“Tô Grávida!” é uma comédia romântica às avessas. A trama acompanha a terapia de casal de Bianca (Fernanda Rodrigues, de “Enfim, Nós”) e Thales (Paulo Vilhena, de “Hedwig e o Centímetro Enfurecido”), cujo principal conflito é a maneira como ele reage à gravidez dela (não dá para dizer “dos dois”, justamente por causa do comportamento dele). A história começa divertida e hilariante, e mergulha em uma crise profunda – ainda engraçada, mas também comovente. A plateia não esconde que está do lado dela. Mas o protagonista é ele – o sujeito ativo.

(Foto: Divulgação)
(Foto: Divulgação)

Por isso, às avessas. Nas comédias românticas, geralmente, o conflito está na personagem feminina – por isso são as mulheres as grandes fãs do gênero. Quando o foco é o personagem masculino, seu objetivo é a conquista ou reconquista da mulher. Não é o acaso de Thales. Ao contrário, ele afasta cada vez mais a Bianca, porque seu conflito é a barriga dela (“um saco de batatas”). Não aceitando a gestação, ele torna o relacionamento insuportável. Sacado sensivelmente por Regiana Antonini (de “Meu Ex Imaginário”), o texto põe luz em um universo pouco debatido: o dos futuros pais. Quando um homem se torna pai? Ou melhor, quando um homem se sente pai? Para as mulheres, é mais óbvio: elas se sentem mães assim que descobrem que há um bebê crescendo na barriga. É essa a reivindicação de Thales: por que ninguém parece se importar com tudo que se passa na cabeça dele, que também vai ter a vida transformada? Ele não segue o roteiro pré-estabelecido socialmente, de como deveria se comportar, e surta. Reivindica o protagonismo no momento mais feminino que existe: a gravidez. Daí, vem a comédia, mas também o drama. E a identificação da ala masculina.

Paulo Vilhena dá conta do recado, mas Thales não consegue gerar empatia na plateia. Todas as vezes em que Bianca o esculacha, o público vibra e aplaude. É nitidamente condenado. Os espectadores abraçam a personagem feminina, que fica abandonada emocionalmente no “momento mais especial da vida”. É, de longe, o melhor trabalho da Fernanda Rodrigues nos últimos anos. A atriz finalmente conseguiu um papel onde pode explorar bem suas habilidades, tanto no humor quanto no drama, e dá o tom da peça. Todas suas entradas cômicas são ótimas, e sua cena mais dramática chama a atenção. É possível ouvir duas pessoas na plateia constatando: “ela é boa atriz, né?”. Além disso, a química dos dois atores é incrível.

Os figurinos colaboram, marcando as diferentes fases dos personagens, e o cenário é simples, mas não compromete. O grande mérito do espetáculo vai para o diretor Pedro Vasconcelos (de “Tudo Por um Popstar, de Thalita Rebouças”). Ele coloca a plateia como o terapeuta do casal, alimentando constantes interações, e se utiliza de toda a sala do teatro para a movimentação dos atores, não se limitando apenas ao palco. O mesmo havia sido feito em “Tudo Por um Popstar”, mas nesta peça ganha mais força, com os personagens circulando entre as fileiras, defendendo seus pontos de vista, e buscando adesão do público à sua versão dos fatos. No fim, é a plateia quem decide o desfecho: o casal deve se reconciliar ou se separar? Há duas versões ensaiadas. Mas é claro que a plateia é romântica…

“Tô Grávida!” fica em cartaz até 10 de agosto no Teatro Fashion Mall, em São Conrado, com sessões sábado às 21h e domingo às 20h. Os ingressos custam R$ 70.

Por Leonardo Torres
Pós-graduado em Jornalismo Cultural.