“O Grande Circo Místico”, o filme, está lá na lista das produções previstas para estrearem entre 2015 e 2016, divulgada pelo site especializado em cinema Filme B. A Downtown Filmes confirmou o lançamento do filme de Cacá Diegues para o 1º semestre de 2016, apesar da onda de protestos que envolvem a produção desde antes das filmagens. Bruna Linzmeyer, intérprete da Beatriz, também esteve no “Programa do Jô” recentemente divulgando o projeto, que promete dar ainda mais o que falar no ano que vem.

O motivo do burburinho negativo é a presença de animais de verdade nas filmagens. Como a legislação brasileira proíbe bichos nos circos, “O Grande Circo Místico” foi rodado em um circo de Lisboa, em Portugal. Um leão e um elefante aparecem no trailer, divulgado em março. A ida para a Europa possibilitou que Cacá Diegues filmasse conforme seu desejo, mas tornou a polêmica internacional. Houve uma manifestação presencial em Lisboa, contra a presença de animais no set, e um abaixo assinado organizado na Internet acumula mais de 20,8 mil assinaturas, com o título “Nós não queremos animais no filme ‘Grande Circo Místico’”.

Em entrevista ao jornal O Globo no ano passado, o cineasta disse que “não dá para fazer, sem bichos, um longa que se passa em um circo, no início do século XX”. Ao Fórum Nacional de Proteção e Defesa Animal, a produção do filme declarou que não fez nada ilegal nem imoral, pois usou apenas animais adestrados do circo do Victor Hugo Cardinali. Mas esse é outro problema: o circense tem fama de maus tratos aos bichos, tendo ele próprio admitido em público que já bateu no elefante. Ainda no ano passado, ao mesmo jornal, Cacá Diegues deu sua declaração mais polêmica sobre o assunto: “Sempre desconfiei da piedade escandalizada em relação aos animais de um circo. Eles têm casa, comida e roupa lavada, não precisam sair pela floresta correndo perigo e provocando a extinção dos outros, em busca de alimento. E, se por acaso não se sentem satisfeitos, podem facilmente acabar com o domador e seus frágeis parceiros de espetáculo. A sobrevida dos circenses é a celebração dos animais”.

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

O filme brasileiro tem um grande elenco, incluindo os internacionais Vincent Cassel e Catherine Mouchet. Antônio Fagundes, Mariana Ximenes, Jesuíta Barbosa e Juliano Cazarré também fazem parte. Esse é um projeto antigo do Cacá Diegues, que foi adiado para que ele pudesse rodar o documentário “5x Pacificação”.

A trama é inspirada no poema homônimo de Jorge de Lima, que serviu de inspiração para um álbum de Chico Buarque e Edu Lobo para a trilha sonora de o ballet do Teatro Guaíra (PR) nos anos 1980. O poema conta a história dos Kniepes, uma família dona de circo, ao longo de um século.

O musical teatral

Sem polêmicas, “O Grande Circo Místico” foi um sucesso no teatro em 2014, com um musical dirigido por João Fonseca (de “Cássia Eller – O Musical”). Também inspirado no poema, e na trilha criada por Chico e Edu, o espetáculo fez temporadas no Rio de Janeiro e em São Paulo, e rendeu o troféu de melhor ator de musical para o estreante Gabriel Stauffer (atualmente em “S’imbora, o Musical – A História de Wilson Simonal”) no Prêmio Cesgranrio. A montagem resolveu a questão dos animais com um aspecto lúdico, no qual cavalos eram interpretados pelos próprios atores.