Maria Eduarda de Carvalho em cena (Foto: Felipe O'Neill)
Maria Eduarda de Carvalho em cena (Foto: Felipe O’Neill)

“As aparências enganam quem quer se enganar”. Há uma fala mais ou menos assim no espetáculo “Atrás da Porta”, escrito pela dupla Fernando e Guilherme Scarpa, e esta é a melhor síntese do texto. Com suficientes 75 minutos, a encenação se desenrola mostrando que realmente a plateia só se engana se quiser se enganar, como os personagens. As pistas para as posteriores mudanças de rumo estão todas lá desde o início. É uma dramaturgia bem contemporânea e articulada, livre de amarras morais.

O cerne da trama é Julia (interpretada por Maria Eduarda de Carvalho, de “Inbox”), uma mulher que repentinamente avisa ao marido (Bruno Padilha, de “Outside, um Musical”) que está deixando o lar, após sete anos de casamento. Desolado, ele recebe a visita de um casal de amigos – vivido por Leandro Baumgratz (de “Besame Mucho”) e Luiza Scarpa – e tenta entender o que aconteceu em seu relacionamento, relembrando fatos passados. É a deixa para revelações, frustrações, e muita sinceridade, graças à personagem vivida por Luiza, que proporciona o tom cômico das cenas com sua franqueza inconsequente. O elenco é competente em suas variações de emoções, e o público fica em dúvida se abraça ou rejeita certos personagens, conforme a história se desenrola. Como na vida, todos têm prós e contras.

Toda a história se passa na sala do apartamento do casal que está se separando. É um ambiente único, assinado por Fernando Scarpa e Maria Luz Gómez. Os figurinos (de Manoela Pessoa) são realistas e indicadores da personalidade de cada tipo. Com mudanças básicas, passeiam entre o presente e o passado com eficácia. Mas é a trilha sonora o que mais chama a atenção. A seleção de músicas para os entre-cenas é de pedir a lista para baixar em casa.

Maria Eduarda de Carvalho e Luiza Scarpa: rivalidade e implicâncias em cena (Foto: Felipe O'Neill)
Maria Eduarda de Carvalho e Luiza Scarpa: rivalidade e implicâncias em cena (Foto: Felipe O’Neill)

O espetáculo marca a estreia do ator Emilio Orciollo Netto (de “Também Queria Te Dizer”) na direção, comemorando seus 25 anos de carreira. É uma boa estreia, e uma boa reinvenção. “Atrás da Porta” tem um texto ótimo, que incita à reflexão de valores e de pré-conceitos, e resulta em uma encenação dramático-cômica agradável de se ver. Fica em cartaz até 25 de agosto no Teatro Glaucio Gill, em Copacabana, com ingressos a R$ 30, e sessões aos sábados às 21h e domingos e segundas às 20h.

Por Leonardo Torres
Pós-graduado em Jornalismo Cultural.