(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

O perfil do diretor musical Claudio Botelho no Facebook está sendo bombardeado de críticas neste fim de semana. O artista, abertamente contra o governo do PT, criou uma enorme polêmica ao inserir um caco em uma apresentação de “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos” em Belo Horizonte. Atuando na peça, que se passa em uma cidade fictícia, ele disse que “lá havia um ex-presidente ladrão e uma ladra que ia sofrer um impeachment”, segundo o site Belo Horizonte de A a Z (BHAZ). O público desaprovou e enfureceu com a referência ao noticiário atual. Parte dos espectadores se levantou, vaiou e gritou que “não vai ter golpe!”. A sessão foi interrompida, o debate não.

Após a apresentação, parte dos espectadores se dirigiu ao perfil do diretor na rede social, convocando outros militantes. No post mais recente de Claudio, não coincidentemente também de teor político, foram registradas mais de 580 respostas – virando um cenário de guerra virtual. Entre os comentários, muitos #naovaitergolpe, #golpista e até “facista”. “Justo em um musical do Chico Buarque, cara. Se eu fosse o Chico, te processava! Ridículo”, escreveu uma internauta.

VEJA TAMBÉM:
– Mídia Ninja vaza áudio de Soraya Ravenle discutindo com Claudio Botelho
– Chico Buarque proíbe Claudio Botelho de usar suas músicas

Os militantes também compartilharam o post do diretor dezenas de vezes, para convocar mais gente para comentar na página dele. O conteúdo era mais ou menos o mesmo, dizendo que “Claudio Botelho faz ofensas à Dima e ao Lula em peça sobre Chico Buarque”. No post, o diretor ainda fala sobre a possibilidade de intervenção militar, o que acirrou ainda mais os ânimos.

Vale lembrar que, nesta última semana, o jornalista Rodrigo Constantino divulgou uma lista de artistas que deveriam ser boicotados por apoiarem o PT. “Não comprem mais nada deles. Não assistam seus programas, não leiam suas colunas. Não comprem seus livros, não vão às suas peças de teatro, não comprem seus CDs. Eles precisam saber que não será impune atentar contra a democracia brasileira. Xô, petralhas!”, escreveu. Ou seja, a intolerância parte de todos os lados e a discussão política está em alta no meio artístico.