A comédia teatral “O Que o Mordomo Viu” chegará ao Rio de Janeiro sem Marisa Orth (de “A Família Addams”) no elenco. Miguel Falabella (de “Alô, Dolly!”) contracenará com Arlete Salles (de “Laboratório Sexual”), com quem ele chegou a fazer algumas apresentações no início do ano. “Nunca fizemos nada no palco e eu adoro trabalhar com amigos. Então, finalmente, pude realizar esse desejo”, diz o ator e diretor. A estreia ocorrerá no dia 31 no Teatro Clara Nunes, no Shopping da Gávea.

(Fotos: Divulgação)
(Fotos: Divulgação)

Arlete foi o primeiro nome pensado para “O Que o Mordomo Viu”, mas não pôde continuar a turnê da peça e realizar a temporada em São Paulo por questões de saúde. No início do ano, ela teve que se submeter a uma cirurgia para retirada de um tumor. Então, a substituição de Marisa Orth é, na verdade, o retorno ao projeto inicial.

O espetáculo é escrito por Joe Orton e foi montado pela primeira vez em 1969 em Londres. A versão brasileira é de Miguel Falabella, que assina a direção, com Cininha de Paula (de “O Cachorro Riu Melhor”) como co-diretora. “Esse, para mim, é o melhor texto dele. Escolhi dirigir esta obra porque ela é atemporal e também pelo seu conjunto: a irreverência do autor, o humor, o enredo”, explica Falabella.

No palco, ele vive o psiquiatra Arnaldo, que é flagrado por sua espora Mirta (Arlete Salles) em uma atitude suspeita com a secretária (Alessandra Verney, de “Alô, Dolly!”). Para não ser pego em flagrante, ele forja uma situação e acaba provocando uma série de equívocos. O jogo dos erros aumenta porque Mirta também tem algo a esconder: a promessa do cargo de secretário a Nico (Magno Bandarz, de “Laboratório Sexual”), por quem está sendo chantageada.

A temporada vai até 14 de fevereiro, com sessões de quinta a domingo. Os ingressos variarão entre R$ 100 e R$ 120.