O ator Andrew Garfield, indicado ao Tony Award por “Death of a Salesman” e protagonista dos últimos filmes do “Homem-Aranha”, virou notícia no mundo inteiro nesta semana por um tema que não tem nada a ver com trabalho. Ele declarou ao site americano Mic que é bissexual, o que se tornou uma grande questão para os fãs de quadrinhos. “Não vejo a hora em que não teremos mais que ter esse tipo de conversa, que poderemos ter um Homem-Aranha pansexual”, disse o americano. “Por que nós temos tanto medo? Por que tem que ser uma relação entre homem e mulher? Por ainda temos esse tipo de conversa? Nós tememos coisas que não estamos acostumados. Amor é amor, pele é pele, carne é carne. Eu mesmo não tenho uma preferência sexual”.

(Fotos: Reprodução)
(Fotos: Reprodução)

Solteiro desde o fim do namoro de três anos com Emma Stone (estrela da remontagem de “Cabaret”), Andrew abriu sua vida pessoal para criticar a posição da Sony Pictures e da Marvel em relação ao perfil do Peter Parker. De acordo com documentos vazados em julho pelo Wikileaks, o estúdio tinha a obrigação contratual de colocar um ator “heterossexual e caucasiano” no papel. A sexualidade e a etnia do personagem e do intérprete faziam parte do acordo de licenciamento imposto pela Marvel, entre várias outras especificações.

O protagonista dos longas-metragens, porém, diz que “não dá a mínima” para a sexualidade do super-herói. “A riqueza do mundo em que estamos, a diversidade do mundo em que estamos… olhe para o reino animal e você vê isso refletido”, ponderou na entrevista. “Por que não podemos descobrir que Peter está explorando sua sexualidade? Nem é algo tão inovador. Por que ele não pode ser gay? Por que não ele não pode gostar de garotos?”.