Lua Blanco se emociona sobre CD solo: “ninguém acreditava em mim”

Passados três anos do fim de “Rebelde”, a atriz e cantora Lua Blanco finalmente vai lançar seu álbum solo – tão pedido pelos fãs. Para isso, ela está contando com o financiamento coletivo, aberto na madrugada desta quarta (9/12) na plataforma Banque. Para divulgar a novidade, ela gravou um vídeo, no qual fala emocionada sobre a dificuldade de tocar o projeto. “Tinham dias que eu acordava e me batia um desânimo profundo, porque eu não tinha nada. Eu tinha todo o meu plano, eu tinha toda a minha vontade de fazer as coisas acontecerem, e ninguém acreditava em mim”, diz. “Ninguém acreditava no meu projeto, no meu plano. E, nesses dias, eu sempre entrava no Twitter e no Instagram para ler o que vocês (fãs) escreviam e, no final do dia, eu sempre me reerguia. Eu falei: eu posso não ter nada, mas eu tenho eles”. 

Lua não tem gravadora. O álbum solo foi gravado de forma independente, confiante no apoio dos fãs. A artista está fazendo um trabalho inteiramente voltado para seu público. O primeiro single, “Eu e o Tempo”, foi disponibilizado para download gratuito como aperitivo, mediante um cadastro via e-mail. Todos os cadastrados passaram a receber conteúdos exclusivos, como um e-book autobiográfico. Neste livro digital, ela também fala sobre os bastidores das burocracias envolvendo o disco. “Ninguém quis me apoiar. Durante boa parte de um ano, eu sentei com empresários, investidores, produtores e até publicitários apresentando meu projeto e convencendo-os de que valeria a pena entrar como parceiros”, lembra Lua, que fez contatos até em uma agência em Los Angeles. “Meu desespero para achar alguém que ajudasse só aumentava. Os fãs me pressionavam e cobravam novidades, e eu me sentia uma inútil por não poder oferecer nada ainda. Não queria lançar qualquer coisa, não queria jogar alguns conteúdos soltos na web só para fingir que algo estava acontecendo. Eu realmente não tinha nada”.

Até que, um dia, alguém lhe deu o toque de começar a fazer suas músicas por conta própria e depois pensar em como fazer o lançamento. O conceito, ela já tinha: um disco pop, totalmente em português, com composições inéditas. “Queria uma sonoridade que fosse a mistura do acústico com o eletrônico, e que tivesse um peso – uma massa sonora. Queria letras acessíveis, mas de bom gosto; uma música mainstream, mas que eu tivesse orgulho de estar fazendo”, escreveu no e-book. Na lista de participações especiais, estão confirmados Gugu Peixoto (da banda Playmobille), Mika (dos Rebeldes), e os irmãos Marisol, Daniel, Estrela, Ana Terra e Pedro.

O lançamento é previsto para 2016. Para participar do financiamento coletivo, clique aqui.