O Mídia Ninja, que se define como mídia alternativa “não manipulada”, vazou neste domingo (20/3) um áudio que revela uma discussão entre o diretor musical Claudio Botelho e a atriz Soraya Ravenle após a interrupção da peça “Todos os Musicais de Chico Buarque em 90 Minutos” em Belo Horizonte. O público vaiou e iniciou uma briga com o artista após ele dizer que, na cidade fictícia do espetáculo, “lá havia um ex-presidente ladrão e uma ladra que ia sofrer um impeachment”. A plateia ficou revoltada – e continuou rebatendo o diretor em sua página no Facebook. Neste no domingo, ele apagou o perfil.

Claudio Botelho e Soraya Ravenle (Foto: Divulgação)
Claudio Botelho e Soraya Ravenle (Foto: Divulgação)

No áudio, que não se sabe como foi adquirido e repassado para imprensa, Soraya Ravenle critica Claudio Botelho por ter provocado as pessoas, “misturando ficção com realidade” em um período particularmente tenso. “Você tocou numa ferida que está aberta a semana inteira”, ela diz, enquanto o diretor chama os espectadores de “neofacistas, o que há de pior para a democracia”. “O ator que está em cena é um rei, não pode ser peitado por um negro, por um filho da **** que está na plateia. Não pode, não pode ser peitado!”, berra Claudio. “Em 1964, os militares pararam ‘Roda Viva’. Hoje, os petistas pararam ‘Roda Viva’. Você entende?”

Soraya, que já fez vários trabalhos com Claudio, reafirma sua discordância com o que ele diz, “porque tem que ser sincera” e o povo “tem o direito de vaiar, porque você provocou”. Mas Claudio perde as estribeiras na gravação (divulgada com o título “Claudio Botelho racista”) e berra que “essa peça é minha” e que os petitas são bandidos. “Sou produtor, sou o dono, sou o responsável, quem vai perder o dinheiro sou eu! [Se não concorda] É só uma questão de sair [do elenco]. O que eu fiz é o que eu faço sempre”, dispara.

O Teatro em Cena preferiu retirar o áudio da matéria, por ser uma gravação feita sem autorização dos envolvidos.