Um dos diretores mais bombados da atualidade, João Fonseca, nome por trás dos musicais de Tim Maia, Cazuza e Cássia Eller, começou por baixo. Por muito tempo, ele teve que se dividir entre o teatro e o trabalho como funcionário público, porque o palco não lhe rendia nada financeiramente. “Nos Fodidos [e Privilegiados, cia. teatral], durante os primeiros cinco anos, eu não ganhava nada. Não existia isso de salário. A gente fazia de graça. A gente trabalhava porque queria”, ele conta ao web talkshow “#Incitarte”, que estreou neste mês, com essa entrevista.

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

João é formado em Engenharia Química e só começou a ganhar dinheiro com teatro quando aceitou o convite de Paulo Gustavo para dirigi-lo em “Minha Mãe É uma Peça” (2006). Na época, já tinha nove anos de direção. “A gente montou com o dinheiro que ele conseguiu com a madrasta dele, R$ 2 mil, mais o que a gente vendeu para a Star Palco”, lembra, “Era o que tinha de dinheiro para a peça, e eu fiz por porcentagem, então foi o melhor negócio que fiz na vida”. O espetáculo sempre volta em turnê, com apresentações para grandes públicos. É um enorme sucesso. “Foi a primeira vez que ganhei dinheiro e realmente comprei meu apartamento depois”.

Na entrevista, o diretor falou sobre a necessidade que alguns artistas passam no início da carreira, tendo que recorrer a outros empregos para pagar as contas. Ele diz que o importante é nunca deixar o teatro, porque depois é mais difícil voltar. Ele sempre conciliou, até se estabelecer no teatro. “Claro que tinha impedimentos. Eu morria de inveja de quem podia se dedicar só ao teatro. Eu tinha que trabalhar para pagar minhas contas”, comenta.

Confira a entrevista completa:

O “#Incitarte” é um canal no Youtube apresentado por Paulo Fernando Góes e inteiramente dedicado ao teatro. Além do talk show, também trará números musicais, bastidores de espetáculos, quiz e resgate de memórias, entre outros pontos.