José Possi Neto convoca atores para musical dos Mamonas Assassinas

O musical da banda Mamonas Assassinas (1995-1996) vai sair do papel! O diretor José Possi Neto (de “Raia 30”) e a produtora Miniatura9 (de “Memórias de um Gigolô”) convocam os atores, cantores e bailarinos interessados para as audições que definirão o elenco. As inscrições serão aceitas até o dia 25 de novembro, pelo e-mail [email protected], mediante envio de currículo e fotos recentes (de corpo e de rosto). São aceitos artistas do país todo, mas os testes ocorrerão em São Paulo, entre 30 de novembro e 15 de dezembro. A primeira temporada será em São Paulo, mas depois a peça virá para o Rio de Janeiro.

(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

Para o ensemble, são buscados artistas de ambos os sexos entre 18 e 45 anos. Para o elenco principal, dos Mamonas Assassinas, é necessário que os candidatos correspondam aos biótipos dos músicos e possuam algumas habilidades, que seguem abaixo. No ato da inscrição, o e-mail deve trazer no título para qual personagem se candidato. Por exemplo: AUDIÇÃO ELENCO PROTAGONISTA (DINHO) ou AUDIÇÃO ENSEMBLE.

Confira os perfis:
* DINHO – Fazer imitações: Silvio Santos, Falcão, Lula, Clodovil, Gil Gomes, Galvão Bueno e Tetê Espíndola.

* SÉRGIO – Tocar bateria será um diferencial, mas não será obrigatório.

* BENTO – Deve ser oriental. Tocar guitarra será um diferencial, mas não será obrigatório.

* JÚLIO – Um pouco gordinho. Muito ativo.

* SAMUEL – Tocar baixo será um diferencial, mas não será obrigatório.

Também estão envolvidos no projeto Walter Daguerre (de “Elefante”), que assina o texto, Miguel Briamonte (de “Ou Tudo Ou Nada”), na direção musical, e Vanessa Guillen (de “Constellation”), como coreógrafa. O espetáculo tem patrocínio do Banco do Brasil Seguridade e chega aos palcos no aniversário de 20 anos de morte dos músicos. A estreia é prevista para março de 2016.

O Mamonas Assassinas foi uma banda de rock cômica, que se formou em Guarulhos e conquistou todo o Brasil nos anos 1990, com mais de três milhões de cópias vendidas do seu disco. O teor bem humorado das letras conquistou crianças, adolescentes e adultos, vendendo cerca de 100 mil cópias a cada dois dias em determinado período. Houve certo momento em que eles tinham o maior cachê de show no Brasil. Mas, no dia 2 de março de 1996, com apenas um ano de atividade e no auge do sucesso, todos os integrantes da banda morreram em um trágico acidente de avião, voltando de um show em Brasília. Cultuados até hoje por bandas covers, os Mamonas também são tema de um documentário.