Gabriel Leone: novo Léo (Foto: Divulgação)
Gabriel Leone: novo Léo (Foto: Divulgação)
A espera acabou! Depois de avaliar muitos vídeos de atores que se inscreveram para viver o líder Léo no musical “Léo e Bia”, a produção já tem o nome selecionado: Gabriel Leone (de “Chacrinha – O Musical”). “Poderíamos ter aberto inscrições para todas as outras personagens, mas o Léo foi o único que não conseguimos encontrar”, explica o diretor Leonardo Talarico (de “Amor e Ódio em Sonata”), em entrevista exclusiva ao Teatro em Cena. “A repercussão foi gigantesca! Nós recebemos cerca de mil vídeos, inúmeras mensagens, muita gente talentosa. Fizemos questão de responder a todos que enviaram os vídeos, pra deixar muito claro como a escolha foi feita e não brincar com os sonhos de ninguém”.

Originalmente estreado em 1984, o espetáculo é uma ficção com base autobiográfica, escrita por Oswaldo Montenegro (de “Filhos do Brasil”) sobre sua trupe teatral em Brasília em 1973, e conta a história de Léo, um diretor de teatro que reúne sete atores para fazerem arte em plena ditadura militar. Pelo momento histórico, eles têm que lidar com a repressão. Léo namora Bia (papel que será Bia Arantes, de “A-Traídos”), uma jovem infernizada por sua mãe que, ao adoecer, fica obcecada pela filha e a reprime das formas mais cruéis. A história já pôde ser vista no cinema, em filme de 2010, com pouquíssimo tempo em cartaz, porém mais de um milhão de acessos no Youtube.

É o espírito libertário e hippie-burguês da trupe jovem que torna a ditadura apenas um pano de fundo na história, personificado em suma na figura dessa mãe. “É uma ambiência de opressão, que nos favorece, porque ressalta o afeto do grupo e o quanto ele era fechado e sonhava em viver de teatro”, comenta o diretor da Cia. Os Insubmissos. “É o sonho realizado de uma geração, e que sirva de exemplo para tantas outras, porque aquele afeto, aquela obstinação artesanal de viver pelo teatro, em prol da arte, deu certo para eles. Isso é muito bonito”.

"Léo e Bia", o filme, teve Paloma Duarte, Emílio Dantas, Fernanda Nobre, Vitória Frate e Pedro Nercessian no elenco (Foto: Divulgação)
“Léo e Bia”, o filme, teve Paloma Duarte, Emílio Dantas, Fernanda Nobre, Vitória Frate e Pedro Nercessian no elenco (Foto: Divulgação)

Amigo de longa data de Oswaldo Montenegro, criador do espetáculo, Talarico revela que nunca assistiu a nenhuma das montagens da peça, que apenas viu o filme e conta como foi feita a proposta para a releitura do musical: “Estávamos Oswaldo e eu falando sobre novos projetos para o teatro e ele me sugeriu que remontasse Léo e Bia. Nunca ninguém de fora tinha montado o espetáculo. Apenas a visão dele tinha sido dada, e como ele já conhecia meu trabalho no ‘Amor e Ódio em Sonata’, ele disse que seria interessante eu trazer esse novo olhar para a peça”.

A primeira etapa da releitura se deu na escolha do elenco. “Foi interessante pelo seguinte: como o Oswaldo já havia montado Léo e Bia e já tinha feito o filme, a minha ideia foi lançar um novo olhar em todas as personagens”. Segundo o diretor, ele foi em busca por atores que pudessem justamente preencher a expectativa de quem já conhece a história, para que não sentisse falta de nenhuma referência.

Os escolhidos foram Isabella Santoni (de “Cinco Julias), Amandha Monteiro (de “Amor e Ódio em Sonata”), Juliana Weinem (de “Amor e Ódio em Sonata”), Marcelo Magano (de “Papo Cabeças), Luiza Chicani e Rodolfo Karvalho (de “Entremundos”), além de Bia Arantes e Gabriel Leone, que foi o último escalado. “O Gabriel veio com uma fúria para buscar por um papel que sempre foi dele. O vídeo [da inscrição] foi muito bacana. Ele já começou nos ensaios e está completamente entrosado. Tem uma liderança nata dele, que se encaixou perfeitamente”, justifica o encenador. “Contamos com um elenco incrível. O espetáculo não tem um protagonista. Os oito são protagonistas”.

Leonardo Talarico e Gabriel Leone (Foto: Divulgação)
Leonardo Talarico e Gabriel Leone (Foto: Divulgação)
Isabella Santoni e diretor (Foto: Reprodução / Instagram)
Isabella Santoni e diretor (Foto: Reprodução / Instagram)

O processo de ensaios e preparação é longo e exige a conciliação de agendas. Gabriel Leone está no ar em “Velho Chico” (Globo), Bia Arantes vai gravar “Carinha de Anjo” (SBT) em São Paulo e Isabella Santoni está reservada para a próxima novela das 21h da Globo. “É sacrificante” fazer o cronograma de ensaios dar certo. Mas está acontecendo. Leonardo Talarico, inclusive, virou coach da Isabella. A estreia da peça está prevista entre novembro e janeiro, no Rio de Janeiro, em teatro a definir. Os prazos são flexíveis. “Nós somos uma companhia de processo, então a gente só estreia com todo mundo pronto. Como eu faço um trabalho para direção de ator, eu não gosto do meu ator exposto em cena se não estiver pronto”, avisa o diretor.