O ator Gregorio Duvivier (de “Portátil”) participou de um debate sobre o documentário “Quebrando o Tabu” (2011), promovido pelo site Noo na semana passada, no Instituto Singularidades, em São Paulo. Para quem não sabe, o filme do diretor Fernando Grostein propõe uma nova discussão sobre a guerra às drogas, tratando de legalização e descriminalização. Usuário assumido de maconha, Gregorio reiterou que cultiva a droga (ilegal no Brasil) em casa.

“Eu tenho pé de maconha em casa. Falo todo dia. Tenho pé de maconha em casa. Estou falando isso há um ano, esperando a polícia bater na minha casa e não bate. A polícia não bate na minha casa! Já falei com todas as letras. Inclusive, já tenho dois [pés] hoje em dia já. Quem quiser, estiver no Rio, moro no Jardim Botânico. É lemon raze, não é purple raze, é uma cruza. São fêmeas, dois camarões grandes, e é verdade. A polícia não bate na minha casa. Já falei isso mil vezes: me prendam! Pelo amor de Deus! Não é proibido isso? Porque não estão me prendendo? É porque eu sou branco, rico, moro no Rio de Janeiro, no sudeste, etc e tal. O debate não é só comportamental, é financeiro. Existe uma mudança: a criminalização é da pobreza, não é da maconha, não é do aborto. O que é crime no Brasil é ser pobre”, declarou o ator e escritor.

O discurso foi assistido de perto por Fernando Henrique Cardoso, Jean Wyllys, Drauzio Varella, Eduardo Jorge e Mônica Bergamo, que também participaram do debate. O diretor do filme, em si, não esteve presente. A gravação do evento está na íntegra no Youtube. Assista: