIÇO: sex, 20h; sáb, 17h e 20h; dom, 18h. R$ 50 (plateia popular) e R$ 80 (plateia). 90 min. Classificação: livre. De 4 até 27 de maio. Teatro Adolpho Bloch – Rua do Russel, 805 – Glória.