resenha-3estrelasemeia

O espetáculo “Como a Gente Gosta”, nome dado para o “As You Like It” de William Shakespeare, é extremamente gracioso. A tradução assinada por Gabriel Falcão, intérprete do protagonista masculino, e Vinícius Coimbra, o diretor, é bastante contemporânea, com vocabulário leve, e mantém as falas rimadas, por si só bem humoradas. É um Shakespeare como tem que ser: acessível, gostoso, engraçado, inteligente e popular.

como a gente gosta

A história é de amor. Rosalinda, filha do Duque, e Orlando se apaixonam à primeira vista e veem suas vidas serem separadas por fatos externos. Ela é banida do reino e vai para a floresta com a prima e o bobo, disfarçada de homem para ficar menos vulnerável, e ele é obrigado a fugir quando descobre que seu irmão Olivério quer matá-lo. Por uma coincidência do destino shakespeariano, eles se reencontram na floresta, mas Orlando não a reconhece disfarçada de homem. Sob essa máscara, Rosalinda põe o amor dele à prova antes de revelar sua identidade. Na encenação, o elenco de nove atores se alterna entre vários personagens, mas Gabriel Falcão (de “Quase Normal”) e Priscila Steinman (de “O Céu Está Vazio”) se mantêm a maior parte do tempo no posto de protagonistas – Orlando e Rosalinda, o casal apaixonado.

A montagem começa com o elenco cantando e tocando em uma performance tanto fofa quanto desengonçada – sem dúvida dispensável. É o primeiro contato com o cenário (de Vinícius Coimbra) – piso e fundo brancos, com pilastras – e o figurino (também dele) – camisas pretas com os nomes dos personagens escritos, e adereços mínimos. É tudo muito simples, mas cuidadoso. O minimalismo é impresso mais como uma opção estética do que como falta de recursos, e é posto em cena como comida de mãe, com amor e carinho. A iluminação (de Paulo Cesar Medeiros) segue a mesma linha, com variação de cores no fundo branco, dando o tom de cada momento da história, de maneira lúdica. A encenação tem um quê de infantil, apesar das piadas adultas.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

As saídas e entradas de cena acontecem sempre pelo mesmo lugar, como um portal, o que é tão artificial quanto teatral. Não incomoda, mas é percebido. O grande trunfo do espetáculo é o elenco carismático e afiado, em sua totalidade. Os chamarizes de público Pedro Paulo Rangel (de “Azul Resplendor”) e Camilla Amado (de “O Jardim Secreto”) cumprem sua missão com maestria. Mesmo com papeis secundários, marcam a encenação, provando que realmente não existe personagem pequeno para grandes atores. Camila, especialmente, está um cristal fazendo uma meninoca saltitante. Priscila Steinman também se destaca como condutora da trama, e os momentos mais engraçados são reservados à Patrícia Pinho (de “As Meninas”). João Lucas Romero (de “O Funeral”), Xando Graça (de “Fazendo História”), Jitman Vibranovski (de “Silêncio!”) e Alexandre Contini (de “Comédia Russa”) completam o clã.

O espetáculo termina com a mesma apresentação musical do início, e aí ela já não parece mais tão desengonçada. O público está entregue, batendo palmas ritmadas, “Como a Gente Gosta”.

Por Leonardo Torres
Pós-graduado em Jornalismo Cultural.

_____
SERVIÇO: qui a sáb, 21h30; dom, 20h. R$ 80. 80 min. Classificação: 14 anos. Até 5 de julho. Teatro dos Quatro – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52 – Gávea. Tel: 2239-1095.