(Foto: Rodrigo Turazzi)
(Foto: Rodrigo Turazzi)
Depois de estrear na TV em “Malhação” em 2013, a atriz Laís Pinho viu seus trabalhos no teatro se voltarem todos para o público teen. Ela fez “Tempos de Brilhar”, um musical adaptado de “Grease”, e também “Ladrões de Estrelas”, uma comédia juvenil com outros atores queridos da garotada. Neste mês, porém, o público que ela conquistou na novelinha da Globo poderá vê-la de uma maneira diferente. Laís está no elenco de uma montagem nova de “A Serpente”, última peça escrita por Nelson Rodrigues (1912-1980), que ficará em cartaz no horário alternativo das 23h50 na sala Nathalinha do recém-inaugurado Teatro Nathalia Timberg, na Barra da Tijuca, a partir desta sexta (12/2).

– Gosto de estar em movimento, gosto de trabalhar. Devido ao público teen que ganhei interpretando a Micaela em ‘Malhação’, fiz produções mais voltadas para esse público. ‘A Serpente’ é um trabalho que marca minha volta como uma atriz mais madura. Vocês vão conhecer uma faceta minha nunca vista antes. Quem conhece meu trabalho mais teen vai se deparar com uma atriz mais densa, com uma maturidade maior, e me divertindo como sempre em cena – conta ao Teatro em Cena.

Na peça, dirigida pela estreante Nadia Bambirra, ela interpreta a desesperada e desiludida Lígia. Um ano após seu casamento, ela continua virgem, devido à impotência do marido na cama. Insatisfeita, se separa e pensa em se matar. Mas a irmã, Guida, interpretada por Maytê Piragibe (de “Léo e Bia”), tenta ajudá-la com uma oferta: vai lhe emprestar o próprio marido por uma noite para que perca a virgindade. A partir disso, a relação das duas desmorona.

Maytê Piragibe e Laís Pinho: irmãs em "A Serpente" (Foto: Rodrigo Turazzi)
Maytê Piragibe e Laís Pinho: irmãs em “A Serpente” (Foto: Rodrigo Turazzi)

Para Laís, é um papel completamente diferente de tudo que já mostrou na TV e no teatro. Mesmo a série “Dupla Identidade”, na qual interpretou uma das vítimas do serial killer, e a novela “Império”, na qual fez uma trambiqueira, não tem o peso dramático de um Nelson Rodrigues. Orgulhosa de sua trajetória, a atriz diz que todos os personagens são desafiadores, mas a Lígia tem um caminho de nuances que a instiga. “Ela começa de um jeito e se transforma em outro ao longo das cenas. Talvez tenha sido essa a maior dificuldade”, aponta.

E, diferentemente dos outros trabalhos, ela viu essa montagem nascer desde o primeiro momento. O namorado dela, Bruno Dalto (de “Exorciza-me”), além de estar no elenco, é co-produtor do espetáculo. O convite para que se juntasse, então, foi muito natural. “Eu acredito que temos que ser artistas produtores”, ela diz. Para levantar a peça, o grupo recorreu a uma vaquinha virtual, o chamado crowdfunding, para cobrir parte do orçamento. “Estamos todos entregues e viscerais nessa montagem, fazendo teatro na coragem e no amor às artes, em meio à crise nesse país, que não apoia a cultura”, afirma.

_____
A SERPENTE: sex e sáb, 23h50; dom, 21h30. R$ 50. 70 min. Classificação: 16 anos. De 12 de fevereiro até 3 de abril. Teatro Nathalia Timberg – Sala Nathalinha – Avenida das Américas, 2000 – Freeway – Barra da Tijuca. Tel: 3388-5864.