Com futuro incerto, Casa da Gávea é tombada pela Prefeitura do Rio

O centro de convivência artística Casa da Gávea, na Praça Santos Dumont, foi tombado definitivamente pela Prefeitura do Rio nesta segunda (28/12). No anúncio no Diário Oficial, o prefeito Eduardo Paes ressaltou que o lugar se tornou uma referência no panorama cultural da cidade, reunindo escritores, autores, artistas e intelectuais. Com o tombamento, o sobrado não pode sofrer qualquer alteração física sem aprovação prévia do Conselho Municipal de Proteção do Patrimônio Cultural do Rio de Janeiro.

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Gerida por Cristina Pereira, Vera Fajardo, Rafael Ponzi e Paulo Betti, a Casa da Gávea recebe espetáculos teatrais e shows de pequeno porte, além de promover leituras dramatizadas. Recentemente, Paulo Betti ficou em cartaz no local com seu monólogo “Autobiografia Autorizada”, vencedor do Prêmio Cenym e concorrente ao Prêmio Shell de melhor autor.

Instalado há 23 anos na Praça Santos Dumont, o centro artístico quase fechou suas portas no ano passado, por falta de patrocínio. O imóvel é alugado e houve problemas de pagamento, que voltaram a ocorrer neste mês, deixando incerto o futuro das atividades no local. A coluna do Ancelmo Gois no jornal O Globo noticiou uma ordem de despejo na semana passada, dizendo que os herdeiros não têm interesse em renovar o contrato de locação com a chamada Casa da Gávea.