Divulgando o musical “Gota D’Água [a seco]”, a atriz Laila Garin esteve no “Programa do Jô” e comentou o problema que teve com a espectadora que ficou mexendo no tablet durante uma apresentação da peça. A mulher estava sentada na primeira fila e a iluminação do aparelho atrapalhava a concentração dos atores, então Laila, enquanto cantava “Cálice”, incluiu um “desliga!” gritado no meio da música. “Uma pessoa que pode estar ali na frente fica no tablet? É um desrespeito. Ela estava bem iluminada, vestida de branco, na primeira fila”, declarou.

(Foto: Reprodução)
(Foto: Reprodução)

Segundo Laila, durante vários trechos do espetáculo, ela tentou chamar a atenção da espectadora, antes de ter que falar claramente – quando todo o teatro viu e ouviu. “Ela tanto não estava prestando atenção na peça que não viu nenhum desses sinais sutis”, explicou, “Aí, no meio de “Cálice’, desculpa Chico [Buarque], desculpa diretor, mas, como na música, a gente se endereça diretamente ao público, falei ‘desliga’”. Cerca de dez minutos depois, a espectadora foi embora. Laila, no entanto, ressalta: “eu não a agredi”.

A atriz e cantora admite que a repercussão do incidente foi positiva para a divulgação da peça, que estava em seu fim de semana de estreia. “Eu fui apoiada pela plateia. Todo mundo aplaudiu, ficou feliz”. Na Internet, choveram mensagens de apoio, compartilhando as notícias sobre a reação dela.

“Gota D’Água [a seco]” é uma adaptação do musical “Gota D’Água” para apenas dois atores – Laila e Alejandro Claveaux (de “Clandestinos”). Os dois interpretam Joana e Jasão, separados após dez anos de relacionamento, porque ele decide trocá-la pela filha de Creonte, o milionário que o proporciona fama e dinheiro. O diretor da montagem é Rafael Gomes, vencedor do Prêmio Shell de São Paulo neste ano por “Um Bonde Chamado Desejo”.

_____
SERVIÇO: qui a sáb, 21h; dom, 20h. R$ 50 a R$ 150. 90 min. Classificação: 14 anos. Até 26 de junho. Theatro Net Rio – Rua Siqueira Campos, 143, 2º piso – Copacabana. Tel: 2147-8060.