Quando chegou o dia 20, último domingo antes do Natal, a maioria dos espetáculos encerrou sua temporada na cidade. “Inquietos”, não. A peça, em cartaz às quartas-feiras no Teatro Vannucci, no Shopping da Gávea, fez uma apresentação na antevéspera do Natal e realiza a última nesta semana, na véspera do Réveillon. É uma das poucas opções teatrais neste período festivo.

– Na estreia, o crítico Gilberto Bartolo chegou para gente e disse “ah, que diferente, geralmente ninguém fica em cartaz nessa época e a gente fica meio sem opção de espetáculo”. A gente decidiu fazer, porque antes as pessoas tinham a desculpa de que estavam com prova na faculdade, muitas coisas para fazer, e nesta época ninguém tem mais prova. A gente queria a ajuda do Papai Noel, então pediu a temporada expandida até dia 30. Estamos esperamos que as pessoas apareçam com esse clima de alegria e de festa. – diz o ator e autor da peça, Daniel Freitas, da Cia. Hátor.

(Foto: Ricardo Sampaio)
(Foto: Ricardo Sampaio)

“Inquietos” conta a história de pessoas que se encontram por acaso, em meio aos conflitos de situações que se repetem, e parecem sem saída. O material de divulgação diz que o espetáculo “apresenta uma reflexão bem humorada sobre a comicidade dos fatos, mesmo no meio do caos”. Além de Daniel, completam o elenco Francine Thomas e Fabiano Bernardelli, os outros integrantes da cia. Os três já fizeram apresentações da peça duas vezes no Rio Grande do Sul, mas a temporada carioca tem um significado especial.

– O Marcos [Barreto, diretor], uma semana antes de falecer, ligou para mim e falou: “Ah, Dani, queria que vocês voltassem com ‘Inquietos’ aí. Quero que me prometa que vai voltar, porque a gente fez uma coisa muito bacana e não quero que esse projeto morra. Você que é novo não tem ideia do que a gente construiu”. A gente não se via há um ano mais ou menos, porque ele estava morando no Rio Grande do Sul. Ele veio a falecer uma semana depois, e a gente ficou com isso na cabeça. – conta ao Teatro em Cena.

Para cumprir a promessa, os artistas juntaram suas economias. Todos reinvestiram o dinheiro recebido nas apresentações no Sul para viabilizar a temporada independente no Rio. “Não adianta ficar esperando com projeto na gaveta”, diz Daniel. Ele não nega, no entanto, que no início das sessões, quando está no palco e o público começa a entrar, ele conta as cabeças. “O teatro depende disso. O ingresso pago é o ganha-pão. Felizmente, tem sido bom”. Na véspera do último dia do ano, não dá para garantir. Ele admite ficar inquieto quando se pergunta se as pessoas vão aparecer.

(Foto: Ricardo Sampaio)
(Foto: Ricardo Sampaio)

– Na nossa lista, as pessoas estão dizendo que vão, mas só vou saber na hora. A gente tem uma vantagem que, por ser uma das poucas peças em cartaz sem ter temática natalina, consegue um espaço de divulgação maior. É a primeira vez que estou fazendo espetáculo nesta época do ano e estou muito emocionado. O bom é que, nessa época, quando você convida, as pessoas estão mais receptivas, com um clima mais ameno. No início da temporada, as pessoas estavam muito cansadas, com a cara fechada, cheias de problemas, porque foi um ano difícil. Nesta reta final, o clima é mais festivo.

No ano que vem, a Cia. Hátor quer circular com a peça pelo interior e levar a história para cidades de acesso mais difícil. Além disso, Daniel está preparando a continuação do espetáculo, chamada “Ainda Inquietos”.

_____
SERVIÇO: qua, 21h. R$ 60. 60 min. Classificação: 14 anos. Até 30 de dezembro. Teatro Vannucci – Shopping da Gávea – Rua Marquês de São Vicente, 52, 3º andar – Gávea. Tel: 2274-7246.